0:00 min       FOLEY BOYS     SÉRIE
49:00 min    

WEBTV APRESENTA
FOLEY BOYS


Série de
EDUARDO SOARES DE AVELLAR


Episódio 13 de 21







Aiden Turner em off – Nos episódios anteriores de Foley Boys.
Cena: Casa de Leo – Ext. Noite
Leo – E não adianta fazer a mesma coisa que fez com o Chip.
Emily – O que eu fiz com o Chip?
Leo – Tá enrolando o cara e não liga pra ele de jeito nenhum. Ele quer respostas, assim como você espera respostas do seu pai.
Cena: Praça – Ext. Noite
Emily – Olha, Chip, eu... Eu não sei. (pausa) Olha, eu te ligo.
Chip (sorrindo/ sem jeito) – Você disse que ia me ligar e estou esperando faz quase um mês.
Emily – Eu sei, me desculpa, mas... Eu andei ocupada ultimamente. Mas olha, eu juro. Eu juro que te ligo e a gente conversa...
Cena: Rua Qualquer – Ext. Noite
Chelsea – Você não consegue esconder quando está chateado e agora tratou o meu primo mal.
Liam (surpreso/ aliviado) – Primo?
Chelsea – Sim, ele veio passar um tempo aqui e trouxe minha irmã junto, mas já tá indo embora. Custava ser gentil ao invés de hostil?
Liam – Primo?
Liam respira fundo, pega Chelsea pelas mãos e a beija.
Chelsea (nervosa/ respirando fundo) – Eu... Eu tenho que ir.
Ela se afasta, vira-se e sai correndo.
Cena: Quarto do Hospital – Int. Manhã
Lucy – Olha, Ethan... Pra falar a verdade, você nem precisa. Sério. Você está faltando aula e isso não é bom.
Ethan – Calma, garota. Eu tenho tudo sob controle.
(...)
Lucy – Mas falando sério agora... (ajeita o cabelo com a outra mão) Não precisa ficar vindo aqui. Você já se desculpou e eu aceitei suas desculpas. De coração.
Ethan – Eu sei, mas é que realmente eu me senti culpado pela basteira que eu fiz. (Lucy sorri) Eu faria o mesmo se eu atropelasse um cão. Ficaria no veterinário até ele ficar cem por cento curado.
Cena: Bronx High – Ext. Manhã
Liam sorri e os dois começam a andar.
Liam – Bom... Então.
Chelsea – Estamos namorando?
Liam – Estamos namorando. (franze as sobrancelhas) Estamos namorando?
Chelsea – Estamos namorando.
Liam estende a mão, sorrindo. [...] Em seguida, a mão de Chelsea a segura. Imagem agora pega o dois de costas, caminhando de mãos dadas.
Liam – É... Estamos namorando.
Cena: Dixon’s – Int. Noite
Chip – Então, minha última alternativa foi aparecer aqui e acabou não dando em nada. Você veio com a mesma desculpa esfarrapada de que estava ocupada no dia de Ação de Graças.
Emily – Sinto muito, mas eu não consigo explicar.
Chip olha para o lado ligeiramente e volta a encará-la.
Chip – Foi por causa dele?
Emily (franzindo a testa) – O que?
Chip – Que você não quis noivar comigo e... Enfim. Todo o boato que eu ouvia na cidade... Foi por causa dele?
Emily (séria) – Claro que não! (pausa) Meu Deus, por que todos pensam que eu gosto dele?
Chip – Desculpa, eu só te fiz essa pergunta por que eu me importo com você, Emily. Porque eu ainda te amo e não consegui te esquecer.
Emily arregala os olhos e abre a boca, pasma.
Cena: Casa de Kelly – Int. Noite
Grayson (sério) – Seu irresponsável!
Leo (surpreso/ apontando para si próprio) – Eu? De novo?
Grayson – Sim!
Leo – Mas você já falou pra mim. (apontando para Liam) Agora é a vez dele.
Liam – Ei!
Grayson – Eu vi você com aquela mulher se agarrando no meio da praça.
Leo – Ah, você já disse isso... É a vez dele agora. (Grayson continua encarando-o) Ah, qual é? Você acha o que? Que eu devo dar uma de adolescente e esconder meu namoro?
Grayson – Não sei. Da última vez que fez isso, a Brenda apareceu grávida de você.
(...)
Leo – Pai, é o seguinte. Eu sairei com quem eu quiser, vou na esbórnia que eu quiser e vocês dois ficam fora disso, ok? O Liam vai continuar sendo o Liam e vou continuar sendo eu. E outra, eu não vou me privar de ter um relacionamento por causa do pirralho.
Kelly – Eu só disse isso, porque o Grayson...
Leo (cortando-a) – Eu esperava qualquer coisa de todas as pessoas aqui da sala, menos da senhora. (pausa) E quando eu digo “todas as pessoas”, eu quero dizer esse homem aí.
- - - - - - - - - - - - - - -
FADE IN
Casa de Leo – Int. Noite
Imagem abre na sala, onde Leo está sentado no sofá com as pernas esticadas em cima da mesa de centro. Ele está jogando Playstation e se contorce a cada jogada.
Leo (sério) – Que filho da mãe!
Leo continua a pressionar os botões com força, girando o controle. Ele põe a língua de lado, pra fora da boca. Liam entra em casa com uma caixa e uma sacola plástica nas mãos.
Liam (fechando a porta) – Pai!
Leo (jogando o controle para o lado) – Maldição!
Liam – Cruzes!
Leo desliga o jogo e se levanta.
Leo – O que foi?
Liam – Correio.
Leo (com as mãos na cintura/ franzindo as sobrancelhas) – A essa hora da noite?
Liam (pondo a caixa e a sacola no sofá) – O Kane se enrolou com a correspondência de todo mundo quando tropeçou e misturou as cartas. Resultado: ficou o dia inteiro pra separar as cartas por endereço. (aponta para o controle do jogo) E... Além de apertar os botões, precisa girar o controle todo pra quê?
Leo (girando os olhos) – Tá, e aí?
Liam – Aí que, como moramos na Main Street e sempre recebemos tudo do correio por último... Resolvi ir lá por meios próprios e pegar as nossas correspondências.
Leo – Reparou que eles sempre entregam nossas cartas por último?
Liam – Por isso que eu fui lá. E eu acabei de citar isso.
Leo – E o engraçado é que moramos no meio da cidade. Tínhamos que receber as cartas no meio da viagem do carteiro, entendeu? Ele devia seguir uma ordem cronológica de entrega de cartas. Tipo sentido horário ou anti-horário. Mas ainda assim, receberíamos as cartas na metade do percurso. Exceto se ele começasse pela casa ao lado e fosse seguindo em direção ao fim da rua pra terminar aqui, que é o que eu acho que ele já faz, mas enfim, que caixa é essa?
Liam – É o que falta pra completar minha coleção do Sistema Solar em miniatura pra eu pendurar no teto.
Leo – Você ainda tá colecionando isso?
Liam – Os planetas brilham no escuro. Tem que ver Urano...
Leo – E o que tem nessa sacola?
Liam (pega a sacola e a abre) – Tem selos, que eu aproveitei pra comprar e a revista “Famaz” vem com um pôster da Carmen Electra. (joga a revista para Leo)
Leo (arregalando os olhos/ surpreso) – Jura?
Liam – Aí eu pensei que você poderia substituir aquele que você tem no seu armário. Sabe, já tá velho e amarelo...
Leo (empolgado/ folheando a revista) – Esse é meu garoto!
Liam – E o pôster é maior que o outro, ou seja...
Leo (com a revista aberta/ olhando para Liam) – O dobro de Carmen Electra.
Liam – Não. Mais curiosidades sobre ela num box que tem aí no fim da página. Aproveite.
Leo (sorrindo) – Te amo, sabia? (caminhando em direção à escada/ abrindo a revista na altura de seu próprio rosto) Eu vou colar ele na porta agora mesmo.
Liam – Ah, e outra coisa.
Leo (fecha a revista e volta) – O que?
Liam – Preciso que você faça uma prateleira nova pra mim.
Leo – Outra?
Liam (pega sua caixa do sofá) – Amanhã devem chegar mais dois livros e não quero deixar eles de fora.
Leo (enrolando a revista) – Põe eles na outra prateleira, a que eu fiz por último. Deve ter um espacinho lá.
Liam – Aí os livros que estão lá vão ficar com ciúmes, vão querer passar trote nos novatos e não vão querer ficar com eles.
Os dois caminham em direção à escada e começa a subir devagar.
Leo – Mas os livros velhos vão sentir ciúmes da prateleira nova. Aí eles vão querer mudar de lugar.
Liam – Não, eles são bonzinhos.
Leo – Então por que eles não aceitam os novos no mesmo lugar?
Liam para no meio da escada, ficando pensativo por alguns instantes. Leo para de subir e vira-se para Liam.
Leo – Ahá!
Liam – Ah, pai. Eu te dei um pôster enorme da Carmen Electra! (implorando) Por favor, por favor, por favor?
Leo – Tá bom... (os dois continuam a subir) Mas amanhã. (suspira) Tenho que entrar no mar de quinquilharias da garagem pra achar a caixa de ferramentas.
Liam – Oba!
Eles sobem, sumindo da imagem, que permanece no andar de baixo.
FADE OUT


    
FADE IN
Bronx High – Ext. Manhã
[música: “Looking for a Reason” – Paul Trudeau]
Imagem abre mostrando a fachada do colégio. Ouvimos o sinal tocando. Corta para o corredor, onde vemos estudantes saindo de várias salas de aula, inclusive Liam e Ethan. Liam está com um pedaço de bolo na mão, encarando-o.
Ethan – Já criou coragem?
Liam – Não sei.
Ethan – Bom, pelo menos a nota de economia doméstica foi boa.
Liam – Porque o bolinho não desmanchou.
Ethan – Eu como se você comer.
Liam – Ok.
Eles dobram o corredor e Liam morde um pedaço. Eles param na parte do corredor onde estão os armários. Liam mastiga olhando para cima, pensativo.
[música cessa lentamente]
Liam (engole) – É, está bom.
Ethan (dá um tapa no ombro de Liam) – Viu? Não falei? Pode até comer tudo, que eu não quero mais.
Liam – Ah, sei lá. Eu vi o Brick e o Josh perto dos meus ingredientes, então achei que... Sei lá. Poderiam ter posto veneno ou algo esquisito pra fazer meu bolinho murchar na frente da professora.
Ethan – Sorte que não aconteceu.
Liam – E está gostoso. (oferecendo) Quer um pedaço?
Ethan (abrindo seu armário) – Não, termina de comer.
Liam leva o bolo à boca. Ao morder um pedaço, Brick esbarra nele, pressionando todo o pedaço de bolo em sua boca.
Liam (com a boca cheia de farelo) – Ei!
Brick – Ah, é você?
Liam (se limpando) – Olha por onde anda!
Brick joga fora uma embalagem plástica, contendo um pequeno bolo. Ele volta pelo mesmo caminho. Ethan fecha seu armário.
Ethan – Você jogou o seu projeto fora?
Brick – Melhor do que comer e ficar com a cara cheia de farelo.
Liam (sorrindo falsamente) – Engraçado.
Os três começam a caminhar na mesma direção.
Brick – Eu acho que o curso de Economia Doméstica é direcionado para formar mulheres donas-de-casa. Então como eu não sou frutinha e esse não é o meu caso, estou fora.
Ethan – E precisa jogar o projeto fora?
Brick – Eu tirei “A” de qualquer jeito.
Ethan – E precisa jogar o seu “A” fora?
Liam – Esse curso não é de frutinha e dona-de-casa coisa nenhuma. O curso serve pra formar profissionais capacitados em desenvolver atividades para alcançar o bem-estar físico e social das pessoas, famílias, enfim, orientando a manipulação e produção de alimentos e até mesmo administrando espaços da habitação e de algumas instituições.
Brick – Coisa de frutinha. (entra em uma porta)
Ethan – Não dá bola pra ele. Nem sei por que você ainda dá confiança.
Liam e Ethan entram pela mesma porta em que Brick entrou. Trata-se de uma sala de aula. Os dois caminham mais ou menos até o meio da sala e se sentam, um ao lado do outro, sendo que Ethan se senta virado para Liam.
Ethan – Decorou o manual da primeira aula, não foi?
Liam (retirando seus livros da mochila) – E o que isso tem de mais?
Ethan – Nada...
Uma professora entra na sala e arruma seu material em cima da mesa, enquanto os alunos começam a tomar seus assentos. Ethan vira para frente, enquanto Brick passa por ele e se senta na frente de Liam. Liam e Ethan se entreolham.
Professora – Bom dia, turma.
Todos (em uníssono) – Bom dia!
Professora (pegando um bolo de folhas em cima da mesa) – Bom, primeiro gostaria de dizer que, em relação ao que fizemos em sala de aula na semana passada, os trabalhos de todos os grupos já foram corrigidos, podem ficar tranquilos que as notas já foram lançadas. Em segundo lugar, eu notei que o assunto foi bastante produtivo e que vocês têm capacidade suficiente para mais.
Ethan (leve desespero) – Mais?
Professora (confirmando/ olhando para Ethan) – Mais. (olhando para a turma) Então, resolvi que dessa vez vocês farão outro trabalho em grupo, sendo que desta vez irão destacar o crescimento e o desenvolvimento humano na cidade, e o que isso gerou para o nosso Condado ou região. Caso achem difícil, podem falar apenas dos benefícios para a própria cidade.
Alguns alunos reclamam. Liam permanece quieto, apenas observando.
Professora – Bom, vamos dividir os grupos.
Ela começa a caminhar pela sala, apontando.
Professora (apontando na direção de Ethan, Liam e Brick) – Você, você e você.
Ela segue, enquanto Brick e Liam se entreolham surpresos
Professora (apontando outros alunos) – Você, você e você...
Brick (se levanta) – Com licença, senhora Grimes.
Sra. Grimes (vira-se) – Pois não?
Brick – Pra quem a senhora apontou?
Sra. Grimes – Pra você, pro Liam, Ethan e Josh, que não está presente no momento, mas sei que você e ele são inseparáveis.
Liam (irônico) – Assim como eu e o Brick.
Sra. Grimes – Que disse?
Brick (sério) – Não tem como mudar isso não?
Sra. Grimes – Não. (segue/ apontando outros alunos) Você, você, ela e aquele ali que está dormindo e vai levar um zero...
O aluno acorda num susto. Câmera volta e Brick, que se senta.
Liam (pondo as mãos no ombro de Brick) – Olha, Brick...
Brick (furioso) – Depois, Foley. Depois.
Corta para:
Prédio desconhecido – Ext. Manhã
Vemos movimentação de entrada e saída de pessoas do prédio. Vemos Leo saindo do mesmo, acompanhado por Monica.
Monica – Deus, eu preciso entrar numa faculdade.
Leo – Por que isso agora?
Monica (olhando um homem passando) – Não sabia que havia tanto gato... Ainda mais na sua faculdade.
Leo (ergue uma sobrancelha) – Obrigado, eu sei que faço parte do grupo.
Monica – Me poupe. (olha para Leo) E se poupe!
Leo – Ei! (pausa) É verdade, eu tenho que me poupar. De você!
Um carro passa e os dois atravessam a rua.
Monica – Meu filho!
Leo – Olha, Moniquinha, mais uma vez obrigado por me ajudar com o projeto e por ter me ajudado a trazer todo o material pra cá.
Monica – De nada. Depois você me paga um café e para de me chamar de Moniquinha.
Leo – Acha que eu trouxe muita coisa?
Os dois sobem a calçada e continuam caminhando.
Monica – Bom, aquilo tudo pra fazer uma maquetezinha de quinta, eu realmente achei um exagero. Mais fácil construir um prédio de verdade com tudo aquilo.
Leo (olhando para cima/ pensativo) – Com cola B25, acrílico, isopor... É, acho que daria certo. (olhando para ela) No seu mundo!
Monica – Que seja!
Eles param ao lado de um carro.
Leo – E não é uma “maquetezinha de quinta”, é o meu projeto final. Ou seja, só vão me deixar vestir a beca e me dar o canudinho de conclusão de curso, após eu entregar e tirar uma boa nota após a apresentação.
Monica – Apresentação de maquete?
Leo – Exposição, eu quis dizer.
Monica abre a porta e entra no carro.
Leo – Bom, então mais uma vez, obrigado.
Monica – Vai aparecer lá no trabalho hoje, não vai? Estagiário.
Leo (sério) – Vou.
Monica – Tchau.
Leo volta o caminho, enquanto Monica vai embora. O telefone de Leo começa a tocar. Ele o tira de seu bolso, olha para o visor e sorri.
Leo (atende/ atravessando a rua) – Oi?
Julia (em off) – E aí, amigo, tá fazendo o que?
Leo (sorrindo) – Estou na faculdade, por quê?
Julia (em off) – Nada, é que eu pensei em te ligar, só isso.
Leo – E você ligou.
Julia (em off) – E também eu pensei em te visitar na faculdade. Tem algum problema?
[música: “When I Look To The Sky” – Train]
Leo chega à porta da faculdade e avista Julia falando ao celular. Ela o vê e sorri, enquanto ele para de caminhar a alguns metros dela. Pessoas passam por eles frequentemente.
Leo (sorrindo/ bobo) – Não. Problema nenhum.
Julia (ao celular, olhando para Leo) – Jura.
Leo – “Júlio”.
Julia (rindo) – Bobão.
Leo – Pergunta intrigante: tá falando com quem no telefone?
Julia – Com um cara aí.
Leo – O que?
Julia – Fica tranquilo. Ele é um cara bacana com quem estou saindo.
Leo – Humm... “Cara bacana”?
Julia (ainda ao celular, olhando para Leo) – Muito bacana. E bonito. Você tem que conhecer ele. Só cuidado pra não acabar gostando, hein.
Leo (sorrindo) – Fica tranquila, porque eu não curto sair com homens e tenho absoluta de que esse “cara bacana” aí, também não. (Julia sorri) Agora... Conte-me mais sobre esse cara.
Julia – Me desculpe, mas não conto sobre os homens que eu saio pra qualquer um. Vai que desperta o desejo alheio?
Leo – Ok, certo. Então o “amigo” aqui vai desligar, antes que ele não resista aos encantos do “cara bacana”. (aproxima-se dela)
Julia – E bonito.
Leo desliga o telefone enquanto se aproxima, o guarda em seu bolso e, ao chegar, beija Julia ternamente. Eles se afastam naturalmente em seguida.
Leo – Oi.
Julia – Oi.
Eles se beijam novamente e Julia se afasta.
Julia – Eu só vim te ver. (sorri) Estava com saudade.
Leo – Jura?
Julia (sorrindo) – “Júlio”.
Leo a abraça apertado e ajeita o cabelo dela pra trás da orelha.
Leo – Senti sua falta, sabia?
Julia sorri e lhe dá um selinho.
Leo – Quer assistir aula comigo?
Julia – Claro! Que não.
Leo – Por que não?
Julia – Porque... Porque...
Leo (pega na mão de Julia/ puxando-a) – Vamos.
Julia – Leo! Eu tenho meus afazeres e...
Leo (cortando-a) – Só um pouquinho, vai? O professor é velho e nem se lembra do próprio nome. Vamos, vamos, vamos.
Câmera se afasta, enquanto Julia é puxada para dentro do prédio.
[música cessa]
Corta para:
Academia Body Gym – Int. Manhã
[música: “Don’t Phunk With my Heart” – The Black Eyed Peas tocando na academia – parte final]
Câmera vagueia pela academia, onde vemos várias pessoas malhando. Há pessoas malhando sozinhas e algumas acompanhadas por alguns professores. Imagem chega num espaço, onde está o aparelho de som, mostrando um grupo de mulheres enfileiradas, fazendo coreografias conforme o ritmo da música, enquanto Emily é a guia e está na frente delas. Todas estão de frente para o espelho. Emily realiza as coreografias em ritmo de malhação, movimentando bem o corpo. Há pequenas camas elásticas em frente a cada uma.
Emily (falando alto) – Vamos meninas, não desanimem! (batendo palmas no ritmo da música) Um, dois, três, quatro. Subiu!
Emily sobe na cama elástica e começa a pular, batendo palmas no alto e movimentando bem as pernas. As mulheres acompanham e a imagem as mostra através do espelho. Emily desce da cama elástica e se vira, ficando de frente para elas.
Emily (batendo palmas/ respirando fundo/ falando alto) – Ok pessoal, diminuindo... Diminuindo devagar... Isso.
As mulheres ainda pulam nas camas elásticas, agora com menos intensidade, até pararem.
Emily – Desceu! (todas descem) Respirando fundo na contagem. Erguendo os braços comigo. Um, dois...
[música termina e toca outra só com batidas eletrônicas]
Emily ergue e abaixa os braços, conforme efetua a contagem. As mulheres a acompanham. Emily olha através do espelho e avista Aiden, que está aparado observando a aula. Emily continua a contar, enquanto se aproxima de Aiden.
Emily (respirando intensamente) – Tá fazendo o quê aqui?
Aiden – Vim malhar.
Emily (estranhando) – Até você?
Aiden – E o quê que tem?
Emily – Sei lá. (respirando fundo) Primeiro foi o Leo, depois você... Acho que o mundo está de pernas pro ar.
Aiden – Preciso de uma série pra ficar mais sarado.
Emily (franzindo a testa) – “Mais sarado”?
Aiden (passando a mão na barriga) – É porque eu já tenho um tanquinho aqui... (Emily sorri ironicamente) E só queria dar uma reforçada.
Emily – Dar uma reforçada na modéstia, né?
Aiden – Sério, pô!
Emily – Por que não procura o Duncan ou o Carlo?
Aiden – E você acha mesmo que eu vou querer malhar do lado de homem?
Emily (sorri) – Espera aí que eu já tô terminando e vou ver o que posso fazer por você.
Aiden – Que isso? Sua aula de dança?
Emily – Mais ou menos. Já que eu não dou aula de dança propriamente dita, eu resolvi dar uma misturada na dança com a malhação.
Aiden – Legal. Mas não demora aí não.
Emily (rindo) – Seu comédia! Espera aí que eu já venho.
Emily se vira e segue de volta para o grupo, enquanto Aiden levanta a camisa e se admira no espelho. Algumas mulheres do grupo olham para ele, que percebe e abaixa a camisa rapidamente, envergonhado. Ele olha para o outro lado.
Emily – Ok, meninas. Alongando as pernas agora.
[música cessa]
Corta para:
Bronx High – Ext. Tarde
Movimentação na saída dos alunos. Liam está sentado na mureta, ao lado da saída do prédio. Brick se aproxima, acompanhado de um garoto.
Brick – Foley.
Liam – Que?
Brick – Queremos saber onde você mora.
Liam (arregala os olhos) – Pra quê?
Brick – Eu e o Josh aqui, vamos fazer o trabalho na sua casa.
Liam (levantando-se) – Olha, Brick, acho que não é uma boa ideia.
Brick – Minha mansão está ocupada, não vai dar pra ser lá. (Liam suspira)
Josh – E meu pai deve estar produzindo mais um de seus filmes pornográficos lá em casa.
Liam – Que?
Josh – Relaxa, otário! Ele só produz, não participa. Querem saber qual vai ser o tema do filme?
Liam e Brick – Não!
Josh – Ok, foi mal.
Brick – Tem a casa do Morgan.
Liam (coçando a cabeça) – Tem os pais dele... Acho que não vai ser uma boa ideia. (suspira/ pensativo) Ok, pode ser lá em casa.
Brick – Ótimo. Preciso de direções.
Liam – Direções pra quê?
Brick – Pra chegar no buraco que você mora, ora!
Liam – Olha só. (apontando para a rua) Saindo daqui, segue reto a vida toda por uns 30 minutos. Quando ver um restaurante com uma pirâmide do Egito no letreiro da fachada...
Brick – Ah, o tal restaurante que é indiano e serve todo o tipo de comida menos indiana?
Liam – Esse mesmo. Então, aí você dobra à direita, e depois mais uma vez à direita. Logo que você ver uma estátua de um homem com a cabeça de cavalo, dobrem à esquerda e fazem um balão numa rotatória, voltando em sentido contrário. Aí é só seguir reto até chegar na casa número 7 e pronto.
Brick (comprime os olhos/ batendo na cabeça) – Restaurante maluco, direita, direita, cara de cavalo, esquerda, balão e casa 7. Peguei.
Josh – Eu me perdi.
Brick – Tá comigo, Josh. (a Liam) Só quero ver o buraco que vou me enfiar.
Liam – Qualquer coisa, é só perguntar onde fica a praça. De lá vocês pegam a Main Street e param quando chegar na casa 7.
Os dois saem e Chelsea chega.
Chelsea (estranhando) – O que foi aquilo?
Liam – Brick vai lá em casa com o Josh fazer trabalho. Vê se pode?
Chelsea – Estranho.
Liam – Muito.
Chelsea – Até o momento em que vejo ele conversando com você. (pausa) Totalmente estranho.
Os dois sorriem e Liam a beija.
Liam – Oi.
Chelsea – Oi.
Eles se beijam novamente. Em seguida, dão as mãos e seguem caminhando, passando por outros alunos.
Chelsea – Sabe o que eu andei pensando?
Liam – Não, eu não sei o que você andou pensando.
Chelsea – Eu andei pensando... Já está mais do que na hora de conhecermos os pais um dos outros, não acha?
Liam (coçando a cabeça) – Pra falar a verdade, eu também meio que pensei nisso.
Ambos ficam em silêncio por um breve momento.
Chelsea – Mas seu pai eu já conheço.
Liam – Mas não oficialmente.
Chelsea – Eu sei...
Liam – Então já sei. Passa hoje à noite lá em casa. Vai ser mais fácil já que você já o conhece.
Chelsea – Ok. Mas eu tenho um problema.
Liam – Que problema?
Chelsea – Meus pais têm ido visitar a minha irmã em Massachussetts, e quase não têm ficado aí. Eles estão revezando, claro, pra não me deixar sozinha em casa. Mas tudo vai se normalizar na semana que vem, já que eles vão ficar aqui de vez. Enfim... Como vai ser difícil você encontrá-los lá em casa, a oportunidade perfeita pra você conhecer os dois juntos pode ser amanhã de manhã, na saída da escola.
Liam – Na saída da escola? Eu pensei que poderia ser alguma coisa assim... Informal, sabe?
Chelsea (sorrindo) – Eu sei, eu sei. Mas é que eles vão resolver umas coisas aqui amanhã e... Sei lá, é uma oportunidade perfeita, já que meus pais estão doidos pra te conhecerem. E o horário da saída é bem informal.
Liam (ergue as sobrancelhas) – Sério?
Chelsea – Sim, não é formal.
Liam – Não, eu quis dizer... Sério que seria uma oportunidade perfeita?
Chelsea – Sim.
Liam – Ok então.
Eles seguem caminhando, enquanto Liam transmite uma leve expressão de preocupação.
Corta para:
Hospital Memorial de Tudor – Int. Fim da tarde
Vemos Susan, mãe de Ethan, sentada numa cadeira, ao lado de uma mulher. Notamos que eles conversam.
Susan (com as pernas cruzadas) – Ah, não, eu só faço com a calda de chocolate. Lá em casa se eu fizer sem, meu marido dá ataque porque acha que o bolo ficou seco e meu filho não come.
Mulher – Mas aí, se você fizer o que eu disse, o bolo vai ficar molhadinho, sem precisar da calda.
Susan – Então tá. Vou experimentar assim que chegar em casa.
Nesse instante, elas olham para frente e avistam Ethan acompanhando Lucy. Os dois vêm caminhando pelo corredor. Susan e a mulher que está ao seu lado se levantam.
Mulher (à Lucy) – Lucy? / Susan (a Ethan) – Ethan. (falando ao mesmo tempo)
Susan e a mulher se entreolham, sem entender.
Lucy – Mãe!
Susan (olhando para Lucy) – Lucy? Que Lucy?
Ethan – Oi, mãe.
Mulher (estranhando) – Ethan?
Susan – Meu... Filho.
Mulher – A Lucy é minha filha. Aquela do acidente que te falei... (se dando conta/ cruzando os braços) E aposto que já ouvi o nome “Ethan” em algum lugar por aqui. (séria) Não é, Lucy?
Susan (constrangida/ cruza os braços) – Ah, sim... Claro.
Silêncio por alguns instantes.
Lucy – Mãe, deixa eu te apresentar oficialmente. Esse aqui é o Ethan. Ethan, essa é minha mãe, Agnes.
Ethan (esticando a mão) – Prazer.
Agnes permanece séria. Ethan abaixa o braço e põe a mão no bolso do casaco, sem jeito.
Agnes – E ele é o rapaz que te atropelou... (à Susan) E você é a mãe dele, claro.
Susan – Então...
Ethan – Olha, senhora... (comprimindo os olhos tentando se lembrar) Bitches.
Lucy (cochichando) – Bridges.
Ethan (piscando) – Bridges! Desculpa. Bridges. (pausa) Sim, fui eu o “marginal” que atropelou a sua filha, mas... Eu queria pedir desculpas à senhora e dizer que não sou um marginal.
Agnes – Por favor, pode me chamar de Agnes.
Susan começa a caminhar pelo corredor, sem jeito.
Ethan – Então, Agnes... Dona Agnes... Eu sei que eu fui imprudente, mas... Olha, eu me senti tão culpado com o que aconteceu... E eu me senti na obrigação de acompanhar a Lucy, sabe. Todos os exames, essas coisas... Eu tenho acompanhado, mesmo ela me dispensando várias vezes. Então eu queria pedir desculpas à senhora também. E pedir que me perdoe.
Agnes (olha para Ethan de cima a baixo) – Tudo bem. (olha para o lado)
Um médico se aproxima com uma prancheta nas mãos.
Agnes – Doutor Calvin!
Dr. Calvin – Dona Agnes, como vai? Susan... (Susan sorri)
Agnes – Bem. (olhando Ethan de canto de olho) Apesar de ter conhecido o atropelador da minha filha, estou bem.
Susan (aproximando-se) – Como assim “apesar”?
Dr. Calvin – Bom, quero comunicar que sua filha já está de alta. Peço que volte com ela daqui a um mês para retirar o gesso e realizar mais alguns exames. Dependendo do resultado da recuperação, devo pedir que ela faça uma fisioterapia. Mas isso só verei mais pra frente. Alguma dúvida?
Agnes – Não, doutor. Muito obrigada pela paciência. E por tudo.
Dr. Calvin – Tudo bem. Lucy, só espero que siga à risca todas as recomendações.
Lucy – Pode deixar, doutor. Eu seguirei tudo direitinho.
Dr. Calvin – Ok, se me dão licença...
Calvin sai e olha para Susan. Ele acena com a cabeça e dobra o corredor.
Susan (à Agnes) – Olha, Agnes...
Agnes – Vamos Lucy. (olha para Susan e Ethan) Estou perdendo a novela.
Agnes sai caminhando pelo corredor e Susan abre a boca, pasma.
Lucy – Desculpa pela minha mãe. Ela ainda está um pouco arrasada, mas vai passar. Eu conheço ela. Vai passar.
Ethan – Assim eu espero.
Lucy – Olha, Ethan. Obrigado. Obrigado por ter passado todo esse tempo vindo aqui me visitar. (sorri) Obrigado por tudo mesmo.
Lucy abraça Ethan com apenas um braço, por causa do gesso no outro.
Susan – Bom, já que você já recebeu alta, não tem o porquê de estarmos aqui. Vamos, Ethan?
Eles terminam o abraço.
Ethan – Vamos. (à Lucy) Te vejo na escola?
Lucy sorri e afirma com a cabeça. Ela segue pelo mesmo caminho que sua mãe seguiu.
Susan (sorrindo) – É uma boa menina. (puxando uma das orelhas de Ethan) E você tinha que atropelar ela? Tinha?
Ethan (inclinando-se) – Ai, mãe! Tá doendo! Ai, ai, ai, ai!
Susan (solta a orelha dele/ séria) – Agora a mãe dela me odeia, e com razão! O carro do seu pai ainda está destruído e ele está uma fera. E com razão!
Ethan (passando a mão na orelha) – Foi mal, mãe.
Eles seguem para o outro corredor, calados.
Corta para:
Rua Qualquer – Ext. Fim da tarde
Leo e Aiden caminham conversando, enquanto algumas pessoas passam por eles.
Leo – Mas e aí, como vão as coisas com a Hanna?
Aiden – Vão bem.
Leo – É... Vocês têm saído e se divertido bastante, não é?
Aiden – É...
Leo – Eu tenho reparado que ela fica bastante empolgada quando está com você. (Aiden sorri) Se deu bem, hein garanhão. Desde o dia que você a trouxe aqui, não se fala em outra coisa. Já sabe, né? Já tem um monte de gente de olho nela. Ela é a maior... (Aiden o encara seriamente) Gata. Com todo o meu respeito, cara. (pausa) Já deu uns “amassos” nela?
Aiden – Claro. (sério) Que não...
Leo (surpreso) – Aiden!
Aiden – Não sei, sei lá... Poxa.
Leo – Nem uns beijos por aí?
Aiden coça a cabeça e põe as mãos no bolso do casaco.
Leo – Mas você é muito lento, hein! Vocês estão saindo há bastante tempo. O que, cerca de um mês? Dois?
Aiden – Mais ou menos isso.
Leo – Dois meses?
Aiden – Um.
Leo – Pelo amor de Deus. Sorte a sua é que ela está sempre com o brilho nos olhos quando te vê. Porque senão já era pra ter dado adeus.
Aiden – Olha, já te falei que não sou do tipo garanhão.
Leo – Mas não tem nada a ver com isso, cara. Se liga, até um tímido que não fala nada, já teria beijado aquele avião!
Aiden – Ei!
Leo – Com todo o meu respeito, claro. (pausa) Aiden, só vou te dar um toque. Ouça a voz da experiência, que nesse caso sou eu. Cara, se você demorar demais, ela vai acabar perdendo a expectativa e vocês vão acabar virando amiguinhos.
Aiden – Amiguinhos?
Leo – Vai por mim, cara. Depois ela vai começar a te contar sobre detalhes de como ela fez o cabelo, de que cor ela pintou as unhas, vai te pedir opinião sobre sapatos... E quando essa hora chegar, já era. Você virou o principal confidente dela. Sem contar que ela vai arrumar outro e vai começar a te contar detalhes das “ficadas” dela por aí. (pausa) Bom, agora deixa eu ir lá, porque vai um bando de pirralhos lá pra casa. E se cuida, hein! Doido!
Leo dá um tapa no ombro dele, seguindo caminho. Aiden para, pensativo.
Corta para:
Casa de Leo – Int. Fim da tarde
Leo e Liam estão na sala, sentados no sofá. A TV está desligada e eles a encaram.
Leo – E...?
Liam – Eles já estão chegando.
Leo – Você quer que eu mate esse tal de Brick?
Liam – Pai...
Leo – Ele te irrita e eu o elimino como uma bomba atômica. Topa?
Liam – Não preciso que meu pai compre meus problemas.
Leo – Tá me dispensando assim?
Liam – Não. É que você já tem os seus problemas e não quero te ocupar com os meus. E outra, eles virão, faremos o trabalho e então irão embora. Oi e tchau. Só isso, mais nada.
A campainha toca e Leo se levanta.
Liam (levantando-se em seguida) – Aonde você vai?
Leo – Não sei se você ouviu, mas tocaram a campainha.
Liam – Sim, eu ouvi.
Leo – Então, quando aquele dispositivo eletrônico é acionado através do botão que se encontra lá fora, significa que o indivíduo que se encontra dentro da casa tem que se dirigir à porta e abri-la.
Liam – Ok, mas deixa que eu vou.
Leo – E por que não disse antes?
Liam – Ótimo discurso, a propósito.
Leo se senta no sofá novamente, enquanto Liam vai até a porta e a abre. Vemos Brick com alguns livros na mão, enquanto Josh se coça.
Liam – São vocês!
Brick (olhando ao redor) – É, somos nós.
Liam – Foi fácil de achar?
Brick – O que, a roça que você mora? Foi fácil sim. Foi só virar à primeira direita no feno e pegar à segunda esquerda no pasto após pedir informação pra uma das vacas. (Liam gira os olhos e Leo se aproxima) Segui reto pela estrada de lama e achei o seu celeiro. Ei, por que tirou a camisa xadrez de flanela?
Brick ergue uma das mãos para Josh, que bate nela, comemorando. Eles sorriem.
Leo – Olá, rapazes.
Brick – E quem é esse?
Liam – Meu pai.
Josh (se coçando) – Brick, mosquitos.
Brick (arregala os olhos) – Seu pai?
Liam – Sim, meu pai.
Leo – O pai dele. E você é o...?
Brick – Brick.
Leo (arregalando os olhos) – O famoso Brick!
Brick (a Leo) – Já te vi pelo colégio antes. Pensava que você fosse irmão mais velho do Foley, mas... Nunca tive como perguntar.
Josh (abanando, como se estivesse espantando algo no ar) – É porque o Brick e o seu filho não se dão bem. Brick, mosquitos.
Leo – Parem de frescuras, garotos. Entrem.
Eles entram, enquanto Leo e Liam se entreolham.
Josh – Quando você falou da estátua do cara com a cabeça de cavalo...
Liam – Eu realmente estava falando a verdade.
Brick (olhando ao redor) – Sei... Acabou que nós nos perdemos e acabamos na praça. Daí foi fácil achar.
Leo – Bom, vocês vieram fazer o trabalho, certo? Preferem se sentar aí na mesa de centro ou na mesa da cozinha?
Josh – Na cozinha.
Brick – Não, aqui.
Josh (cutucando Brick com o cotovelo) – Na cozinha, cara.
Brick (põe os livros em cima da mesa) – Aqui a gente fica à vontade.
Josh – Mas é na cozinha que está a comida, cara.
Brick – Josh!
Os dois se sentam. Leo e Liam se entreolham.
Leo – Rapaziada... Se precisarem de mim, é só chamar. (fazendo um sinal) Liam...
Leo começa a andar em direção à cozinha e Liam o acompanha, enquanto Brick e Josh começam a folhear os livros. Corta para a cozinha.
Leo – Não está faltando um?
Liam – Ah, sim, o Ethan está vindo do hospital e já tá chegando.
Leo (cochichando) – Ok, é o seguinte: é pra usar o banheiro de baixo e nada de subir com eles.
Liam (cochichando) – Óbvio.
Brick (em off) – Tá demorando, Foley!
Liam (gritando) – Já tô indo!
Leo (cochichando) – Por que ele fica te chamando de Foley?
Liam – Coisa dele. Não esquenta com isso não.
Leo – Ok, só isso. Qualquer coisa me chama. Vou ler o jornal na varanda aqui de trás.
Liam – Aproveita e vai na garagem fazer o que eu te pedi ontem. Ah, e conserta o varal aí de novo.
Leo – Tá bom... Até parece!
Leo abre a porta da cozinha e leva um susto, quando Ethan entra às pressas.
Ethan (correndo) – E aí, Leo? (sai em direção à sala)
Leo e Liam se entreolham. Liam dá de ombros, vira-se e volta para a sala.
Corta para:
Sala da casa de Leo – Int. Noite
Vemos Liam, Ethan, Brick e Josh sentados, escrevendo algo. Ao lado deles, há um prato com restos de comida.
Brick – Bom, estamos quase acabando.
Josh (se coçando) – Ainda bem.
Liam – Para de frescura, Josh!
Brick – Não sabia que tinha desenvolvimento humano nessa cidade. Saudade da civilização.
Ethan – Hey, Josh, onde você estava hoje de manhã, que não estava na aula quando os grupos foram forçadamente escolhidos?
Josh (olha rapidamente para Brick) – Por aí, cara.
Josh ergue a mão e Brick bate. A campainha toca.
Liam (se levanta) – Eu abro.
Brick – Claro! Você é o dono da fazenda, ora.
Brick ergue as mãos e Josh bate. Os dois riem e continuam a escrever. Liam olha para Ethan e abre os braços levemente. Ele segue até a porta.
Liam (arregalando os olhos) – Chelsea?
Chelsea – Esqueceu de mim?
Liam (coçando a cabeça) – Me desculpa.
Chelsea – Eu tô te ligando e nada.
Liam – Meu celular deve estar descarregado. E eu fiquei de ir na sua casa. Me desculpa, é que... Entra.
Chelsea entra e tira o casaco, enquanto Liam fecha a porta.
Liam – É que o trabalho atrasou e eu ainda estou com os chatos aqui.
Chelsea – Oi, pessoal.
Ethan – Oi.
Brick e Josh apenas olham e continuam a escrever. Chelsea e Liam se entreolham e ela dá de ombros. Leo chega.
Leo – Quem é? Ah! Oi, Chelsea. Tudo bem?
Chelsea – Tudo e você?
Leo – Bem.
Liam – Então, pai. Ela veio aqui, pra eu te apresentar oficialmente como... Minha namorada. (Brick e Josh erguem a cabeça rapidamente)
Leo – Opa... Que bom. Seja bem-vinda à família! (Liam balança a cabeça negativamente) Eu acho. O que foi, Liam?
Liam – Nada.
Brick – O Foley tá namorando?
Josh – Acho que sim.
Brick – Foley, você tá namorando?
Liam (embaraçado) – Sim, não tá vendo?
Brick – Quero ter uma conversa com você depois.
Liam – Brick...
Brick – E vem logo terminar essa porcaria de trabalho idiota.
Liam olha para Leo e Chelsea e logo volta a sentar-se com eles.
Corta para:
Bronx High – Ext. Tarde Seguinte
Imagem mostra a movimentação na saída dos alunos. Vemos Liam caminhando de mãos dadas com Chelsea. Eles saem sorrindo e conversando. Liam olha para frente e avista seus avós. Ela para num baque.
Liam – Vô? Vó?
Kelly – Liam! Viemos lhe fazer uma surpresa.
Liam (sorrindo forçadamente) – E que surpresa! (sem jeito) Chelsea, esses são os meus avós, Grayson e Kelly. Avós, essa é a Chelsea. Minha... Namorada.
Grayson a olha de cima a baixo, enquanto Kelly a cumprimenta.
Kelly – Muito prazer.
Chelsea – Prazer.
Liam – Bom, tenho que ir.
Grayson – Aonde você vai?
Liam – Os pais dela estão ali do outro lado da rua me esperando. Vou conhecê-los hoje.
Kelly – Na minha época, jantares eram feitos e o rapaz, no caso o seu avô, ia pedir a minha mão para o meu pai, que Deus o tenha, para depois começar a me namorar.
Grayson – Ok, Liam. É que na verdade, viemos falar com o Leo. Digo, com seu pai.  Viemos, digo... Eu vim pra falar com o seu pai. Ele está por aí?
Liam – Ele não vem sempre. Eu já sou grandinho e venho pra escola sozinho. Só de vez em quando ele me traz e me busca, mas é raramente de vez em quando, na maioria das vezes.
Grayson – Confuso. Sabe, Liam, é que eu queria me desculpar com vocês. Sobre o jantar.
Liam – Vô, o jantar já foi há duas semanas.
Grayson (coçando a cabeça) – É que só agora eu tive tempo de passar aqui e... Eu queria falar com ele, sabe. Desfazer esse mal-entendido.
Liam – E por que o senhor não ligou pra ele? É mais fácil e poupa tempo.
Grayson e Kelly se entreolham.
Liam – Agora, se me dão licença, tenho que ir.
Liam sai andando de mãos dadas com Chelsea. E a câmera os acompanha, enquanto atravessam a rua.
[música: “Coming Undone” – Highwater Rising]
Chelsea – Tá tudo bem?
Liam – Tá, é que... (passa a mão na cabeça) Meu avô gosta de evitar o meu pai e faz isso sempre que pode. Aí ele vem falar comigo, porque sabe que se for falar com meu pai, vai ter arranca-rabo. Mas hoje eu não tô a fim de ficar ouvindo historinha. Se ele quiser, fala direto com meu pai.
Chelsea – E a sua avó? Já adorei ela.
Liam – Ela é só companhia e não arruma problema. Não sai do lado do meu avô por nada e geralmente gosta de apaziguar as coisas. Manter a paz entre os dois lados, sabe?
Eles chegam onde os pais de Chelsea estão. Liam começa a ficar trêmulo.
Chelsea – Pai, mãe... Quero que conheçam o Liam.
Liam (voz trêmula) – Prazer, senhor e senhora Smith. (à Chelsea) Engraçado como isso soou, não? (Chelsea sorri)
Sra. Smith – Muito prazer, jovem rapaz!
Sr. Smith – Então você é o famoso Liam?
Liam (sorri/ engole seco) – Acho que sim.
O pai de Chelsea apoia seu braço no ombro de Liam e o puxa, caminhando para o lado.
Sr. Smith – Vem, vamos ter uma... Conversinha.
Os dois dão alguns passos. Liam que está sendo carregado, olha para trás com uma expressão de desespero.
FADE OUT
- - - - - - - - - - - - - - -
OPENING CREDITS
Starring:
Aiden Turner AS Leo Foley
Asher Book AS Liam Foley
Cameron Mathison AS Aiden Dixon
Chris Warren Jr AS Ethan Morgan
Jane Sibbett AS Monica Führ
Piper Perabo AS Emily Drewan
Kathy Bates AS Kelly Foley
Special Appearance:
Victor Garber AS Grayson Foley
Guest:
Robbie Amell AS Brick Hawkins
Kirby Bliss Blanton AS Chelsea Smith
Karyn Parsons AS Susan Morgan
Lori Loughlin AS Agnes
Caitlin Wachs AS Lucy
Dylan Walsh AS Dr. Calvin
Dilshad Vadsaria AS Julia Simon
Debra Mooney AS Sra. Grimes
Bobby Edner AS Josh
Rob Lowe AS Sr. Smith
Julie Benz AS Sra. Smith
Created by: Eduardo Avellar
Written by: Eduardo Avellar
Music Theme: "Where the Lines Overlap" performance by Paramore
Music end of episode: "Black Horse and the Cherry Tree" performance by KT Tunstall
Soundtrack:
"Looking for a Reason" – Paul Trudeau
"When I Look to the Sky" – Train
"Don’t Phunk With My Heart" – The Black Eyed Peas
"Coming Undone" – Highwater Rising
END CREDITS
FOLEY BOYS™ 1x13: LET’S FACE IT
©COPYRIGHT 2011 - ALL RIGHTS RESERVED
Relacionados

0 comentários: