0:00 min       RAÍZA 2ª TEMPORADA     SÉRIE
0:28:00 min    


WEBTVPLAY ORIGINAL APRESENTA
RAÍZA 2


Série de
Cristina Ravela

Episódio 09 de 23
"Fé"



© 2010, WebTV.
Todos os direitos reservados.

FADE IN
CENA 1 RUAS DA CIDADE [FIM DE TARDE]
= = TOCANDO: Going Under [Instrumental] – Evanescence = =
A câmera move-se como alguém a correr pela calçada. Adiante há uma IGREJA vista de perfil, a câmera se aproxima e a pessoa sobe a escada de uns dez degraus. Assim que chega na porta, a câmera para e Marco surge a nossa frente com aquele sorrisinho de sempre.
RAÍZA: O que ‘cê’ tá fazendo aqui?
Marco põe as mãos nos bolsos da calça.
MARCO: Eu poderia lhe fazer a mesma pergunta, mas não estou muito interessado...
Raíza fecha a cara. Ouvimos vozes vindas lá de dentro. Raíza empurra Marco e vai até o...
CORREDOR DA IGREJA,
olha para cima e vê Ari conversando com João Batista.
Sobe as escadas e para ao ver Ari correr em sua direção desesperada. Raíza a contém tocando em seu ombro.
RAÍZA: O que aconteceu, Ari? Por que tá assim?
ARI (desesperada): Eu quero sair daqui, me deixa, me deixa!
Raíza aperta seus ombros e se mostra firme.
RAÍZA: O que houve? O João te fez alguma coisa?
Ari insiste em sair, mas Raíza sacode seus ombros, já nervosa.
RAÍZA: Antes ‘cê’ vai me dizer o que houve!
ARI: Me solta!
Ari larga dela e o chão de madeira onde pisa despenca.
RAÍZA (desesperada): ARI!
Raíza se joga no chão, e segura o braço da amiga fazendo força.
RAÍZA: ‘Cê’ não vai cair! ‘Cê’ não vai cair!
A câmera mostra Ari dependurada olhando para Raíza como a acreditar que não há mais jeito. Marco está lá embaixo estranhamente se posicionando para ampará-la.
Close nas mãos delas que deslizam e se soltam.
[POV de Raíza]
RAÍZA: ARI!
Assim que Ari está preste a bater no chão, uma luz intensa surge impedindo nossa visão.
VOLTA À CENA
Close no rosto de Raíza que fecha os olhos, aturdida com a luz.
CORTE CASADO
Raíza acaba de acordar em seu QUARTO. A câmera se distancia e ela olha adiante sem entender.
Bruno acaba de abrir as cortinas por onde entra a mesma luz intensa de seu sonho.
Olha para o lado e Ari não está lá.
Music Off / FADE OUT


2x09

FADE IN
CENA 2 APTº 403 – COZINHA [INT./MANHÃ]
Bruno, Ari, Raíza, Rafaela e João Batista estão à mesa tomando café. Josué coloca uma cesta com pão doce sobre a mesa e logo se senta.
BRUNO: Estranho você sonhar com isso. Por que você sonharia estar numa igreja?
JOSUÉ: Deve estar querendo se confessar...
Bruno dá aquela olhada e Raíza para o copo por entre os lábios fitando o tio. João esconde a vontade de rir e Rafaela observa curiosa.
ARI (murmura / de soslaio para Josué): Tem gente que precisa disso mesmo...
JOSUÉ: Disse alguma coisa, Ari?
ARI: Ah...Não...
João nota o clima estranho entre os dois.
Ouvimos a campainha tocar.
Bruno se levanta para ir atender. O silêncio toma conta do ambiente. Eles se entreolham como a analisar o que cada um pode estar pensando.
BRUNO (O.S): Quer...Tomar café com a gente?
Bruno aparece na cozinha, acompanhado de Marco, que olha a todos com aquele sorrisinho, inclusive Raíza.
Close no rosto dela, chateada.
CORTA PARA
CENA 3 APTº 215 – QUARTO DE DCR [INT.]
Um porta-joia é aberto e há nele um lindo anel de compromisso. A cena se afasta e, segurando o porta-joia está Dcr diante do pai Daniel.
DANIEL: Desde quando planeja isso?
Dcr dá a volta olhando para a joia.
DCR: Já faz algum tempo.
DANIEL: Não é por causa do atentado, não, né?
Dcr se volta, convicto.
DCR: Também (fecha o porta-joia) Sabe pai, eu sei que a Ari não se sente bem numa família que não é dela e tem também...
DANIEL: Também...?
Dcr fica sem jeito de responder, titubeia.
DCR: Tem o... João Batista. Não gosto do jeito como ele olha pra ela, (Daniel acha graça) Não, não ria, é sério (pausa). Eu nunca tive problemas com ele, sempre achei que seríamos bons amigos, mas...Sinto que Ari não deve ficar naquele apê por muito tempo.
Daniel vai abraçá-lo com a expressão de achar aquela desconfiança uma bobagem.
DANIEL: Isso é cisma boba, filho. Ari tá bem amparada e acho que tá cedo demais pra casar.
Helena aparece à soleira da porta e entra.
HELENA: Casar? ‘Cê’ tá pensando em se casar com a Ari?
DANIEL (sério, arrogante): Qual o problema?
HELENA: É muito... precipitado. Além disso, sempre acontece alguma coisa de errado naquela família, né?
DANIEL (fitando-a como a tentar fulminá-la no olhar): Não é muito diferente da nossa, não?
Helena se cala e Dcr nota o clima estranho e ruim entre os dois.
CORTA PARA
CENA 4 APTº 403 – COZINHA [INT.]
Uma mão feminina se prepara pra pegar no jarro quando se encontra com outra mão, só que masculina. São mãos do Marco que disfarça e deixa o jarro ser pego por Raíza.
Marco está sentado ao lado de João e de frente para ela.
MARCO: E como vai o tratamento, João? Evoluindo?
JOÃO: Na medida do possível (vê Ari observando-o e desvia o olhar) O chato é ficar mais tempo em casa.
JOSUÉ: Mas a Rafaela sempre sai com você.
JOÃO: Passeio cansa. Não lucro nada com isso e entedio muito rápido.
MARCO: Já pensou em trabalhar na HDM?
Raíza, até então não querendo encará-lo, o olha de repente com a desconfiança estampada em sua feição.
JOÃO: Eu? (olha para Bruno que faz ser uma boa ideia) Mas eu ia trabalhar em quê?
MARCO (imponente): Não se preocupe com isso. Eu e seu tio (para Bruno) veremos isso ainda hoje.
RAFAELA (irônica): Nossa João, como você tem sorte. Um anjo da guarda...
Marco lhe dá aquela olhada e sorri de canto.
ARI (força a ironia): Agora você não ficará mais entediado, né?
João se mostra sem jeito e Raíza observa um sarcasmo involuntário por parte dela.
Marco olha Raíza quieta.
MARCO: Estranho a Raíza estar tão calada hoje. (Raíza o encara por baixo) Não tem nada a dizer, querida?
RAÍZA (firme): Se você quiser eu tenho algo a dizer sim. Ou melhor, uma pergunta (todos estão apreensivos). Você não tem empregada e por isso vem filar boia aqui, não é?
MARCO: Dinheiro nunca me foi problema.
RAÍZA: Talvez família sim.
JOSUÉ: Por favor, Raíza...
RAÍZA (ignora / cont.): Você nunca se sentou numa mesa com tanta gente, né?
Marco fecha a cara e os dois se encaram tornando o clima pesado.
= = Passagem de Tempo = =
CENA 5 APTº 403 – SALA [INT.]
Todos estão reunidos. Marco sentado no sofá com pinta de galã encara meio que de canto Raíza, de pé ao lado da estante. João está ao lado do sofá onde se encontra também Josué. No sofá ao lado, Bruno e Ari. Rafaela está ao fundo próxima do corredor que leva aos quartos.
MARCO: Eu acho que o João pode fazer um estágio lá por um tempo. (para João) Já pensou em seguir a carreira de seu tio?
JOÃO: Pra dizer a verdade não. Sempre tive vontade de ser fotógrafo, mas... Se meu caminho for a construção...
Raíza bufa querendo rir.
RAFAELA: Aproveita que você tem oportunidade. Não precisa nem passar pela entrevista...
Bruno olha para ela e depois para Marco notando seu deboche o tempo todo em seu sorriso. Raíza a fita séria.
RAFAELA: Desculpe, é que me sinto à vontade nessa família.
JOSUÉ: Não tem porque se desculpar...
RAÍZA (corta/ a encara séria): Não se sinta tão à vontade...Já tem gente demais fazendo isso por você (para Marco).
Josué faz cara de quem desaprova, achando aquilo um absurdo, mas ouvimos a campainha que impede dele reclamar.
Raíza abre a porta e sorri ao ver que se trata de Cael. Os dois se beijam na boca e vemos ao fundo a cara fechada de Marco disfarçada pela sua imponência.
Cael cumprimenta a todos com a cabeça e não gosta de ver Marco por ali.
MARCO (sarcasmo): Eu acho que tem cadeira lá na cozinha...
João segura o riso e Cael põe as mãos nos bolsos, encarando o irmão.
RAÍZA: Vamos pro meu quarto.
BRUNO: Hã?
Marco se mostra tenso.
RAÍZA (sorri sapeca): Tô brincando. A gente vai pra varanda.
Marco se ajeita no sofá, aparentando estar incomodado. Ari, João, Bruno e Josué percebem.
CORTA PARA
VARANDA
Vemos de costas, Cael e Raíza com as mãos apoiadas na grade da varanda. A câmera vai se aproximando.
CAEL (irritado): É muita cara de pau dele vir pra cá. Ele tá querendo te provocar, Raíza, só pode.
Raíza olha para trás e Rafaela se afasta do computador.
RAÍZA: Pior é dormir e acordar com essa Rafaela. Fica se metendo onde não deve.
CAEL: Mas vocês eram tão amigas. O que houve?
A câmera os mostra de frente. Raíza sente que falou demais.
RAÍZA: A gente brigou, lembra?...
CAEL: Não é nada grave né?
Raíza olha para ele, sorri sem graça não querendo se estender no assunto.
Ouvimos a campainha tocar.
CORTA PARA
SALA
Dcr está parado diante de todos com cara de tacho. Não esperava ter tanta gente no apartamento.
DCR: Desculpe vir tão cedo...
RAÍZA: Não se preocupe. Você e Cael são de casa.
Marco passa a mão pela nuca e fecha os olhos numa expressão de raiva.
DCR: Eu vim convidar a Ari e Raíza para irem comigo na igreja. Depois da aula dela, claro.
Tanto Ari quanto Raíza se entreolham, abismadas.
FADE OUT
FADE IN
CENA 6 APTº 403 – QUARTO DE RAÍZA [INT./MANHÃ]
Raíza arruma a cama colocando a colcha azul sobre ela.
ARI: Você não quis ir à igreja por causa de um sonho?
Ari senta na outra cama e apoia a mão sobre a cabeceira. Raíza termina de ajeitar a sua e senta.
RAÍZA: É muita coincidência apesar de não acreditar mais nisso. Talvez se eu não for o futuro pode ser modificado.
INSERT – Corredor
Rafaela está preste a entrar, mas para ao ouvir as vozes delas.
VOLTA À CENA
ARI: Eu não sei que surpresa é essa ele tem pra mim que precisa de testemunha, mas acho que seria desfeita você não ir. Será que não há um outro jeito desse sonho não realizar?
Raíza se levanta, pensa um pouco.
RAÍZA: Bem...No sonho, Marco estava lá e João também. Pelo que sei, não há razão nenhuma pra eles dois irem à igreja. Eu não convidaria.
ARI: Se confessar também não seria o caso, né.
As duas riem.
RAÍZA: Mesmo assim, tenho medo. Por que você não pede pra ele te levar em outro lugar?
Ari se levanta e segura seus ombros carinhosamente.
ARI: Se tiver que acontecer algo de ruim, irá acontecer em qualquer lugar.
RAÍZA: Não se eu puder evitar.
Elas riem novamente e se abraçam.
A cena mostra Rafaela intrigada no corredor.
CORTA PARA
CENA 7 QUARTO DE JOÃO [INT.]
Rafaela entra com aquela cara de curiosa e João, na cadeira e ao lado da cama observa tão curioso quanto.
RAFAELA: Vamos começar os exercícios?
Rafaela coloca os pés dele no chão, apoia os braços dele nela e o ergue para deitá-lo na cama.
JOÃO: O que você acha do Marco?
A pergunta de supetão causa estranheza na garota que começa a fisioterapia nas pernas dele.
RAFAELA: Não acho nada. Pra mim tanto faz.
JOÃO: É que toda vez que ele vem você fica afastada e alfineta. Pensei que ele tivesse feito algo pra você.
RAFAELA (ela ergue sua perna e faz movimentos): Raíza também o faz quando deveria estar agradecida por ele estar pagando seu tratamento.
JOÃO: Ela não conta. Ela sempre vai odiá-lo, ainda mais agora que ele não sai mais daqui.
RAFAELA: Pelo jeito ela tem que aturá-lo até nos sonhos...
Rafaela finge que falou demais.
RAFAELA: Vou pegar mais pesado com você, se sentir dor...
JOÃO: Sonhos? Como assim? Do que tá falando?
RAFAELA: Não, nada não...Besteira.
João segura na mão dela forçando uma simpatia que não tem.
JOÃO: Você parece não confiar em mim. Se é besteira, não fará mal a ninguém, né?
Rafaela se mostra pensativa. Senta na beirada da cama com a vontade de contar estampada na cara.
RAFAELA: Eu ouvi, sem querer, claro a Raíza dizendo a Ari que tem medo do sonho dela se realizar. Parece que você e o Marco estavam lá no sonho também, ou seja, na igreja e que você disse algo a Ari que a fez sair correndo desesperada.
JOÃO: Você ouviu tudo isso?
RAFAELA (sem graça): Sim. E que Raíza garante poder evitar algo ruim.
João está intrigado.
RAFAELA: Mas é besteira (sorri bufando) quem acredita em sonhos, né?
Fecha no rosto satisfeito de João.
FADE OUT
FADE IN
CENA 8 FACHADA – MANSÃO [TARDE]
Corta para o interior da mansão
Cael está descendo a escada segurando o celular numa mão e pasta de outro.
CAEL (ao telefone): Vê isso pra mim, faz favor. Quero tudo pronto pra daqui a três semanas. (pausa) Ok.
Ele termina de descer a escada e desliga o celular.
Lara surge do corredor à direita.
LARA: Tanto trabalho...
Cael leva um susto.
CAEL: Mas que mania de andar sorrateiramente pela casa!
Ele torna a andar e ela o segue.
LARA (imponente / fria): Você quase não traz sua namorada pra vir jantar aqui... Espero que não seja por minha causa.
Cael não para de andar e entra no...
ESCRITÓRIO
CAEL: Não entendo esse seu surto de vidência; Dá e passa.
Lara cruza os braços e fica parada à soleira da porta. Cael joga a pasta sobre a mesa e dá a volta para se sentar.
LARA (venenosa): Acha que eu a maltrataria? (Cael, sentado, revira uns papéis a olhando indiferente) Eu não faria isso. Ela até é bonitinha, mas sem sal...(Cael finge que não escuta) Não sei o que você e o Marco viram nela...
Cael para de mexer nos papéis e estático, a olha cismado.
CAEL (fecha a cara): Marco?
LARA: Ele não sai mais daquele apartamento, não? (Cael se mostra surpreso por ela saber) Ele me contou. Ele sempre me conta como anda o tratamento daquele primo da garota. João Batista, não é?
CAEL: Que mal há nisso? Do jeito que eu o conheço deve tá querendo vê se valeu a pena gastar o dinheiro dele.
LARA: De repente ainda é cedo pra isso. Não sabemos se a preocupação dele é com a recuperação do garoto.
Cael se mostra irritado.
CAEL: A tua alegria é me atormentar, né?
LARA: (finge espanto)Estou te atormentando? Eu só quero que você veja se está sendo um bom namorado ou apenas um bom amigo. Por que do jeito que vai é assim que ela pode está te vendo. Como um bom amigo.
Ela dá as costas deixando Cael aborrecido. Ele apoia os cotovelos sobre a mesa e junta as mãos próximas à boca, visivelmente intrigado.
CORTA PARA
CENA 9 COLÉGIO FRANÇA – SALA DE AULA [INT./TARDE]
A cena focaliza mãos escrevendo num caderno. A câmera anda para frente passando por outras carteiras até parar nas mãos que brincam com um lápis sobre o caderno. A cena revela Raíza pensativa.
RAÍZA (off): Por que meu sonho seria uma premonição? Não seria mais fácil vê o futuro da maneira que já conheço? Ou será que preciso ter essa dúvida para que o sonho se realize?
Ela olha para frente e pelo seu ponto de vista vemos o professor dizer algo, mas não ouvimos.
RAÍZA (off/cont.): Mas não faria sentido a Ari convidar o João e o Marco para o encontro, afinal, ela sabe do meu sonho...(a cena volta para seu rosto) Mas ela nem levou muita fé...
HOMEM (O.S): Então, Raíza? É oração subordinada substantiva subjetiva ou predicativa?
Raíza volta de seus pensamentos, aturdida.
RAÍZA: Hã?...Ahn...Só respondo na frente do meu advogado.
Os alunos riem.
PROFESSOR: Engraçadinha.
CORTA PARA
CENA 10 FACHADA - COLÉGIO FRANÇA [FIM DE TARDE]
Os alunos saem do colégio, cada grupo para um lado e entre eles vem Raíza. Ela se aproxima da câmera.
CIPRIANO (O.S): Raíza.
A garota se volta e a cena vai para Cipriano, encostado no capô de seu carro.
CIPRIANO: Não quer uma carona do seu tio?
Ela sorri.
CORTE RÁPIDO
Cipriano dirige e Raíza está ao seu lado, pensativa.
CIPRIANO (joga): Outro dia eu estive lá no prédio...O Josué não me deixou entrar, estava nervoso, não sei por quê. Vai vê tinha gente demais no apartamento, não?
RAÍZA: Eu hein, estranho. (desdém) Ele parece gostar tanto daquela gente...
CIPRIANO (finge): A quem se refere?
RAÍZA: A Rafaela e ao Marco.
CIPRIANO: Você, pelo jeito, não a perdoou por ela ter te feito celebridade do blog dela, hen.
RAÍZA: Aquilo foi péssimo. E ainda usou a confiança do Dcr para continuar com aquilo.
CIPRIANO (envenena): Deve ter sido muito difícil pra ele ficar ao lado de uma e trair outra. Ele deve ter pesado a amizade que tem há mais tempo com ela...
Raíza o olha de repente, pensativa, estranha o comentário que até então nem tinha passado pela sua cabeça.
RAÍZA: Mas ainda bem que foi tudo esclarecido. Parece que ela tirou o blog do ar até.
CIPRIANO: Mas não deve está sendo fácil conviver com alguém que anda junto de Marco, não? O que eles são? Amigos?
Raíza se mostra surpresa.
RAÍZA: Junto? Como assim? Do que tá falando?
Cipriano faz aquela falsa cara de quem falou demais, desvia o olhar e vemos pelo seu ponto de vista, o semáforo vermelho. Ele para o carro.
CIPRIANO (falso): Bom, outro dia eu vi esses dois na calçada conversando. Parecia uma discussão, coisa boba.
RAÍZA: Tá me dizendo que essa garota anda de conversinha com esse sujeito? E dentro de casa ela finge que o despreza...
CIPRIANO: Sendo assim acho melhor você tomar cuidado. Vai que ela não se curou do vício de paparazzi? E agora as coisas ficam mais fáceis estando na sua casa...
Close na expressão de raiva e indignação de Raíza.
CORTA PARA
CENA 11 APTº 403 – QUARTO DE JOÃO [INT.]
A câmera anda lentamente a partir da porta.
JOÃO(O.S): Ela tá convencida de que se ela não estiver presente nada de errado irá acontecer, ou seja, sonho não realizado.
A câmera mostra João Batista na cadeira de rodas, ao celular e sorrindo maliciosamente.
JOÃO: Por que acha que te liguei? Esse encontro entre Ari e Dcr não ficaria completo sem os atores coadjuvantes e a atriz principal: Raíza.
Corta para o seu interlocutor
A cadeira está de costas e logo se vira. Marco sorri maldoso.
MARCO: Vamos ver se a preocupação dela confere ou não.
Fecha em sua expressão maliciosa.
FADE TO BLACK
FADE IN
CENA 12 APTº 403 – SALA [INT./FIM DE TARDE]
A porta é aberta e Raíza adentra em seu uniforme escolar.
Gira a chave por entre os dedos enquanto caminha pela casa aparentemente vazia. Olha ao seu redor procurando algo de maneira minuciosa e franze as sobrancelhas para algo que vê fora da tela. Ela caminha na direção da estante e a cena, de frente para ela, anda para trás revelando uma pequena câmera grudada ao miolo de uma flor artificial.
FLASHBACK
Rafaela entrega o buquê de flores artificiais para Raíza.
RAFAELA: Meu tio comprou como forma de lhe agradecer a minha estada por aqui.
Raíza pega a olhando cismada.
FIM DO FLASHBACK
Raíza, com raiva, não tira a câmera e vai até o...
QUARTO
Tira a bolsa e ao jogar na cama, vê algo que lhe chama atenção.
Se trata de um papel que logo Raíza lê atentamente.
“Raíza, ouvi Marco comentar com o tio Josué que gostaria de ir à tal igreja que Dcr mencionou. Fui atrás por achar sua atitude estranha”.
Raíza se mostra apreensiva.
RAÍZA: Assinado: João Batista...
Raíza corre.
CORTA PARA
CENA 13 FACHADA - IGREJA [INT./FIM DE TARDE]
Corta para o interior.
Um porta joia é aberto mostrando o mesmo anel que Dcr havia mostrado para seu pai. A cena se afasta e vemos Dcr mostrando o anel para Ari no altar.
Ela está emocionada.
DCR: Você aceita se casar comigo?
Ari sorri feliz e surpresa.
Ouvimos palmas. É Marco que se aproxima contemplando a cena.
MARCO: Não era para a mãe dela que você devia fazer o pedido? Ou quem sabe para o Bruno?
DCR (sério): O que ‘cê’ tá fazendo aqui, Marco?
Marco põe as mãos por dentro do bolso da calça e olha para o alto.
MARCO (irônico): Eu vim conferir de perto a arquitetura da igreja. Você tem bom gosto.
Dcr não gosta daquela presença e Ari se incomoda também.
ARI (finge para Marco): Eu tô com sede, por que você não vai pegar um copo d’água para mim?
Dcr se apressa.
DCR: Deixa que eu pego. É capaz dele...
MARCO: O quê?
Dcr dá as costas deixando Ari sem reação já que sua intenção era afastar Marco dali.
Marco sorri debochado para ela e dá as costas também.
Ari olha para cima para algo que lhe chama atenção.
[POV de Ari]
João Batista está no 2º piso acenando para ela.

Corte rápido
Ari está diante de João.
ARI: Cadê a Rafaela?
JOÃO: Ela foi beber água.(ele toca em sua mão de maneira desesperada) Não aceite.
Ari não entende.
ARI: Não aceite o quê?
JOÃO: Não aceite se casar com ele (Ari ri não acreditando no que ouve) Se eu tivesse falado antes dele te pedir em namoro talvez era eu quem estaria te pedindo em casamento hoje.
Ari solta de suas mãos.
ARI: Que isso, João? Por que tá falando isso?
JOÃO: O Dcr tá contigo por pena, mas eu...Eu te amo de verdade...Eu conheço bem o seu problema e tô disposto a ficar com você.
ARI: João, pelo amor de Deus, não temos nada a ver.
JOÃO: Deixa eu descobrir se temos ou não algo a ver.
Ari está perturbada com a revelação.
CORTA PARA
CENA 14 RUAS DA CIDADE [FIM DE TARDE]
= = TOCANDO: Going Under [Instrumental] - Evanescence = =
A câmera move-se como alguém a correr pela calçada. Adiante há uma IGREJA vista de perfil, a câmera se aproxima e a pessoa sobe a escada de uns dez degraus. Assim que chega na porta, a câmera para e Marco surge a nossa frente com aquele sorrisinho de sempre.
RAÍZA: O que ‘cê’ tá fazendo aqui?
Marco põe as mãos nos bolsos da calça.
MARCO: Eu poderia lhe fazer a mesma pergunta, mas não estou muito interessado...
Raíza fecha a cara. Ouvimos vozes vindas lá de dentro.
Raíza empurra Marco e vai até o...
CORREDOR DA IGREJA,
olha para cima e vê Ari conversando com João Batista.
Sobe as escadas e para ao ver Ari correr em sua direção desesperada. Raíza a contém tocando em seu ombro. Ari fica de costas para a grade.
RAÍZA: O que aconteceu, Ari? Por que tá assim?
ARI (desesperada): Eu quero sair daqui, me deixa, me deixa!
Raíza aperta seus ombros e se mostra firme.
RAÍZA (murmura): Não, Ari! Não se mexa! Não se mexa!
Ari insiste em sair, mas Raíza sacode seus ombros, já nervosa.
RAÍZA: Fica quieta!
Adiante, João Batista assiste na expectativa e olha para baixo onde Marco espera ansioso.
ARI: Eu não devia ter vindo!
Lá embaixo, Dcr com um copo d’água na mão e Rafaela param ao ver a cena.
RAÍZA (nervosa): Eu já disse pra você não se mexer!
Nesse momento, Raíza puxa Ari pelos ombros para tirá-la da direção do suposto piso falso, mas se desequilibra, bate na grade e despenca.
ARI (tampa a boca assustada): Meu Deus...
[efeito câmera lenta]
A câmera mostra Raíza de longe. Dcr deixa o copo cair, assustado, Rafaela se admira com a cena, João se segura na grade do outro lado para ver melhor e Marco, surpreso, se posiciona para ampará-la.
[fim do efeito]
Raíza cai nos braços de Marco.
[POV de Raíza]
Ari está lá em cima olhando para ela, aliviada.
VOLTA À CENA
Raíza encara Marco que, por um momento, faz cara de aliviado também, mas logo exibe seu sorrisinho sarcástico.
A tela se fecha num baque junto da música.
FADE IN
CENA 15 FACHADA – ED. CIRANDA DE PEDRA [NOITE]
Corta para o interior do APTº 403
Um copo contendo chá é entregue para Raíza. Ela olha para seu pai, quem entrega o chá, e pega em desagrado.
RAÍZA: O senhor sabe que odeio chá de camomila.
Josué está atrás do sofá onde ela está e podemos ver Dcr, Rafaela e João.
JOSUÉ: Era a única coisa que tinha em casa pra te acalmar.
Ari está ao lado de Raíza e, Marco, de pé, sorri debochado.
MARCO: Não precisa ficar tão nervosa, Raíza (ela o olha de baixo) O importante é que você foi salva.
João esconde o riso. Ari se incomoda.
DCR: Eu ainda não entendi o que aconteceu. O que o João e o Marco estavam fazendo lá?
Todos olham para eles em tom suspense. João se mostra encurralado, mas Marco exibe uma postura firme.
MARCO (cínico): Eu não sabia que a igreja estava reservada para vocês. Saí do trabalho mais cedo e vim aqui conversar com o João sobre o estágio. Ele quis vir comigo quando eu disse que iria à igreja. É um bom lugar pra se pensar na vida e orar.
RAÍZA (irônica): Ah, você costuma orar?
MARCO (encarando-a): Eu nunca perco a fé, querida...
Todos se entreolham notando o clima que se formou.
Ouvimos tocar a campainha. Bruno abre a porta e dá com Cipriano. Este recua se fazendo de visitante em má hora.
CIPRIANO: Desculpe. Estão em reunião?
Dcr não gosta da presença dele e entreolha Ari que tenta disfarçar a tensão.
CORTA PARA
CENA 16 FACHADA – MANSÃO [NOITE]
Corta para o interior – QUARTO
A câmera mostra a cama, a mobília e, em seguida Cael, em pé e de costas.
Cael está diante do espelho, acaba de se arrumar, pega a chave do carro de cima da escrivaninha e quando se volta, dá com Lara na porta.
CAEL (susto): Vai ser assim até quando?
Ele passa por ela e atravessa o CORREDOR. Ela o segue.
LARA: Não sei por que se assusta tanto comigo. Isso deve ser nervosismo pela ligação do Bruno.
Cael desce as escadas.
CAEL: Não coloque a culpa nos outros pela sua mania de andar sorrateiramente pela casa.
LARA: Ora, esse não é o problema. Você tá assim porque foi o Marco que salvou a garota. (ele para e se vira, sério) Parece que ele quitou a dívida com ela.
CAEL: Dívida? Que dívida?
LARA: Memória curta? Raíza o salvou da morte ano passado e você diz que ele nunca a agradeceu. Acho que ele fez hoje algo muito mais grandioso que trazê-la pra cá quando ela estava perdida.
Cael abaixa a cabeça, pensativo e sagaz. Se aproxima dela e a câmera se interpõe entre os dois.
CAEL: É o mínimo que ele podia ter feito. Ainda assim não paga a tentativa dele querer matar a garota que um dia o salvou sem conhecê-lo.
Ele sai e Lara se mantém quieta, sua expressão é de raiva.
CORTA PARA
CENA 17 APTº 403 – SALA [INT./NOITE]
= = Passagem de Tempo = =
Cipriano e Raíza estão abraçados, enquanto Bruno fita Josué mostrando incomodado com aquela falsidade.
CIPRIANO: (encara Josué) Eu espero poder participar mais vezes dessas reuniões, (olhando para Raíza) saber como você está, o que anda acontecendo contigo.
Raíza ri.
Ouvimos a campainha tocar. Bruno, já perto da porta, abre e cumprimenta Cael.
CAEL (entrando): Assim que o Bruno me avisou eu vim correndo.
Ele para ao ver Marco.
MARCO (deboche): Chegou meio atrasado.
Cael finge não se abalar e beija Raíza na boca. A câmera se interpõe entre os dois e quando eles se afastam, Marco está atrás, sério.
CAEL (para Raíza): Tudo bem com você? (pausa / sorri) Eu devia saber que sim. Você é quase uma supergirl.
João revira os olhos, Josué cruza os braços e olha o relógio meio impaciente, Dcr sorri concordando com Cael. Ari também sorri, mas fecha o sorriso ao pegar Cipriano a fitando.
RAFAELA (brincando): Uma supergirl sem poderes dá o que falar.
Todos a encaram e Raíza a desdenha no olhar.
Rafaela disfarça, coça a nuca, Marco esconde o riso.
RAFAELA: Desculpe, é que eu...
RAÍZA: Nós sabemos (sorri forçado) Você se sente tão à vontade nessa família...
Rafaela sorri pra disfarçar.
RAFAELA: Acho que vou lá pra dentro...
RAÍZA: Não, espere! Tem uma coisa que eu queria te mostrar.
Rafaela não entende. Raíza vai até a estante e pega o ramalhete de flores artificiais. Ao fundo, notamos o ar tenso de Rafaela. Marco olha imediatamente para ela, preocupado.
Raíza visualiza as flores, mostra para cada um na sala, menos para Marco, desprezando-o.
RAÍZA: ‘Tão’ vendo isso?
JOSUÉ: O que é, Raíza? Algum problema com as flores?
RAÍZA: Aparentemente não. (para o pai) Pai, a Rafaela nos deu essas flores no segundo dia em que veio morar aqui, lembra?
Bruno põe a mão no queixo, pensativo.
BRUNO: Sim, sim. Mas isso tem tanto tempo. Por que isso agora?
RAÍZA: Por que nesse tempo todo estávamos sendo vigiados.
A expressão de Rafaela é de apavorada.
JOÃO: Vigiados?
Raíza aponta para um miolo em especial e mostra para Cael.
CAEL: Isso é uma câmera de longo alcance. É bem caro.
RAFAELA: Você não tá achando que...?
RAÍZA: Eu tenho certeza. (clima) Você não desistiu de vigiar minha vida lá fora e inventou de vir pra cá pra ficar mais perto do seu alvo.
JOSUÉ: Que absurdo, Raíza! O tio dela esteve aqui e ele não me parece o tipo de pessoa que vá mentir.
RAÍZA: As pessoas não são o que parecem...(fita Rafaela) Eu não ponho minha mão no fogo por mais ninguém.
Clima total.
CAEL: Mas ela teria dinheiro pra comprar uma câmera dessas?
RAÍZA: Tá na cara que alguém está bancando (encara Marco).
JOSUÉ (desafia): É alguém que está aqui na sala, Raíza?
Bruno se aproxima dela e põe a mão em seu ombro.
BRUNO: Você não pode acusar sem provas, hen.
Raíza fita Rafaela com ódio.
RAÍZA: Se não foi a Rafaela, foi alguém que circula por aqui. E como me parece que ela não tem como se defender (pausa) É melhor que saia.
Rafaela não consegue pronunciar sequer uma palavra nesse momento.
JOSUÉ (irritado): Você não pode mandá-la embora, Raíza. Deixa que eu e o Bruno decidamos isso.
BRUNO: O apartamento também é dela, Josué (este se mostra mais irritado). Essa câmera não veio andando até aqui. Se Rafaela não tem uma boa explicação eu não posso fazer nada. Desculpe, Rafaela, mas...Acho que nem você se sentiria bem aqui depois disso.
RAFAELA (se faz de vítima): Eu não tenho como provar que não fui eu que coloquei essa câmera aí. Mas já que minha presença é um peso, vou embora hoje mesmo.
RAÍZA (provoca): Vai, se faz de vítima. É sua última cartada, né?
JOSUÉ: Não, não! Rafaela não vai sair assim. (pausa / justifica) Tá tarde, é perigoso. (para Raíza / aborrecido) Já que é pra ser assim, será que ela pode passar essa noite aqui pelo menos?
Raíza, cara amarrada, olha para seu pai que balança a cabeça para que ela aceite.
RAÍZA (para Josué): Faz o que achar melhor.
Cipriano olha Marco de soslaio. Marco permanece sério.
Dcr observa a cena, intrigado e João encara Ari constrangendo-a.
FUSÃO PARA
CENA 18 ED. CIRANDA DE PEDRA [EXT./MANHÃ SEGUINTE]
Ângulo de cima. Rafaela sai do prédio carregando suas malas. Bruno e Josué, este segurando outra mala dela, seguem atrás. A câmera desce até o portão focalizando-os de frente.
Rafaela alcança a calçada, descansa as malas no chão e se volta. Há um táxi esperando por ela.
RAFAELA (sentida): Eu só queria que vocês soubessem que...Eu nunca quis o mal de ninguém...Eu não coloquei aquela câmera...
JOSUÉ (interrompe): Eu sei. Você não colocou aquela câmera ali. Não ligue para o que a Raíza disse. Ela cisma com todo mundo.
Ele olha meio de soslaio para Bruno que o encara aborrecido.
Rafaela assente incomodada.
RAFAELA: Obrigada por tudo.
= = Tocando: Yellow – Coldplay = =
Ela pega as malas novamente e vai até o táxi. O porta-malas está aberto, ela coloca as malas e Josué faz o mesmo e fecha.
Rafaela sorri sem graça e seus olhos se direcionam para a entrada do prédio onde vemos Raíza, séria. Ela logo se afasta.
Rafaela entra no táxi e parte.
FUSÃO PARA
CENA 19 APTº 403 – SALA [INT.]
Raíza entra, encara Ari e João. Este faz cara feia e vai pro quarto.
RAÍZA (off): Eu não sabia porque acreditei tão rápido em Cipriano...Talvez eu quisesse acreditar...
FUSÃO PARA
CENA 20 ED. CIRANDA DE PEDRA [EXT.]
Bruno se afasta deixando Josué sozinho na calçada. Assim que Bruno some na escadaria, Cipriano aparece atrás de Josué sorrateiramente.
CIPRIANO: Tocante seu ar preocupado.
Josué se assusta.
JOSUÉ (se refaz do susto): Por que você não para de andar pelos cantos como se tivesse ciscando alguma coisa, hen?
Cipriano se coloca lado a lado a ele.
CIPRIANO: Comparação pobre a sua, mas é o que sua inteligência permite...
Josué se mostra irritado, põe as mãos nos bolsos da calça e relaxa a coluna sem encarar Cipriano.
JOSUÉ: Você vai entrar ou vai ficar aqui me fazendo companhia?
CIPRIANO (cínico / voz mansa): Está nervoso...Eu entendo, se apegou a Rafaela, não é? Sempre quis ter uma filha e não é muito difícil você se apegar a esse tipo de gente...
Josué o encara.
JOSUÉ: Não acredito que ela tenha posto aquela câmera lá. Ela não teria condições de pagar.
CIPRIANO: Você acredita demais nas pessoas...Fico até comovido em ver que você ainda tentou defendê-la, enquanto os amigos dela ficaram quietos.
JOSUÉ (prepotente): E iam dizer o quê?
CIPRIANO (dá de ombros / envenena): Não sei, mas acho que eu no lugar de Ari também não falaria nada. Já foi internada numa clínica particular...(olha rapidamente para ele) cara...É de uma família que pode pagar...Vai que alguém a acusasse de ter pagado a câmera, não é?
Josué se mostra aturdido, como se quisesse dizer que aquilo é um absurdo.
JOSUÉ: E na cabeça de quem ia passar uma coisa dessas, me diz? Isso não faz o menor sentido.
Cipriano olha ao léu, falsamente pensativo.
CIPRIANO: É, você deve ter razão. Mesmo por que, que segredos ela ia querer descobrir que não tenha descoberto antes, não é?
Cipriano põe as mãos nos bolsos e caminha à frente de Josué. Bastante intrigado com aquela insinuação, Josué não consegue retrucar e o vê partir.
FUSÃO PARA
CENA 21 MANSÃO DE CAEL - ESCRITÓRIO [INT.]
A câmera gira pelo ambiente até chegar em Cael, que digita algo em seu laptop com uma expressão agitada.
RAÍZA (off): Há pessoas que acreditam nas aparências, naquilo que não estão vendo com os próprios olhos, mas com os olhos dos outros...
Lara chega da porta com ar de satisfação.
LARA: Tão cedo e já trabalhando? Foi algo que viu ontem e não gostou?
CAEL (sem tirar os olhos da tela): Não enche.
Lara sorri e se afasta.
Cael larga do laptop, chateado. Olha para algo em cima da mesa e pega. É um porta retrato.
[POV de Cael]
A foto é dele abraçado a Raíza em frente à antiga boate.
FUSÃO PARA
CENA 22 APTº 303 – QUARTO [INT.]
A foto anterior toma formas de outra foto em que aparecem Ari, Dcr, Raíza e Rafaela juntos no tempo do colégio.
A câmera gira levemente revelando Rafaela segurando a tal foto.
RAÍZA (off): Outras, acreditam na própria inocência...
Rafaela rasga a foto com uma fúria estampada no rosto.
FUSÃO PARA
CENA 23 APTº 403 – QUARTO DE RAÍZA [INT.]
Ari e Raíza estão sentadas na mesma cama.
RAÍZA (off): Mas me dei conta que eu também acredito nas pessoas, nas coisas que não estou vendo ou naquilo que vejo demais...
RAÍZA: Fiquei surpresa por você ter pensado melhor e ter concordado com o meu pai em não se casar com o Dcr agora.
ARI: A gente ainda não se firmou no novo emprego. Não quero depender do seu pai ou da minha mãe. Quero me casar já podendo me sustentar, sabe.
Raíza sorri assentindo. Há um silêncio entre elas.
ARI: Você não acha estranho que seu sonho não se realizou totalmente?
RAÍZA: Eu disse que podia evitar.
Elas riem.
ARI: Tá, mas foi você quem caiu e nem foi pelo falso piso.
RAÍZA: Eu nunca dei muito crédito a sonhos. Eles parecem querer nos mostrar algo, mas sem que fique exatamente claro pra nós.
ARI: O importante é que nada de pior aconteceu.
RAÍZA: E cair nos braços do Marco é o que pra você?
Ari ri.
ARI: Às vezes o Marco faz umas coisas estranhas, né?
RAÍZA: Que nem você quando saiu correndo na igreja pelo o que o João te disse. Você realmente acredita que ele sabe seu segredo? Se ele realmente soubesse, teria dito qual é.
ARI (cabisbaixa / disfarça): Pode ser...É que eu sinto como se todos apontassem o dedo pra mim, entende? Como se a qualquer momento fossem descobrir meu segredo.
RAÍZA: Então, sabe o que devemos fazer? Colocar mais fé em nós mesmas. Eu acreditei tanto no meu sonho que eu acabei pagando o pato (elas riem). Você pisou naquele piso e nada lhe aconteceu.
ARI: A não ser que o sonho quisesse mostrar outra coisa.
RAÍZA: Você acredita mesmo nisso?
As duas riem e se abraçam.
RAÍZA (off): Talvez fé seja isso. Acreditar em si mesmo e no que quer não importa o quão impossível pareça ser...
Close no rosto de Raíza que vai desfazendo o semblante risonho. Séria, de repente, Raíza fecha os olhos.
FADE TO BLACK
= FIM DO EPISÓDIO =


Série escrita por:
Cristina Ravela
Elenco:
Raíza (Maria Flor)
João Batista (Caio Blat)
Bruno (Juan Alba)
Josué (Caco Ciocler)
Cael (Michael Rosenbaum)
Marco (Pierre Kiwitt)
Valentina (Alinne Moraes)
Rafaela (Fernanda Vasconcellos)
Ari (Nathália Dill)
Dcr (Aaron Ashmore)
Cipriano (Thiago Rodrigues)

Participação Especial:

Lara (Jane Saymour)
Helena (Thaís de Campos)
Daniel (Zé Carlos Machado)

Trilha Sonora:
Going Under – Instrumental (Evanescence)
Yellow (Coldplay)

Relacionados

0 comentários: