As Mulheres da Minha Vida - episódio 5

    0:00 min       AS MULHERES DA MINHA VIDA     MINISSÉRIE
00:15:00 min    


WEBTVPLAY ORIGINAL APRESENTA
AS MULHERES DA MINHA VIDA


Minissérie de
Everton Brito

Episódio 05 de 06




© 2019, WebTV.
Todos os direitos reservados.





FADE IN:

01 EXT. STOCK SHOTS - DIA.

SONOPLASTIA: INDECENTE - ANITTA

CAM AÉREA. Céu laranja e umas poucas nuvens azuladas em perfeita harmonia com o clima de fim de tarde, e o sol fraco quase se pondo.

Um avião cruza a imagem diante da câmera.

CORTE IMEDIATO PARA

02 INT. APARTAMENTO DE VANESSA, BANHEIRO - NOITE.

LETREIRO: BRASIL, RIO DE JANEIRO.

ÂNGULO BAIXO.
CAM

Pés com pantufas de porco cor-de-rosa quicam freneticamente no chão do recinto.
REVELA VANESSA, sentada no vaso sanitário, ainda com roupão de banho. Rói a unha da mão esquerda, enquanto ocupa a direita com um teste de gravidez.

VANESSA
(Chora)
Grávida! Eu estou grávida! No termo popular: prenha, buchuda!

Revela-se que houve um corte inesperado enquanto a câmera focava em seu rosto. Agora Vanessa fala ao celular, aos prantos, na sala de estar frente ao enorme compartimento de janelas de vidro que deixam explícita a vantajosa paisagem de uma área privilegiada do Rio.

VANESSA
Não, mamãe! É do Otávio. Eu fiz as contas. Como assim? Ah, mamãe, eu nunca fui boa em matemática, mas a gente sabe quando atrasa. O pior é que eu sempre quis ter um bebê, mas não assim, separada, abandonada, corna. Serei mãe solteira.

Vanessa chora ainda mais escandalosa.

VANESSA
O pior é que eu tô com desejo de comer buchada… Eu odeio buchada!

Vanessa chora ainda mais.
MUSIC FADE: O Nome É Rapariga - Naiara Azevedo.

Takes alternados do trocar da noite para o dia.

03 INT. SALÃO JAILSA’s COFFEUR, MORRO DO VIDIGAL - DIA.

PLANO GERAL.
CAM se aproxima lentamente de Jailsa, que no momento se ocupa escovando o cabelo de uma cliente, e Biônci, que faz as unhas de uma outra. Diálogo entre as duas.


JAILSA
Biônci, mulher, vou te dar um conselho. Nunca depile a bunda com barbeador. Ôh coisa do diabo. A bunda da pessoa fica toda alérgica, toca se coçando. Eu pensei até que tava com hemorroidas, gata. Tá ouvindo, Biônci?

Biônci assente com a cabeça.

JAILSA
Mana, descobri ontem que existem calcinhas comestíveis. Bicha, eu tô passada, chocada. É bom que, pelo menos, quando a gente tiver na rua e bater aquela fome, dá uma chegada no banheiro de um hospital. Primeiro diz que foi se consultar que é pra ninguém desconfiar. Aí tu tira a calcinha e come. Eu vou comprar uma mulher pra tu, de menta que é bom. Que cheiro de toicinho… (olha para Biônci) É tu, mulher?!

Nesse momento as portas do salão se abrem. Adentra Kelly. Seu salto plataforma quica no chão.

MUSIC FADE: Ela é Tarja Preta - Arnaldo Antunes.

SLOW MOTION. O Ventilador bate no rosto de Kelly e seus cabelos voam. Takes alternados entre os rostos de deboche de Kelly e Jailsa.

Jailsa empurra Biônci que estava na cena. Liga o secador e joga em seu rosto o vapor para que seus cabelos também voem.

KELLY
Ai. Sabe o que é que é? É que me deu uma vontade de fazer as unhas, sabe?

Kelly mostra as unhas, no intuito de expor o anel de diamante em seu dedo anelar. Foco Jailsa e Biônci, boquiabertas.

KELLY
Como só tinha esse salão de quinta categoria, eu resolvi vir, mas num sei se ele é merecedor da minha presença.

JAILSA
Essa pedra aí que tu tá usando no dedo é o quê? Chumbo? Isso é chumbo que eu sei.

BIÔNCI
É não! Isso é aquela bolinha que as pestes brincam. Como é o nome? Chimbra, mana, isso aí é chimbra.

Kelly ri, irônica.

KELLY
Isso aqui é diamante negro, meu bem. Negro! Custa uma nota! Sabe de quem que eu ganhei? Do meu noivo. É menina. Gatão, medicão, ricão. Todo trincado, todo na película.

JAILSA
Olha ela se garantindo. Olha que amante não tem lar, amante nunca vai casar.

KELLY
Fala por experiência própria, gata?

JAILSA
Sai do meu salão!

KELLY
Oh, mas ela tá ameaçadora, ela.

JAILSA
Tu “num” brinca comigo que eu te taco formol na sua cara.

KELLY
Eu vou embora mesmo que se for pra usar esses esmaltes de meio de bodega, eu prefiro tinta guache.

Som de buzina.

KELLY
Deve ser meu noivo. Olha que coincidência! Tchau, amadas!

Biônci e Jailsa seguem Kelly até o
EXT do Salão. Abrem a boca quando vêm Luigi dentro do carro.

BIÔNCI
Esse carro é importado. Tem cheiro de importado, jeito de importado… Coisa cara eu farejo de longe…

Kelly abre a porta do carro e olha Jailsa por cima do ombro, dando-lhe um tchauzinho.

JAILSA
Cheiro de traíra (olha para Biônci) É tu, mulher?

E adentra no salão.



CAPÍTULO 5 - PENÚLTIMO CAPÍTULO


04 INT. LOJA DE NOIVAS- DIA.

CAM.
INSTRUMENTAL ESTÁ TÃO QUIETO - ELZA SOARES.

MÃOS passando por entre os vestidos de noiva calmamente, como quem está sentindo a textura dos tecidos.

VENDEDORA
Algum do seu interesse, senhora?

Revela Neide, que observa a vendedora de cima a abaixo.

NEIDE
Nada que me agrade, não.

VENDEDORA
Tem alguma ideia de como quer o vestido?

NEIDE
(Sorri)
Deslumbrante! Porém, recatado. Chamativo, entretanto, sem decote. Branco principalmente, porque sou pura… É… De alma… Sou pura de alma, como não? Mas não qualquer branco, tem quer casca de ovo. Algo como… Como…

Neide vira-se e avista um vestido à parte num manequim resguardado ao canto da loja, iluminado.

NEIDE
(Grita)
Aquilo!

Neide corre até onde o vestido está.

NEIDE
Este é perfeito!

VENDEDORA
Senhora, só há um problema…

NEIDE
Embrulhe, vou levar… Já me imagino na igreja, as portas abrindo, a marcha nupcial tocando, as pessoas levantando e fazendo “ooooooooh”. E eu caminhando, caminhando, caminhando e…

KÁTIA FLÁVIA
An, an!

Neide sai do transe e olha para KÁTIA FLÁVIA. SLOW MOTION.
MUSIC FADE: Kátia Flávia - Fernanda Abreu.
Kátia Flávia balança o cabelo frente a vitrine e os raios de sol que adentram encontrando seu rosto.

KÁTIA FLÁVIA
Desculpe, mas esse vestido é meu.

NEIDE
Quem disse?

KÁTIA FLÁVIA
Eu mesma… E o meu dinheiro.

NEIDE
Proveniente de quê, posso saber?

KÁTIA FLÁVIA
Meu esforço.

NEIDE
Ata, prostituição mudou de nome agora. Profanação, libertinagem, safadeza.

KÁTIA FLÁVIA
Eu sou moça direita e vou casar.

NEIDE
Com um jogador de futebol?

KÁTIA FLÁVIA
Deve ter saído nas revistas e colunas sociais.

NEIDE
Ah, não, é que eu andei reparando nos seus peitos. Parecem duas jabulanis. Você tem cara de Maria Chuteira.

KÁTIA FLÁVIA
(À Vendedora)
Embala que eu vou levar.

NEIDE
A única coisa que você vai levar aqui vai ser um tapa nessa sua cara “botoxsada”. Tome vergonha, mulher. Inventa um sonho só seu, não fica pegando os sonhos das pessoas, não.

KÁTIA FLÁVIA
Não ligo.

NEIDE
Ok. Pode ficar com ele. Eu não sou de guardar rancor…

Neide dá as costas e sai andando.

CORTA PARA.
CAM POR TRÁS DA VITRINE.

Kátia Flávia sorri para a vendedora quando lhe entrega a caixa com o vestido, mas é surpreendida com uma “voadora” que Neide defere nela.


NEIDE
Demônia!

Neide arranca o braço do manequim e dá com ele diversas vezes em Kátia Flávia, no chão. Logo em seguida, some quando vai de encontro ao mesmo.

SONOPLASTIA: Bang, Bang - Jessie J feat. Ariana Grande e Nick Minaj.

Subitamente, Kátia Flávia é empurrada no vidro da vitrine, seu rosto é pressionado contra ele. Toda descabelada, ela escorrega no chão, enquanto Neide, enlouquecida, passa a rasgar sua roupa. Kátia reage e lhe sacode o cabelo. As duas somem. Pausa na música.

Reaparecem. Dessa vez o rosto de Neide é pressionado contra a vitrine. Unhas vermelhas agarram seu pescoço. Kátia e Neide se engalfinham e acabam caindo por detrás do balcão de atendimento.

Mãos de Neide aparece segurando uma mecha de cabelo loiro.

05 EXT. ALGUM LUGAR EM MAR ABERTO- DIA.

PLANO AÉREO. Sol forte. Uma águia passa por frente a CAM. Revela Ado, desacordado numa jangada artesanal.

Ado acorda lentamente. Senta-se, meio enjoado e esfrega os olhos. Logo percebe a situação na qual se encontra.

ADO
(Raiva/Grita)
Ah, OTÁVIO!

MUSIC FADE: Essa Música é Romântica e Assustadora o Suficiente Pra Te Deixar Confuso (a)- TÓPAZ.

A música continua. ELIPSE. O tempo relativo à série passa rapidamente, mostrando os dias de um mini calendário de geladeira serem riscados, conforme seus respectivos dias se vão.

LETREIRO: 2 Semanas Depois…

06 INT. RESTAURANTE, COPACABANA - NOITE.

PLANO GERAL.
Restaurante ao ar livre, onde de cima, área privilegiada, podemos ver o Cristo Redentor iluminado. Várias mesas espalhadas pelo local. Luz neutra que dá um tom aconchegante e despojado.

CAM caminha em direção a mesa de Vanessa, que se encontram, também, Kelly e Neide.

KELLY
Ai, que nojo. Não acredito que tu saiu de casa pra vir comer num restaurante “carérrimo” sopa de ninho de andorinha.

VANESSA
É uma culinária refinada da China.

NEIDE
Se eu soubesse que dava lucro, eu já tinha pego os ninhos dos “pé” de pau lá da minha casa, cozinhado tudo num caldeirão gigante e vender por mais de trezentos reais. Pronto, acabou, tava rica.

VANESSA
Até onde vai a ignorância do ser, meu pai? Me explica. Aliás, o que vocês vieram fazer aqui?

KELLY
Olhar “pa” tua cara é que não foi.

VANESSA
Indelicada.

NEIDE
Como TODOS sabem, eu vou me casar de véu e grinalda na igreja com o Arthur. Agora que ele está restaurado, a gente pode seguir as leis do senhor. Amém.

KELLY
Ih, gente, ela tá achando que tá aonde? Num culto? Como a senhora está puritana, nossa mas eu me senti até ungida.

VANESSA
Hehehe

NEIDE
Tá num circo? Eu sou moça direita, sim! Direita… e moça, principalmente.

VANESSA
Te isola, imunda! Tu vivia era no tcheca, tcheca.

KELLY
Na libertinagem.

VANESSA
Na Profanação.

KELLY
Dividiu o marido com mais duas.

NEIDE
Ih, mas eu não sabia.

VANESSA
Mas você é responsável pelas suas escolhas, meu anjo.

NEIDE
Ah, então se eu resolver dá na sua cara agora mesmo?

VANESSA
Eu tô grávida!

KELLY
Ela vai dar na cara, não no seu útero.

VANESSA
Cala a boca, sua… arr!

NEIDE
Enfim… A gente veio fazer um convite.

VANESSA
Não frequento pagode na lage, fiquem sabendo.

KELLY
(À Neide)
Eu vou furar o corpo dela.

NEIDE
Todos estamos cansados de saber que você está encalhada, ficou pra titia, com a rolha no vinho, esquecida, desprezada, exilada de qualquer relação ou algo se aproxime disso.

VANESSA
Eu já entendi.

KELLY
E como somos pessoas solidárias que se preocupam com as inimigas…

NEIDE
E as amantes dos nossos maridos.

KELLY
Viemos saber se tu quer ser madrinha de nós duas.

NEIDE
Do nosso casamento.

KELLY
É. Tu quer ou tu não quer?

Vanessa observa as duas um pouco. Logo em seguida, subitamente, começa a chorar.

NEIDE
Ah, pronto…

VANESSA
Eu nunca fui convidada pra ser madrinha de casamento nenhum.

KELLY
Agora entendo por quê.

VANESSA
(Chora)
Vocês… não… eu… emocionada… agora…

KELLY
É pra chamar a ambulância? Ela tá com cara de quem vai parir antes do tempo.

NEIDE
Deve ser efeito da gravidez.

VANESSA
Agora eu tô com vontade de comer manga e tijolo cozido.

As três se entreolham.

07 INT. EDIFÍCIO BARRA FUNDA, ESCRITÓRIO DE ARTHUR - NOITE.

Arthur se encontra em seu escritório, digitando em seu computador ao mesmo tempo em que toma uma xícara de café. Ao fundo, um home theater toca a música Wannabe das Spice Girls. Ele canta um pouco.
A música sai de cena. ENTRA.

SONOPLASTIA: I’am an Albatraoz- AronChupa.

Alguém bate na porta.


ARTHUR
Pode entrar, Letícia.

Arthur anda com a cadeira para onde está a impressora, distraído.

A porta atrás se abre. CAM.
A pessoa em questão adentra na sala, colocando luvas cirúrgicas na mão.
POV.

Visão de Arthur, de costas para a pessoa, um tanto distante.

A porta da sala é fechada.

FADE TO BLACK.

FADE OUT.




AUTOR

Everton Brito


ELENCO

INGRID GUIMARÃES..............................VANESSA ROBSON
BIANCA COMPARATO.................................NEIDE SILVA
ROBERTA RODRIGUES................................KELLY MARIA
GEORGE SAUMA..................................ADO LAMBERTINI
KAREN HILLS..................................JAILSA TENTAÇÃO
THIAGO LACERDA...................................ARTHUR ALOC
CLÁUDIA RAIA....................................KÁTIA FLÁVIA
GORETE MILAGRES................................BIÔNCI APENAS
TRILHA SONORA
INDECENTE............................................ANITTA
BANG, BANG........JESSIE J FEAT. ARIANA GRANDE E NICK MINAJ
I’AM AN ALBATRAOZ.................................ARONCHUPA

PRODUÇÃO

Bruno Olsen

Cristina Ravela


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.



Relacionados

0 comentários: