0:00 min       BENJAMIN LUANSON     EPISÓDIO 02
20:00 min    

WEBTVPLAY ORIGINAL APRESENTA
AS AVENTURAS DE BENJAMIN LUANSON


Série de
Douglas Souza

Capítulo 02 de 03




© 2013, WebTV.
Todos os direitos reservados.


Fade In:

 
Cena 01: (Londres – Colégio – Ext.)
 
A cena abre com a câmera aérea mostrando a frente do colégio Durmham. Chove muito. Corta.

Vemos Benjamin no quarto sentado sobre a cama olhando para a janela triste e pensativo. Corta para Flashback.

Vemos a cena levemente desfocada e o som em eco quando Benjamin está olhando para a janela do Sr. Cleveland. A imagem se funde com a cena de Benjamin segurando a cabeça do Sr. Cleveland no chão ferido. Ouvimos Sr. Cleveland falar com Benjamin.
 
Sr. Cleveland: Ben-Benjamin.

Benjamin: Sim Sr. Cleveland, estou aqui.
 
Sr. Cleveland: (Sussurrando) Ka-Kam, Kamil. Ra-Rad Rajdash.

A câmera foca no rosto do Sr. Cleveland.

Sr. Cleveland: (Sussurrando) Ka-Kam, Kamil. Ra-Rad Rajdash.

Corta para a cena atual.

Benjamin continua olhando para a janela. A câmera foca em seu rosto com a expressão triste e pensativa. De repente vemos um raio e ouvimos um trovão.

Fade out

Fade in

Cena 02 (Biblioteca – Tarde – Int.)

 
Vemos uma pequena biblioteca com pouco movimento. De repente a porta se abre e Oliver entra com seu guarda-chuva e um sobretudo. Ele fecha o guarda-chuva e o deixa num porta guarda-chuvas na entrada. Ele caminha entre as estantes a procura de um livro. Ele repara em uma mulher alta e elegante a seu lado.

Oliver: Professora Montgomery!

Montgomery: Sr. Banks! O que faz por aqui?

Oliver: Estou fazendo uma pesquisa. E a senhora?

Montgomery: Procurando livros didáticos. E claro esperando passar esta chuva.

Oliver: Estamos perto da escola e eu tenho um guarda-chuva. Podemos dividi-lo.

A professora olha para chuva desanimada.

Corta.

Cena 03 (Quarto – Tarde – Int.)


Vemos Benjamin no quarto sentado na cama. A porta do quarto se abre e Oliver entra. Benjamin apenas observa de relance e volta a olhar pela janela. Ao entrar Oliver percebe Benjamin triste sentado na cama.

Oliver: Ei como você está?

Ele fala enquanto olha pela janela.

Benjamin: Estou bem.

Oliver tira o sobretudo e os sapatos.

Oliver: Olha só essa chuva. Fui até a biblioteca. Não achei nada sobre Kamil Rajdash.

Benjamin: (Olhando pela janela) Quem você encontrou no caminho?

Oliver: (Surpreso) O que?

Benjamin se vira e olha para Oliver.

Benjamin: Você estava acompanhado. Posso saber com quem?

Oliver: Com a professora Montgomery. Mas como você sabe disso?

Benjamin se levanta.

Benjamin: Vejo que levou consigo seu guarda-chuva.

Oliver: Claro que sim, pois está chovendo.

Benjamin: Obviamente você o dividiu com alguém.

Oliver: (Curioso) Você está certo. Mas como descobriu?

Benjamin: Seu casaco. A parte do ombro esquerdo está úmida, e a do ombro direito está seca. Como sei que você não é canhoto, segura o guarda-chuva pela mão direita, a parte do ombro esquerdo está úmida porque foi a parte que ficou exposta à chuva, pois a metade direita do guarda-chuva estava para você e a outra metade para a pessoa com quem você estava dividindo.

Oliver fica surpreso.

Oliver: Então é por isso que você não tem amigos?

Benjamin: Não encontrou nada na biblioteca? Já era de se esperar.

Oliver: Ei. Não precisa ser rude. E você que não saiu desse quarto a tarde toda.

Benjamin: Desculpe Oliver se dei essa impressão. Não falei de você e sim do caso. Não vai ser fácil descobrir algo relacionado a este mistério.

Oliver: Você poderia se mexer um pouco mais.

Benjamin: Estou fazendo isso com meu cérebro. Além do mais estou descansando. Amanhã tenho aula de esgrima.

Oliver: Você pratica esgrima? Que mundo estranho vivemos.

Benjamin olha sem graça para Oliver.

Corta.

Cena 04 (Pátio do Colégio – Dia – Int.)

 
Vemos no pátio vários alunos em volta. Alguns alunos estão vestidos de branco e segurando espadas. De repente chega o diretor Hopkins acompanhado de um homem.

Hopkins: Bom dia a todos. A partir deste semestre todos deveram frequentar aulas extras curriculares. Algumas delas serão atividades físicas. Hoje será a aula de esgrima. Quem lhes ensinará será o professor Portmore, que substituirá o professor Johnson.

Benjamin repara no novo professor. A câmera foca na expressão do professor, sorrindo.

Benjamin: Estranho.

Oliver: O que foi?

Benjamin: O professor Portmore. Curioso o anel dele.

A câmera mostra o anel.

Oliver: O que tem o anel?

Benjamin: Nada não.

Hopkins deixa o pátio. O professor pega a espada.

Portmore: Muito bem. Creio que algum de vocês já tenha praticado esgrima com o antigo professor Johnson que está doente. Espero que eu possa lhes proporcionar aulas com o mesmo aproveitamento que as do professor Johnson. Muito bem quem gostaria de começar?

Todos ficam quietos. De repente Benjamin se levanta, pega sua espada e se aproxima.
 
Portmore: Muito bem. Como é seu nome?

Benjamin: Benjamin Luanson.

Portmore: Ora, ora. Ouvi falar muito bem do senhor pelo professor Johnson. Quero ver o que sabe.

Portmore veste a máscara. Benjamin veste a máscara e olha desconfiado.
 
Portmore: Muito bem Sr. Luanson. Em guarda.

Os dois se posicionam no centro. De repente Benjamin levanta sua espada. Ele ataca Portmore que se defende com apenas um golpe.

Portmore: Muito bem Sr. Luanson. Vamos!

Benjamin começa atacando. Portmore se movimenta. Começa um duelo. Os alunos começam a se levantar. Oliver fica apreensivo.

Benjamin e Portmore batem as espadas. Benjamin tenta tocar Portmore, porém ele o corta. Eles param.

Portmore: Muito bem Sr. Luanson. Vejo que tem um grande senso de concentração. Mas esperava mais do senhor.

A câmera foca na expressão de Riddle no meio dos outros alunos sorrindo.

Benjamin se mostra nervoso e parte para cima. Eles batem as espadas.

Portmore: Vamos! É só isso que o senhor tem?

De repente Benjamin ataca furioso. Nesta hora Portmore o corta rodeando sua espada o que faz a de Benjamin ir para o alto. Portmore a pega no ar. Todos batem palmas.

Portmore: Muito bom. O senhor foi muito bem Sr. Luanson.

Benjamin: Obrigado senhor.

Portmore entrega a espada para Benjamin.

Portmore: O Sr. Luanson foi muito bem. Houve momentos que poderia ter me vencido. O que lhe fez perder? Suas emoções.

Benjamin presta atenção curioso.

Portmore: Se quiserem vencer em um duelo, seja lá o que for. Se estiverem em um jogo, lembrem-se: o sentimento é algo encontrado apenas nos perdedores.

A câmera foca no rosto de Benjamin se mostrando desconfiado.

Corta.

 
Cena 05 (Colégio – Dia – Ext.)

 
A cena abre em Benjamin e Oliver andando do lado de fora da escola com vários alunos em um dia ensolarado.

Oliver: Não é curioso que ontem estava chovendo tanto e hoje está um belo dia de sol?

Benjamin: (Distraído) É tanto faz.

Oliver: Nossa! Nem um dia ensolarado como esse levanta o seu humor.

Benjamin: Para mim não faz tanta diferença. Meu humor é estável.

Eles vão andando até que passam por Riddle rodeado de outros garotos. Riddle mostra um relógio de bolso aos outros alunos que ficam impressionados. Benjamin repara e vai até ele.

Riddle: O que os dois perdedores querem aqui?

Benjamin:
 Belo relógio Riddle.

Riddle:
 Obvia dedução Luanson. (Arrogante) Logo todos os lordes estarão usando um. É um modelo clássico suíço.

Benjamin se aproxima.

Benjamin:
 Posso ver?

Riddle:
 (Arrogante) Pode ver. Duvido que algum dia você use algum.

Benjamin começa a analisar o relógio de perto.

Benjamin:
 Pagou caro?

Riddle:
 Claro. É um modelo clássico suíço.

Benjamin:
 Ele é diferente.

Riddle:
 (Surpreso) Como é?

Benjamin:
 Se parasse para prestar atenção veria que o modelo dele é francês. Na lateral tem riscos bem detalhados, sendo assim me parece ter vindo da Itália.

Ele abre a tampa do relógio e analisa.

Benjamin:
 Não resta mais duvidas. Ele foi feito na Alemanha.

Os outros alunos ficam curiosos. Riddle se mostra surpreso.

Riddle:
 Você não sabe o que está falando.

Benjamin:
 É só ver a descrição na tampa, onde diz Friedrich. Parabéns Riddle, seu relógio é uma fraude.

Os outros alunos ficam surpresos. Oliver sorri.

Benjamin:
 Vamos Oliver.

Benjamin e Oliver saem. Riddle fica sem graça.

Corta

 
Cena 06 (Corredor – Dia – Ext.)

 
Abre em Oliver e Benjamin subindo as escadas. Eles chegam até o corredor acima.

Benjamin:
 Temos que descobrir de qualquer forma algo relacionado ao nome Kamil Rajdash.

Oliver:
 Mas como? Eu não encontrei nada relacionado a este nome.

Benjamin:
 Talvez nós não procuramos no lugar certo.

Oliver:
 E onde vamos procurar?

Benjamin:
 Na sala do Sr. Cleveland.

Eles param em frente à sala do Sr. Cleveland.

Oliver:
 Benjamin será que podemos entrar na sala dele?

Benjamin tenta abrir a porta, mas ela está trancada.

Benjamin:
 Creio que vai ser um pouco mais difícil.

De repente chega o diretor Hopkins.

Hopkins:
 Posso ajudá-los cavalheiros?

Eles se assustam.

Benjamin:
 Sr. Hopkins. Hã, nós queríamos ver algumas coisas do Sr. Cleveland. Seus inventos.

Hopkins:
 (Desconfiado) Para que, Sr. Luanson?

Benjamin:
 Para pesquisa senhor.

Hopkins:
 Creio que não há nada para os senhores nesta sala. Ela ficará trancada até decidirmos o que fazer com ela.

Benjamin fica surpreso.

Oliver:
 Mas o que vão fazer com ela diretor? É a sala do Sr. Cleveland. Tem muitas coisas importantes aí dentro.

Hopkins:
 A sala não pode se transformar num museu. Ela deverá ser desocupada para utilizarmos de uma forma aproveitável.

Benjamin se mostra desconfiado e fica calado. Oliver protesta.

Oliver:
 Mas senhor...

Hopkins:
 Isso é tudo Sr. Banks. Agora se me dão licença, tenho assuntos a tratar. Sugiro que voltem para seus dormitórios e tentem estudar mais e se preocupar menos.

Hopkins sai. Oliver fica inconformado. Benjamin se mostra pensativo.

Oliver:
 Ouviu isso? Não é estranho? Ele está fazendo de tudo para se livrar logo das coisas.

Benjamin:
 Mas não vai conseguir.

Oliver:
 O que?

Benjamin:
 Obviamente ele teme que descubramos algo. E obviamente a resposta está aí dentro.

Oliver:
 O que vamos fazer?

Benjamin: Vamos entrar. Hoje à noite.

A câmera foca no rosto de Benjamin.

Corta.

 
Cena 07 (Quarto – Noite – Int.)

 
A cena abre em Benjamin e Oliver se preparando.

Benjamin:
 Temos que ter o máximo de cautela Oliver. Esta hora todos estão dormindo.

Oliver:
 Eu já lhe disse que isso é uma péssima ideia?

Benjamin veste o casaco.

Benjamin:
 Sim. Duas vezes. Além do mais não vai ser tão difícil. Não se esqueça do lampião.

Oliver:
 Não vai ser difícil? Estaremos correndo risco de morte. Ou pior, um sério risco de sermos expulsos.

Benjamin:
 Tudo que temos que fazer é sair pela janela, dar a volta pelo parapeito e entrar pela janela da sala do Sr. Cleveland.

Oliver:
 Ah claro é muito fácil. Não sei por que estou indo com você.

Benjamin olha para Oliver e sorri.

Benjamin:
 Porque eu lhe disse que vai ser perigoso.

Corta.

 
Cena 08 (Colégio – Noite – Ext.)

 
Vemos Oliver e Benjamin no parapeito. Eles vão caminhando de lado com as costas na parede. Benjamin vai à frente segurando uma bolsa e Oliver atrás com expressão de medo. Eles falam sussurrando.

Oliver:
 Ah meu Deus! Você não me disse que seria tão alto.

Benjamin:
 Não é tão alto Oliver.

A câmera mostra a altura de cima pra baixo e vemos que são três andares.

Oliver:
 Você só pode estar brincando! Dá pra ver Londres toda daqui!

Benjamin:
 Shhh! Não faça barulho. Falta pouco.

Eles chegam até a janela. Benjamin tira da bolsa um canivete e o abre.

Oliver:
 O que vai fazer?

Benjamin: 
Veja e aprenda.

Benjamin o coloca na fenda da janela e a força fazendo com que se abra.

Benjamin:
 Vamos.

Oliver:
 Prefiro não aprender.

Eles entram na sala.

Benjamin:
 Acenda o lampião.

Oliver risca um fósforo e acende o lampião.

Eles caminham até a escrivaninha do Sr. Cleveland.

Benjamin:
 Tente achar qualquer documento sobre Kamil Radash, Oliver.

Benjamin acende uma vela e com ela começa a procurar na mesa. Oliver procura nas gavetas. Benjamin então olha para o chão em baixo da cadeira e repara em algo. Ele se abaixa, ilumina com a vela, pega um objeto do chão e o analisa. Vemos um espinho pequeno.

Oliver com o lampião repara num casaco pendurado atrás de um arquivo de madeira. Ele verifica os bolsos onde acha uma carta.

Oliver:
 Benjamin veja isso.

Oliver entrega a carta amassada a Benjamin, que com o lampião a ilumina. A câmera foca na carta.

Carta:
 ఐదవ

Oliver:
 O que significa isso?

Benjamin:
 Símbolos. Deve ser um tipo de código.

Oliver repara nas mãos de Benjamin.

Oliver:
 O que é isso na sua mão?

Benjamin:
 Algo que prova minha teoria. Sr. Cleveland foi assassinado. É um espinho. Deve estar envenenado ou algo assim. Vamos Oliver, conseguimos mais do que o esperado.

Oliver:
 Mas e quanto a Kamil Radash?

Benjamin:
 Esqueça. Uma hora a resposta irá aparecer. Já ficamos aqui muito tempo. Vamos.

Oliver vê algo em cima do arquivo de madeira.

Oliver:
 Benjamin veja isso. O que pode ser?

Benjamin repara.

Benjamin:
 Um livro pessoal do Sr. Cleveland. Parece ter retratos. Pegue, pode ser util. Temos que ir.

Oliver:
 Acho que podemos usar a porta não acha?

Benjamin:
 Acho que será melhor. Não vou aguentar você de novo com sua crise de medo de altura.

Oliver fica sem graça. Eles abrem a porta. Ao sair aparece alguém com um lampião. Eles se assustam.

Oliver:
 (Susto) Aahhh!

A câmera mostra a professora Montgomery.

Benjamin:
 Sra. Montgomery?

Montgomery:
 Senhores. O que fazem aqui uma hora dessas?

Oliver:
 Professora, não é o que a senhora está pensando.

Benjamin:
 Viemos investigar.

Oliver olha para Benjamin nervoso.

Oliver:
 Ótimo! Agora sim parece o que está pensando.

Montgomery:
 Sr. Luanson! Sabe o que o senhor fez é muito sério? Isso pode lhe render uma expulsão. Aos dois.

Oliver:
 Ele me obrigou professora.

Benjamin:
 Sinto muito professora. Mas o Sr. Cleveland era um grande amigo. Quero provar que ele não estava louco. Que ele foi assassinado.

Montgomery:
 Ele era um bom homem. De fato há algo de muito estranho nisso tudo.

Benjamin e Oliver ficam esperançosos.

Montgomery:
 Eu poderia lhes entregar ao Sr. Hopkins.

Oliver:
 Quer dizer que a senhora não vai nos entregar?

Montgomery:
 Não. Em consideração ao Sr. Luanson que me ajudou uma vez e ao senhor, que me emprestou seu guarda-chuva. Mas não façam mais besteiras como invadir as salas da escola durante a madrugada.

Oliver e Benjamin sorriem.

Benjamin:
 Obrigado professora.

Montgomery:
 Agora pra cama vocês dois.

Oliver e Benjamin saem. Sra. Montgomery olha desconfiada.

Corta.

 
Cena 09 (Colégio – Ext.)

 
A câmera mostra uma cena geral da escola amanhecendo.

Corta e dentro do quarto vemos Benjamin sentado na escrivaninha analisando a carta. A câmera foca na carta amassada.

Carta:
 ఐదవ

Oliver está dormindo. Ele acorda, se senta na cama. Após se espreguiçar ele repara em Benjamin.

Oliver:
 Você já está acordado?

Benjamin:
 Não consegui dormir. Venha ver isso.

Benjamin mostra o espinho.

Oliver:
 (Bocejando) Ah. Acha que está envenenado?

Benjamin:
 Posso apostar a minha vida nisso. Mas eu creio que não seja um veneno que causa morte imediata.

Benjamin se levanta e pega um livro sobre a mesa. Ele abre e o mostra para Oliver.

Benjamin:
 Eu fui até a biblioteca da escola e consegui achar um livro sobre toxinas vegetais. Veja.

Oliver verifica no livro.

Oliver:
 Uau, você realmente não dormiu.

A câmera foca na imagem da pagina do livro.

Oliver:
 (Dificuldade de pronuncia) Nymphaea ca-caerulea?

Benjamin:
 Sim ou Lótus azul, é uma planta sagrada que os egípcios utilizavam como cura ou tratamento de doenças.

Oliver:
 Você acha que tem algo relacionado à morte do Sr. Cleveland?

Benjamin:
 Talvez. Algumas tribos na Índia utilizam o veneno como arma contra invasores e exploradores. Eles usavam flechas com a toxina tirada da planta. Alguns atiravam os espinhos com o veneno através de zarabatanas.

Benjamin mostra o espinho para Oliver.

Oliver:
 Mas não foi o veneno que os matou, foi?

Benjamin:
 Não. (Mostrando no livro) Aqui diz que a Lótus Azul produz uma substancia que injetada no organismo provoca alucinações.

Oliver:
 Então em quantidades consideráveis...

Benjamin:
 Sim, pode causar pânico, medo, euforia e até mesmo loucura.

Oliver:
 Então, foi isso que provocou a morte deles. O assassino os envenenou, o que causou pânico e medo.

Benjamin:
 Exatamente meu caro Oliver! Obviamente o assassino usou o pânico para que parecesse loucura, assim causando a morte deles, fazendo parecer suicídio. O assassino sempre manteve distância.

Oliver:
 Extraordinário!

Benjamin:
 De fato.

Benjamin veste o casaco.

Benjamin:
 Preciso ver uma coisa. Vamos.

Benjamin sai. Oliver curioso veste o casaco e sai em seguida.

Corta.

 
Cena 10 (Colégio – Dia – Ext.)

 
Vemos Benjamin e Oliver caminhando do lado de fora da escola.

Oliver:
 Aonde vamos?

Benjamin:
 Quero ver se encontro alguma pista do assassino.

Benjamin para e olha para cima no prédio em frente da sala do Sr. Cleveland.

Benjamin:
 (Apontando) Foi ali.

Oliver:
 (Olhando) O que?

Benjamin continua andando. Oliver curioso o acompanha.

Corta e eles chegam ao telhado do prédio. Benjamin para e analisa o local. Ele aponta para frente.

Benjamin:
 Foi aqui Oliver. Daqui que o assassino atirou o espinho.

Oliver:
 Uau! Ele deve ter uma ótima pontaria.

Benjamin:
 Com certeza ele sabia o que estava fazendo. Temos que agir antes que ele faça mais uma vítima.

Oliver:
 (Curioso) Como assim?

Eles se sentam no telhado. Benjamin mostra um papel para Oliver. A câmera foca na imagem onde vemos cinco homens juntos.

Benjamin:
 Reconhece esses homens?

Oliver:
 (Apontando) Este é o Sr. Cleveland?

Benjamin:
 Exatamente. (Apontando) E estes são Crowler e Clark. Eles estudaram na mesma faculdade.

Oliver aponta para os outros homens.

Oliver:
 E estes dois?

Benjamin:
 Este é o Dr. Lionel Brookman. O Sr. Cleveland já me falou dele.

Oliver:
 Você acha que o assassino está matando esses homens?

Benjamin:
 Obviamente eles têm uma relação.

Oliver:
 Mas por quê?

Benjamin:
 Eu não sei.

Oliver:
 E o outro homem?

Benjamin:
 Não sei ainda. Vamos descobrir.

Benjamin se levanta e vai caminhando. Oliver levanta em seguida.

Oliver:
 Como?

Benjamin:
 Vamos falar com o Dr. Brookman.

Eles saem. Corta.

 
Cena 11 (Scotland Yard – Tarde – Ext.)

 
Abre em Oliver e Benjamin caminhando pela rua com movimentos de pessoas e carruagens.

Benjamin para em frente ao prédio. Oliver fica curioso.

Oliver:
 O que foi?

Benjamin:
 Preciso falar com o detetive Greenstone. Benjamin entra. Oliver fica esperando.

Corta pra dentro do local.

Abre na sala de Greenstone que se mostra surpreso e impaciente.

Greenstone:
 O que você quer de novo Sr. Luanson?

Benjamin:
 Sr. Greenstone, vim lhe trazer isso.

Benjamin mostra o retrato. Greenstone curioso analisa.

Benjamin:
 Acho que o assassino está os matando. Esses homens tem uma relação. Estudaram na mesma faculdade.

Greenstone devolve a Benjamin o retrato.

Greenstone:
 Já não lhe disse que tudo isso pode ser uma coincidência?

Benjamin:
 Mas Sr. Greenstone, como poderia tamanha coincidência esses homens morrerem da mesma forma. De algum modo eles foram envenenados e morreram devido a suas loucuras. Abra uma investigação. Pode ser a sua grande chance de chegar a inspetor.

Greenstone:
 Sr. Luanson, não posso abrir uma investigação só porque você imagina que eles ficaram loucos por causa de um veneno.

Benjamin:
 Mas Sr. Greenstone...

Greenstone vai até a porta.

Greenstone:
 Já chega. Se não tem mais nada para fazer eu tenho então, por favor.

Benjamin se levanta e pega um espinho de seu bolso. Ele o coloca sob a mesa e vai em direção a porta.

Benjamin:
 Vou deixar isso com o senhor. É a prova do crime, caso o senhor mude de ideia.

Senhor Greenstone apenas acena com a cabeça que não. Benjamin sai. Senhor Greenstone fecha a porta. Em seguida ele pega o espinho e começa a analisar desconfiado.

Corta e vemos Benjamin saindo do prédio. Oliver o espera do lado de fora.

Oliver:
 E então?

Benjamin:
 Ele não acreditou. Sr. Greenstone é muito cabeça dura.

Oliver:
 E agora?

Benjamin:
 Vamos tentar falar com o Sr. Brookman.

Eles começam a caminhar. Corta.

 
Cena 12 (Londres – Rua – Noite – Ext.)

 
Vemos a tarde escurecer. Benjamin e Oliver caminham até chegar a uma rua deserta onde fica uma casa grande e isolada.

Oliver:
 (Desconfiado) Benjamin tem certeza que é uma boa ideia?

Benjamin:
 Temos que falar com ele. Alertá-lo.

Eles se aproximam da casa devagar e se escondem no muro. Eles observam a casa de longe. Vemos o local deserto e escuro.

Oliver:
 E agora?

Benjamin:
 Temos que ter certeza que o local é seguro.

De repente ouve-se um tiro saindo da janela. Eles rapidamente se abaixam.

Oliver:
 Mas que diabos!

Benjamin se levanta lentamente. A câmera mostra um homem com espingarda na janela da casa.

Benjamin se aproxima lentamente com as mãos erguidas.

Oliver:
 (Assustado) Benjamin volte. O que está fazendo.

Benjamin:
 Ei! Sr. Brookman! Não somos criminosos!

O homem olha atentamente.

Homem:
 Quem são vocês?

Benjamin:
 Sou Benjamin Luanson e esse é meu amigo Oliver Banks. Somos amigos de John Cleveland.

O homem abaixa a espingarda. Benjamin se mostra aliviado e abaixa as mãos.

Corta.

 
Cena 13 (Casa – Int.)

 
Vemos uma sala ampla com vários moveis onde Benjamin e Oliver estão sentados em um sofá comendo biscoitos e tomando chá. Brookman mexe na lareira acesa e depois se senta.

Brookman:
 O que vocês querem saber?

Oliver entrega o retrato para Brookman que o observa.

Benjamin:
 Queremos saber o que houve com esses homens.

Brookman:
 Eles foram assassinados. Uma grande tragédia.

Oliver:
 Mas o senhor sabe por quê?

Brookman se levanta impaciente.

Brookman:
 Nós merecemos isso. Uma terrível consequência.

Benjamin:
 Mas senhor o que aconteceu?

Benjamin entrega a carta ao homem.

Benjamin:
 O senhor sabe o que significa isso?

Ele a abre.

Brookman:
 Ah meu Deus! (Respirando fundo) É o símbolo.

Oliver:
 Que símbolo?

Brookman se senta no sofá.

Brookman:
 Vou lhes contar a historia. Alguém precisa saber. Posso estar morto em breve.

Oliver e Benjamin ficam curiosos.

Brookman:
 (Apontando para o retrato) Eu e estes homens partimos para a India após nos formarmos. Fomos em busca de fazer nossas vidas lá. Andhra Pradesh era um ótimo lugar, pois era pouco explorado. As tropas britânicas acabavam de ocupar o lugar.

Brookman se levanta e começa a andar de um lado para o outro.

Brookman:
 Aprendemos um pouco do idioma telugu, ou o “italiano do leste”, como era chamado. Conseguimos muitas joias e pedras preciosas de escravos ou saqueadores que haviam sido mortos. Certa vez conhecemos um homem no deserto que estava fraco e ferido. Nós o acolhemos e demos comida e abrigo. Seu nome era Kamil Rajdash.

Oliver e Benjamin se entreolham surpresos.

Corta para fora da casa.

A câmera mostra do lado de fora a janela da sala onde eles estão. De repente vemos uma sombra em frente a câmera que foca em seu rosto coberto pelo capuz preto onde vemos uma zarabatana. Ele atira um espinho. O espinho atinge o pescoço do senhor Brookman.

Brookman:
 Ai!

Ele passa a mão pelo pescoço.

Brookman:
 Malditos insetos.

Oliver e Benjamin estranham. Brookman continua a contar a historia.

Brookman:
 Então este homem certa vez me chamou e disse que havia um grande tesouro que nos tornariam homens muito ricos. E que se eu o ajudasse a roubá-lo dividiria comigo e os outros. Eu disse que iria conversar com meus companheiros e depois lhe diria se concordasse ou não. Todos concordaram menos John (Cleveland) que achava que aquilo não era certo.

Oliver:
 Que tesouro era?

Brookman:
 A estátua de Jade da deusa Kali.

Benjamin:
 A deusa da morte no hinduísmo?

Brookman:
 Exatamente. Para conseguirmos pegá-la, teríamos que entrar no templo a noite e roubarmos. Claro que teríamos que passar pelos guardas, mas isso era fácil, pois eu e Clark éramos bons com armas. Naquela noite Kamil nos deu um livro que seria escrito por ele. Estava em telugu. Este livro que continha várias informações do templo e um mapa de fuga. Além disso, falava também da deusa Kali, mas nem paramos para ver, pois estávamos muito ansiosos. Fomos para o templo e ficamos vigiando. Havia três guardas. Kamil nos disse que poderia pegar a estátua sozinho se pudéssemos vigiar.

Benjamin: 
Ele conseguiu não foi?

Brookman acena com a cabeça que sim.

Benjamin:
 Mas algo aconteceu. Algo deu errado.

Brookman:
 Sim. Dr. Riddle se apoderou da estatua após Kamil nos entregar. Nós fugimos.

Benjamin e Oliver estranham.

Benjamin:
 (Olhando para o retrato) Dr. Riddle?

Brookman:
 Sim. Enquanto fugíamos Kamil ficou preso em um buraco. Ele pediu ajuda, mas Riddle... (Pausa e respira) Já tínhamos cruzado o muro que dividia a fronteira com as tropas britânicas. Riddle e Kamil ficaram para trás. John (Cleveland) queria voltar, mas não deixamos. Riddle então o disse que o ajudaria a sair do buraco, mas queria a estatua primeiro.

Benjamin:
 E Kamil deu a estátua para Riddle?

Brookman:
 Sim.

Benjamin:
 E Riddle não o salvou. (Inconformado) Ele o deixou pra morrer.

Brookman apenas acena que sim.

Benjamin se levanta.

Benjamin:
 Deixaram o pobre homem para morrer?

Brookman:
 Não tínhamos mais como salvá-lo. Sua cabeça foi cortada ali mesmo. E depois...

Brookman começa a sentir mal.

Oliver se levanta.

Oliver:
 O senhor está bem?

A câmera mostra Benjamin e Oliver do ponto de vista de Brookman. Vemos dois homens de capuz preto no lugar de Benjamin e Oliver se aproximando em direção a câmera. A câmera foca no rosto de Brookman com expressão de medo.

Brookman:
 Não! Por favor!

Benjamin:
 Sr. Brookman! Calma é só uma visão!

Brookman começa a se afastar. Ele tropeça e cai.

Oliver:
 Meu Deus!

Ele desmaia.

Benjamin repara em seu pescoço a marca de um espinho.

Oliver:
 Ele está morto?

Benjamin analisa o corpo.

Benjamin:
 Não. Ele teve sorte. Só está desmaiado por causa da queda.

Benjamin olha para a janela. A câmera focaliza uma sombra que se movimenta.

Benjamin:
 O que é aquilo?

Oliver olha para a janela.

Oliver:
 O quê?

Benjamin:
 Fique aqui e cuide de Brookman.

Benjamin sai correndo.

Oliver:
 Ei,        aonde vai?

Corta.

 
Cena 14 (Londres – Docas – Noite – Ext.)

 
Vemos Benjamin correndo até virar em uma esquina. O lugar está deserto próximo ao rio. Há várias caixas de madeira. Benjamin chega correndo e para em frente à câmera. Ele caminha entre as caixas cautelosamente. De repente ele ouve algo caindo.

Benjamin:
 (Susto) Hã!

Benjamin continua caminhando. De repente, um vulto preto surge de trás da parede e o agarra por traz.

Benjamin:
 Ah! Não!

O suspeito coloca os braços em volta do pescoço de Benjamin, que luta para tirá-los. Benjamin fica sem ar balançando os braços quando ele acha um pedaço de madeira em cima de uma caixa. Ele pega e golpeia o homem,        que cambaleia para trás. Benjamin cai no chão e se levanta rapidamente. O homem de preto tira uma espada da cintura e aponta para Benjamin que vai se afastando para trás. A câmera mostra o rio atrás de Benjamin e seus pés próximos a ele. De repente, Benjamin chega ao limite e tenta se equilibrar. O Homem de preto retira uma arma da cintura e aponta para Benjamin que com medo fecha os olhos. A câmera foca no gatilho. Vemos o suspeito pressionado o dedo no gatilho preste a atirar.

Benjamin fecha os olhos. A tela escurece rapidamente.

Ouvimos um tiro.

Corta.

 
A Aventura Continua

  


   CRIADO POR:
Douglas Souza

ELENCO:
Charlie Rowe : Benjamin Luanson
Lorn Macdonald: Oliver Banks
David Thewlis : Detetive Greenstone
Patrick Gibson: Billy Riddle
Aidan Gillen: Profº Portmore
Hugh Bonneville: Sr. Brookman


ESTRELANDO:
David Suchet: Sr. Cleveland

Rhys Ifans : Sr. Hopkins
Lindsay Duncan: Profª Montgomery


ESCRITO E DIRIGIDO POR:
Douglas Souza


PRODUZIDO POR:
Bruno Olsen
Diogo de Castro
John Robson

REALIZAÇÃO


Copyright
© 2013 - WebTV
     redewebtv.webs.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução
Relacionados

0 comentários: