0:00 min       FOLEY BOYS     SÉRIE
49:00 min    

WEBTV APRESENTA
FOLEY BOYS


Série de
EDUARDO SOARES DE AVELLAR


Episódio 08 de 21






FADE IN
Rua qualquer – Ext. Manhã
[música: “Maybe it’s Just Me” – Butch Walker]
Imagem abre deslocando-se pela rua, acompanhando Liam e Ethan. Ambos estão em suas bicicletas e vêm pedalando lentamente pelo meio da rua. Há movimentação de algumas pessoas na rua, e notamos que todos usam casacos e toucas. Algumas pessoas também usam luvas.
Liam – Aí ela tava lá toda risonha, sei lá.
Ethan – Mas você disse que ela não te viu.
Liam (irritado) – Porque tava ocupada demais abraçada com o babaca. Tinha que ver. Ela tava tão “encantadinha”, que nem me viu. Só faltou o brilho nos olhos em formato de estrelinha e o coração saltitar pra fora da caixa torácica. Ah, e eu já falei que ela também tava soltando risinhos pra lá e pra cá?
Ethan (erguendo as sobrancelhas) – Já, você já disse. Mas por onde ela passou? Do seu lado, pelo meio da rua... Do outro lado da rua...?
Liam – Pelo outro lado da rua, ora.
Ethan – Ok... Vai ver ela... Ela tava distraída. Pior seria se ela tivesse andando abraçada com ele pelo meio da rua. Eles correriam o risco de serem atropelados por um caminhão ou algo. Se bem que aqui quase não passa caminhão, a não ser o de lixo. Mas poderia ser uma simples bicicleta. E se ela tivesse passando do seu lado, com certeza teria te visto.
Liam – Ela e aquele bobão... Nada a ver!
Ethan – Liam, posso te falar uma coisa? (eles chegam à porta da lanchonete)
Liam – O que?
Ethan – Bobão é você. (os dois saem das bicicletas)
Liam (surpreso) – Eu? Mas por quê?
Ethan – Você tá desde quinta-feira falando a mesma coisa e isso irrita. Não se fala mais em outra coisa, a não ser a Chelsea. Vira o disco!
Eles encostam suas bicicletas na parede e começam a caminhar lentamente.
Liam – Shhh, alguém pode te ouvir! A cidade é pequena, poxa.
Ethan – Fui na sua casa ontem pra jogarmos Playstation e você sempre perdia. E por quê? Porque tava pensando nela ao invés de se concentrar no jogo.
Liam (os dois param na porta da lanchonete) – Eu não curto Resident Evil.
Ethan – Porque a gente tava jogando GTA. (Liam arregala os olhos) Eu também levei alguns CDs pra ouvirmos e falar mal de algumas bandas e você tava todo “tanto faz”. Poxa, eu só tô ouvindo você reclamar, reclamar...
Liam – Desculpa se eu tô com um problema sério.
Ethan – Olha, foi mal, mas eu tive que dizer. E eu só fiz isso pra ver se você toma vergonha nessa cara e cria coragem pra tomar uma atitude.
Liam – Tá bom... Mas e você?
Ethan – Eu o que?
Liam – Você também vai ter que tomar uma atitude em relação à Ashley.
Ethan – Eu sei, pode deixar. Amanhã na escola eu dou um jeito.
Liam – E por falar em escola...
Ethan – Já terminei a matéria que me pediu. Faltam apenas alguns ajustes.
Liam se aproxima da porta e olha lá pra dentro.
Liam – Meu pai tá aí, vamos.
Os dois entram na lanchonete. Imagem sobe e pega o letreiro “Dixon’s”.
[música cessa]
Corta para dentro da lanchonete. Câmera passeia pelas mesas, onde há alguns clientes comendo. Imagem para numa mesa reservada, localizada no canto, onde Aiden utiliza uma calculadora, enquanto faz suas anotações eventuais. Leo está sentado de frente para ele, com uma folha de ofício nas mãos.
Leo – Mas ficou bonito. Fala aí. Ele tem ou não tem o dom?
Aiden (anotando algo) – Você está atrapalhando.
Leo – Eu fiquei muito bonito nesse desenho que ele fez. Digo, eu fiquei mais bonito no desenho que ele fez. Eu me pegaria. (Liam e Ethan chegam)
Liam – Oi.
Aiden (soca a mesa/ sem tirar os olhas das anotações) – Pronto, mais um!
Liam – “Mais um” o que?
Leo – Ele disse que eu estou atrapalhando.
Liam – Meu pai não atrapalha. E nem eu.
Ethan – E nem eu.
Aiden – E agora são três... (Liam e Ethan se sentam, completando a mesa)
Leo (a Liam) – Eu vim mostrar, digo, exibir e tirar vantagem do desenho que você fez da minha linda face. Acho que ele está com inveja, já que não tá dando atenção. Deve estar se mordendo por dentro, por não ter um filho igual a você. (a Aiden) Mas este aqui, companheiro, fui eu que fiz.
Aiden – Dane-se!
Liam – Pai, o que eu falei sobre meus desenhos?
Leo – O que?
Liam – Pra você não mostrar pra ninguém. Você sabe que eu tenho vergonha.
Leo – O Aiden é amigo.
Liam – Aí depois toda a cidade vai ficar sabendo.
Leo – Não vai não. Só vim mostrar pra ele, que está fingindo desinteresse.
Liam – Pai, você notou que ele está fazendo contas sérias?
Leo – Achei que ele estivesse estudando pro teste de matemática.
Liam – Acho que as contas devem ter algo a ver com a lanchonete.
Leo (olhos arregalados/ fingindo surpresa) – Caramba! Nem tinha percebido.
Ethan – E acho que ele está ficando irritado.
Aiden (ainda encarando os papéis/ irônico) – Você acha mesmo?
Ethan – Sim. Você tem duas das principais características. A primeira é que você está sacudindo as pernas por debaixo da mesa.
Notamos a mesa parar de tremer.
Ethan (continuando) – E está com a cara inchada devido ao estresse.
Aiden solta o lápis na mesa e encara Ethan, como se tivesse fuzilando-o com os olhos.
Ethan – E além dessas, tem uma terceira característica, que é essa aí.
Leo e Liam – Qual?
Ethan – Ele tá me encarando rancorosamente, doido pra me matar ou apertar o meu pescoço.
Aiden permanece encarando e respirando fundo.
Ethan (olhando para Aiden) – E... Pessoal, é melhor eu esperar lá fora.
Ethan se levanta e sai apressado.
Aiden – Bom, Leo, a princípio de conversa, eu não estou dando a mínima pro esboço do desenho da sua cara.
Leo e Liam – Esboço?
Aiden – Esboço!
Liam – Ei, modéstia à parte está bom, viu?
Aiden – Sim, eu sei. É que vocês me irritam.
Leo – Assim você até nos ofende.
Aiden – E outra, eu não tô estressado.
Leo (cruzando os braços) – Ah, não?
Aiden – Não.
Leo – Então como explica a sua cara inchada. “Cara” não, as bochechas, pra ser bem específico.
Liam – Estranho. Quando eu me irrito, geralmente as veias da testa saltam.
Leo – Que coincidência! As minhas também!
Aiden – Eu não tô estressado, só estou com dor de dente.
Leo (estranhando) – Dor de dente?
Aiden – Sim. Eu acho que comi muita sobremesa aquele dia lá na sua casa.
Liam – Mas isso foi quinta-feira.
Emily (se aproximando) – Olá, rapazes.
Aiden – E agora são quatro.
Liam – Não, ainda são três. O Ethan está lá fora com medo de você.
Aiden – Certo.
Emily – O que houve?
Leo – O Aiden está com dor de dente desde quinta-feira.
Emily – Jura?
Aiden – É, mas é só um pouquinho.
Emily – Tem que ver essa coisa, hein.
Aiden – Eu sei, pode deixar.
Emily – Já procurou um dentista?
Aiden (levantando-se da mesa) – Pode ficar tranquila, mãe.
Aiden recolhe suas coisas da mesa e segue para o balcão. Emily se senta no lugar em que ele estava.
Emily – Eu, hein. (repara na folha que está nas mãos de Leo) O que é isso aí?
Leo olha para Liam, que cruza os braços.
Leo – Ah, isso aqui?  Não... Nada. É só uma coisa que o Aiden me deu. Bobeira.
Liam (sério/ encarando Leo) – Bom, eu já vou indo.
Liam se levanta, toma o papel das mãos de Leo e sai.
Emily – O que houve? Vocês brigaram?
Leo – Não, que isso... (desconversando) Bom, e como foi o feriado?
Emily – Mais ou menos.
Leo (juntando as mãos/ sem jeito) – Eu... Desculpa, mas... Não dá mais pra segurar, eu tenho que falar isso pra você.
Emily (curiosa) – Falar o que?
Leo – Eu tava passando de carro e tive a impressão de ter visto o Chip por aqui. (Emily abaixa a cabeça) O que houve?
Emily – Não, nada... Ele só veio querendo conversar comigo. Só isso.
Leo – E tá tudo bem?
Emily – Tá. (pausa) Nós ainda nem conversamos, na verdade.
Leo – Ah, sim.
Emily – Tipo, eu fiquei de ligar pra ele. Mas ainda não é o momento. Pelo menos é o que eu acho.
Leo – Sim, digo, ele pensou que vocês iam se casar, mas vocês romperam na noite do não-noivado. É natural você ainda não querer falar sobre isso.
Emily – Não é “não querer falar sobre isso”. Tá mais pra “não estou preparada pra encarar” do que pra “não querer falar sobre isso”.
Leo (coçando a cabeça/ sem jeito) – Olha... Eu entendo seu ponto de vista, mas... É natural que ele procure algumas respostas, não acha?
Emily (olhando para o nada/ distraída) – Eu sei. (pausa) Eu vou ligar pra ele.
Câmera enquadra os dois, um de frente para o outro, sem se olhar.
FADE OUT


  
FADE IN
Cozinha da Casa de Leo – Int. Tarde
Leo está sentado à mesa, tomando um suco. Entre um gole e outro, olha para o nada. Liam se aproxima com uma caixa nas mãos.
Liam – Chateado com alguma coisa?
Leo – Não, não. Só estou aqui pensando. Por quê?
Liam (sentando-se) – Não, nada.
Leo – Essa aí é aquela caixa dos seus desenhos que nós achamos?
Liam – É. Sabe, eu decidi que vou voltar com tudo pros meus desenhos.
Leo – Isso, faz isso mesmo. Aproveita bem o dom que você tem.
Liam – É... Vai me ajudar a passar o tempo.
Leo – E eu só não entendo duas coisas.
Liam – O que?
Leo – Por que você tem vergonha de mostrar os seus desenhos e por que anda com essa caixa pra cima e pra baixo?
Liam – “A”, porque eu não gosto de mostrar. Sei lá, alguém pode pensar que eu sou um exibido. E “b”, nessa caixa tem alguns desenhos antigos e às vezes eu os pego pra ter inspiração.
Leo – Ainda em dúvida. “A”, por que essa agora de ligar pro que os outros pensam? E daí se te acharem um exibido?
Liam – Eu não gosto.
Leo – E “b”... Esquece, não tem um “b” dessa vez. (pausa/ telefone começa a tocar) Mas se fosse eu, faria questão de mostrar meu trabalho e ser reconhecido por isso.
Liam (levantando-se/ indo em direção à sala) – Mas eu não gosto!
Leo fica sozinho na cozinha. Ele puxa a caixa que Liam deixou e a abre. Telefone para de tocar. Leo passa o dedo entre os papéis que estão na caixa e pega três papéis menores. Percebemos que se trata de algumas fotos e Leo fica surpreso.
Liam (volta/ entregando o telefone) – Pra você.
Leo (mostrando-lhe as fotos) – O que é isso?
Liam permanece estático, enquanto Leo pega o telefone e atende.
Leo – Alô? (Liam se senta)
Aiden (off, tel) – Cara, você não sabe!
Leo – Carmen Electra está na cidade?
Aiden (off, tel) – Não, melhor!
Leo – Jennifer Aniston?
Aiden (off, tel) – Já parou com a palhaçada?
Leo – Desculpa.
Aiden (off, tel) – Liguei pra Mary Ann.
Leo – Quem diabos é Mary Ann?
Aiden (off, tel) – Aquela que me deu o telefone enrolado numas notas de dinheiro...
Leo (lembrando-se) – Ah, sim... E aí?
Aiden (off, tel) – Primeiro ela reclamou, dizendo que eu demorei muito pra ligar... Claro, já faz um mês. Mas, como ela não resistiu à minha beleza e ao meu carisma, ela topou sair comigo hoje à noite.
Leo – Nada modesto, hein, camarada!
Aiden (off, tel) – Mas foi ela que disse isso de mim. Eu liguei e praticamente não disse nada. Ela que começou a falar e quando dei por mim, só estava concordando.
Leo – Claro, quem vai discordar de um elogio?
Aiden (off, tel) – Pois é... Mas cara, vai ser meu primeiro encontro depois da Jen. Que máximo!
Leo (comemorando) – Yey!
Aiden (off, tel) – Bom, só liguei mesmo pra te botar uma inveja.
Leo – Inveja? Inveja de quê? De ficar 1 ano sem sexo? Cara, como você consegue?
Aiden (off, tel) – É a revanche do desenho de hoje cedo. E eu não estou 1 ano sem sexo.
Leo – Ah, não?
Aiden (off, tel) – Não.
Leo – Então diz com quem você teve encontros nesse meio tempo?
Aiden (off, tel) – Ah, tive uns encontros aqui e ali. Quer saber, nem devia ter te ligado!
Leo – Ah, bobão. Depois a gente se fala e você me conta. (pausa) Abraço, tchau!
Leo desliga o telefone e apoia os braços cruzados sobre a mesa.
Leo – Bom, vai me contar o que significa isso?
Liam – São fotos impressas num pedaço de papel.
Leo – Liam...
Liam – Tá bom, eu falo. Essas fotos vieram dentro da caixa.
Leo – Por isso que você anda com a caixa pra cima e pra baixo?
Liam – Não, eu já falei que é por causa dos desenhos.
Os dois ficam em silêncio por alguns instantes.
Liam – Tem falado com ela?
Leo (rápido) – Não.
Liam – Nunca?
Leo – Talvez.
Liam – Talvez quando?
Leo – Não sei.
Liam – Ela tem ligado?
Leo – Não, a sua mãe não tem ligado.
Leo se levanta e segue para a sala. Liam vai atrás.
Liam – Nem um pouquinho?
Leo (põe o telefone de volta à base) – Por que o interesse nisso agora?
Liam – Não sei. Eu só queria saber.
Leo se senta ao sofá e pega o jornal, que está na mesa de centro, e o abre. Ele permanece com as fotos na mão.
Leo – Eu não quero falar sobre isso. Pelo menos não agora.
Liam (sério) – Por que você é assim? (senta-se ao lado de Leo)
Leo – “Assim” como?
Liam – Sempre que tocam num assunto delicado, você não gosta de falar sobre isso na hora. Parece que foge de alguma coisa, não gosta de encarar algo de frente. É estranho isso.
Leo – E você? Você é igualzinho! Não pode falar nada.
Liam – Bom, parece que isso é hereditário.
Leo (abaixando o jornal/ suspira) – Tá bom, Liam. Sobre o que quer falar? Sobre como a sua mãe te largou?
Liam – Não. Eu só queria saber se ela tem falado com você, se vocês ainda mantêm contato. É só isso. E saber se... Se ela... Saber se ela falou de mim alguma vez. É tudo.
Leo – Ok... (põe uma perna dobrada em cima do sofá, ficando de frente para Liam) Durante a sua infância ela ligou... Pelo menos algumas vezes por ano, mas a frequência foi diminuindo.
Liam (triste) – E por que não me deixou falar com ela?
Leo – Liam, ela que não quis falar com você, ok?
Liam (com os olhos marejados/ voz trêmula) – Ah, e agora... Eu... O que? Fui um fardo pra ela?
Leo (põe o jornal de volta na mesa de centro) – Tá vendo? Por isso que eu não queria falar sobre isso. Eu não gosto de te ver assim.
Liam – Não, tudo bem. (pausa/ olha para cima por alguns instantes) Eu sei que ela foi correr atrás de uma banda e se achava nova demais pra me ter... Mas... Sei lá. Nem um “oi cachorro”?
Leo (abraça Liam) – Cara... Ela não foi correr atrás de banda nenhuma. Isso foi pilha minha e... Ela só não estava preparada pra te ver na época. Só isso. Mas ela sempre perguntou de você.
Eles terminam o abraço e Liam enxuga as poucas lágrimas.
Liam – Não pai, esquece. Olha, tá tudo bem. (Leo encara Liam) Mesmo! Eu só guardei essas fotos porque eu queria ter pelo menos essa lembrança dela, de como ela era. Desculpa ter escondido de você.
Leo – Não, tudo bem. Desculpa eu ter escondido essas fotos. Mas tenta entender o meu lado.
Liam – Eu sei, você queria evitar... Isso.
Os dois ficam em silêncio por um breve momento.
Leo (dando dois tapinhas no ombro de Liam) – E então, estamos bem agora?
Liam – Aham. Posso ficar com as fotos?
Leo (escondendo-as atrás de si) – Pra que? Quer se torturar? Quer mesmo ficar se perguntando “Por que ela fez isso comigo?”.
Liam – Pai, não é bem assim.
Leo – Aí depois você vai ficar depressivo, vai criar um ódio dentro de você e logo vai me odiar também... E a última coisa que eu quero é que você fique com ódio mortal de mim.
Liam (sorri) – Que viagem!
Os dois riem. Leo entrega as fotos a Liam.
Liam (afastando as mãos de Leo de volta) – Pensando bem... É melhor você ficar com elas. (Os dois sorriem)
Corta para:
Casa Desconhecida – Ext. Noite
Vemos Aiden, caminhando acompanhado de uma mulher. Eles andam por um caminho de pedras, que vai em direção à porta.
Aiden – Sinceramente?
Mulher (sorri) – Sim, adoraria saber a sua opinião.
Aiden – Odiei o restaurante. (Os dois riem)
Mulher – A comida não era lá aquelas coisas que eles disseram no panfleto.
Aiden – Nossa, nunca mais eu volto lá.
Mulher – Nem eu!
Os dois chegam à porta e param. Eles ficam de frente, um para o outro.
Aiden – Bom, Mary Ann... Apesar do restaurante ter uma comida péssima, eu curti muito nosso passeio.
Mary Ann – E eu adorei a noite de hoje.
Aiden – Jura?
Mary Ann – Claro! Apesar de você estar com as bochechas inchadas... (os dois riem e se aproximam) O restaurante era péssimo, mas... Compensa o gato que estava comigo lá.
Aiden (sem-graça) – Que isso. (ri)
[música: “Warning Sign” – Coldplay]
Eles se aproximam e vão falando baixinho.
Mary Ann – Sabe, aquele dia lá na lanchonete... Quando eu entrei e te vi ali... Com aquele lápis na orelha... (Aiden sorri, mas comprime os olhos por causa da dor) E eu tava toda boba porque minhas amigas me encorajaram a falar com você, então eu fui lá... Até que você me esbarrou. E eu te juro que não sabia nada do telefone. Elas me pregaram uma peça.
Aiden – E uma das bem pregadas.
Eles tocam os lábios e vão se beijando lentamente. Aiden a abraça, mas comprime os olhos novamente, por causa da dor. Ele interrompe o beijo.
Mary Ann (desapontada/ sorrindo) – O que foi?
Aiden (com a mão em uma das bochechas) – Não, é que... Eu tô com dor... E o beijo...
Mary Ann – Desculpa.
Eles se afastam e ficam um tempo calados.
Mary Ann – Não quer... Entrar?
Aiden (coçando a cabeça) – Eu? Entrar?
Mary Ann – É... Podemos fazer outras coisas que não envolvam beijo.
Aiden – Mas o beijo é base pra tudo.
Mary Ann (desapontada) – Ok. Você não está bem, não é?
Aiden – Não é que eu não queira, mas...
Mary Ann – Entendo. Olha, então... Me liga quando você se sentir à vontade. Ou se você se sentir à vontade.
Aiden – Ok...
Ela tira a chave da bolsa e destranca a porta.
Mary Ann – E se cuida!
Ela entra e fecha a porta devagar. Ele ergue a mão, dando um leve aceno, sorri de canto e vai embora.
Corta para:
Quarto de Liam – Int. Noite
Música anterior continua a tocar. Vemos Liam guardando a caixa em baixo de cama. Ele se senta em cima da mesma e fica um tempo olhando para o nada.
Corta para:
Quarto de Leo – Int. Noite
Leo está sentado na cama, olhando as fotos, mas não vemos de quem se trata. Ele apoia as fotos em seu colo, olha para o nada e suspira.
[música anterior cessa]
Corta para:
Bronx High – Ext. Manhã Seguinte
Há movimentação de vários alunos chegando. Vemos um ônibus escolar parado em frente ao prédio. Um pouco mais a frente, vemos o carro de Leo parando atrás de outro carro. Corta para o interior do carro de Leo.
Leo – Tenha um bom dia.
Liam sorri, abre a porta e sai do carro. Leo olha para frente e avista Julia acompanhada de uma adolescente. Elas parecem discutir. Leo sai do carro e segue caminhando em direção a elas. Vemos a menina sair furiosa, deixando Julia para trás. Leo se aproxima.
Leo – Hey!
Julia (surpresa) – Oi... Tudo bem?
Leo – Tudo ótimo. E você?
Julia – Passando por uns momentos... Digamos que complicados com a Amy, mas fora isso tudo bem.
Leo – Alguma coisa em que posso ajudar? Digo, eu só tenho experiência com o meu filho, que deve ter a idade dela, mas... Na verdade eu não sei como as coisas funcionam com garotas. (Julia sorri) Sabe como é, né? Hormônios...
Julia – Sei, sei... Mas pode deixar que está tudo sob... Controle. Aparentemente.
Leo – Ok.
Julia – Bom, então... Acho que já vou. Tenho que terminar a caçada.
Leo – Caçada?
Julia – É... Eu tô caçando um lugar pra comprar frutas, legumes, verduras... Essas coisas que os adolescentes odeiam. Enfim, o mercado lá perto de casa está em obra e eu não tenho a mínima vontade de comprar essas coisas cheias de poeira...
Leo – Sei, restos de obra.
Julia – Isso, restos de obra. E o impressionante é que eles não fecham pra não perderem a clientela.
Leo – E vendem as coisas sujas do mesmo jeito... Bom, se você quiser, eu tô indo pra casa. (Julia faz cara de confusa) Não, eu digo... Tem um mercadinho aqui perto... Digo, perto da minha casa, na verdade. Posso te dar uma carona se quiser. Soou estranho. Desculpa.
Julia (olhando ao redor) – Ok. (pausa) Vamos então?
Leo – Ok. Vamos.
Eles caminham em direção ao carro. Corta para outro ponto do exterior do colégio. Vemos Liam caminhando com sua mochila nas costas. Ele ajeita sua touca e desvia de alguns grupos. Ele olha para o outro lado da rua e vê Chelsea abraçando um garoto, como se despedisse. Ela ajeita seu casaco, avista Liam e acena, sorridente. Liam fecha a cara e segue andando depressa.
Corta para:
Mercadinho – Ext. Manhã
Vemos o carro e Leo parar rente à calçada e ouvimos o motor sendo desligado. Corta para o interior do mesmo.
Leo – Pronto, está entregue.
Julia – Olha, muito obrigada mesmo.
Leo – Não tem de quê. E já sabe como vai fazer pra ir embora?
Julia – Sim... (tentando lembrar-se) Pego a Rua Cypress... Certo? (Leo afirma com a cabeça) Que é aqui do lado, e tem um ponto de ônibus mais à frente. Ok. Viu, eu sei.
Leo – Pronto, com isso você já sabe andar na cidade.
Julia (rindo) – Bobo. Mais uma vez, obrigada.
Julia sai e fecha a porta. Ela caminha até a porta do mercado e toca na maçaneta para abrir a porta, mas ouve duas buzinadas. Ela para, olha pra trás e volta.
Julia – Sim?
Leo (de dentro do carro) – Sabe, eu... Tava pensando em te chamar pra dar uma volta. Outro dia, quem sabe... Mas só se você não tiver nada pra fazer. Sabe, esfriar a cabeça.
Julia (erguendo as sobrancelhas) – Ah...
Leo – Mas se você não quiser, não tem problema.
Julia (ajeitando o cabelo com as duas mãos) – Não, tudo bem. Qualquer coisa você pode me ligar. Eu posso te ligar.
Leo – Mais fácil eu te ligar.
Julia – Ok, até mais.
Julia vira-se para entrar no mercado, mas novamente, ouve duas buzinadas. Ela volta sorrindo.
Julia – O que foi dessa vez?
Leo (oferecendo-lhe caneta a um pedaço de papel) – Faltou você me dar seu telefone.
Julia (ri/ bate na testa) – Meu Deus, que cabeça a minha!
Julia pega o papel e anota seu número. Ela lhe devolve o papel e a caneta.
Leo – Valeu. Então se você ver um número desconhecido...
Julia – Vou saber que é você.
Leo – Ok.
Julia – Tchau, e... Obrigada.
Julia vira-se e dá alguns passos. Vemos algumas pessoas saírem do mercadinho. Ela está prestes a entrar, até que ouve duas buzinadas. Ela apenas se vira, permanecendo na porta.
Julia – Oi?
Leo (apontando para Aiden) – Não, desculpa, foi com ele dessa vez!
Julia ri, acena e entra no mercadinho. Aiden se aproxima, com uma sacola na mão.
Aiden – Quem é a gost...?
Leo (interrompendo-o) – Entra aqui. (abre a porta do carona)
Aiden – Não vai nem me chamar pra tomar um café antes? É assim agora? “Entra aí, cachorro”! Cara, tem que ter todo o teatro da sedução antes.
Leo – Entra aí e fica quieto.
Aiden – Não dá, tenho que ir pra lanchonete...
Leo – Eu te levo.
Aiden entra no carro e fecha a porta. Corta para dentro do carro. Leo liga o motor e acelera o carro. Ele mantém uma velocidade baixa.
Aiden – Então, quem é a... Gost... Digo, a gata?
Leo – Ela é a Julia, irmã de uma menina do colégio do Liam. (Leo dobra à direita)
Aiden – Tá pegando?
Leo – Não. E antes que pense besteira, somo só amigos. A-mi-gos! Mas... E você com a Mary Ann ontem?
Aiden – Nada.
Leo para o carro e desliga o motor.
Aiden – O que foi? Tudo bem que o “nada” até me assustou, mas não precisava parar o carro.
Leo – Eu parei porque chegamos.
Aiden olha para o lado e vê a fachada da lanchonete.
Aiden – Ah, é verdade.
Leo – Mas antes de você sair... Nada?
Aiden – Nada...
Leo – Nadinha? (Aiden nega com a cabeça) Nadica de titica?
Aiden – Não.
Leo – Desculpa. Acho que não era pra ser então.
Emily aparece de repente pelo lado do carona.
Emily – Hey!
Aiden (pulando de susto) – Cristo!
Emily – Desculpa, não queria assustar.
Aiden – Mas assustou.
Aiden e Leo saem do carro. Leo dá a volta no carro, se aproximando deles.
Leo – Olha só ela... Vestida toda esportiva... Luva, touca...
Emily – Acho que é porque eu trabalho na academia.
Leo – Você fica bem em roupas de frio de malhação. Tá indo ou tá vindo?
Emily – Indo.
Aiden – Bom, se me dão licença, tenho que ir trabalhar...
Emily – Aiden, espera. Seu rosto ainda está inchado.
Aiden (ri/ sem-graça) – É... Bom, tchau.
Emily (o segura pelo braço) – Espera...
Aiden – O que?
Emily – Já foi a um dentista ver essa dor de dente? (Leo ri)
Aiden (nervoso) – Não. Por quê?
Leo (cruzando os braços) – Essa eu quero ver.
Aiden – Porque eu tô atolado de coisas na lanchonete. É isso.
Emily (puxando Aiden pelo braço) – Vem, vamos.
Aiden – Ei, pra onde você tá me levando?
Emily tira a sacola das mãos de Aiden e Entrega a Leo.
Emily – Vamos ver um dentista.
Aiden – Não, não, não... Espera. A lanchonete!
Emily – Leo, deixa essa sacola com o Bill lá dentro, que eu vou pegar meu carro e levar esse medroso aí lá no meu pai.
Aiden – Ei, eu não sou medroso! E o que seu pai tem a ver com isso?
Emily – Ele é dentista, bobão.
Aiden – Não, não, não, espera!
Emily – Relaxa, cara. A gente almoça por lá mesmo. Fica tranquilo e para de tremer igual a um franguinho.
Emily e Aiden seguem. Leo ri e entra na lanchonete com a sacola de Aiden nas mãos.
Corta para:
Bronx High – Ext. Tarde
[música: “Teenagers” – Hayley Williams]
A imagem mostra a fachada do colégio. Corta para o campo de futebol. Vemos vários alunos jogando em campo. Eles estão divididos em dois times, um de vermelho e outro de azul. Vemos alguns no corpo a corpo, até que um dos alunos joga a bola para outro, que corre pela borda do campo. A câmera acompanha a bola, que cai exatamente nas mãos dele. Ele corre e outros jogadores tentam alcançá-lo. Ele corre, atravessa a linha e joga a bola com força no chão, comemorando. Corta. Ouvimos o som de um apito encerrando a partida. Os jogadores de azul tiram o capacete e comemoram. Câmera desliza até a arquibancada, onde vemos Ethan e Liam sentados, apenas observando. Ethan está com uma prancheta nas mãos, escrevendo algo numa folha.
Liam – Já?
Ethan – Quase terminando.
Liam – Olha, obrigado por escrever essa matéria por mim. Eu só te pedi isso por que...
Ethan (completando) – Porque você não quer fazer fofocas com a Ashley e quer se mostrar útil para o jornal.
Liam – Exato. E como você é quem escreve bem...
Ethan – Tá tranquilo.
Ambos ficam em silêncio por mais alguns instantes.
Ethan (terminando de escrever) – Pronto, terminei os ajustes finais.
Liam (pega o papel/ lendo o título) – “O fiasco do treino dos Fighters”?
Ethan – Ei, eu sou bom na escrita, não com títulos.
Liam – Não, não é isso. É que... O treino foi bom na semana passada.
Ethan – Causar contradição é bom.
Liam – Mas causar a fúria do time de futebol contra mim, não é bom.
Ethan – Relaxa, cara. Fica tranquilo. Ninguém lê esse jornal de porcaria.
[música anterior cessa]
Corta rapidamente para:
Sala do Romans Bronx – Int. Tarde
Brick (soca a mesa em que está sentado/ gritando) – De jeito nenhum, Foley! (levanta-se)
Liam (decepcionado) – Mas por quê?
Brick – Porque essa matéria não é pra você! Isso é coisa da Amy.
Amy (chegando) – O que tem eu?
Brick – O Foley fez uma matéria sobre o time de futebol.
Amy – Ah, sim... Eu que pedi. (Liam cruza os braços e sorri)
Brick (furioso) – O que? Mas... Por quê?
Amy – Porque eu tinha que acompanhar a Ashley numa coisa.
Ashley (chegando) – O que tem eu?
Amy – E tô contando pra ele que eu tinha que acompanhar você numa coisa.
Ashley – Ah, sim. (a Brick) Ela teve que me acompanhar numa coisa.
Brick – E quem ordenou?
Ashley – Eu! (à Amy) E falando nisso, anotou com quem eu vou sair hoje?
Amy – Fiquei na dúvida se você fica com o Brian ou com o Jack.
Ashley (com o indicador na boca/ olhando para cima) – O Brian tem coxão e o Jack... Vou sair com o Brian.
Amy – Mas o Jack tem um...
Ashley (rápida) – Marca com os dois!
Brick – Mas será possível?
Ashley – E você, tá se mordendo por que te dei um fora?
Brick – Pelo amor de Deus!
Brick sai da sala e Liam o acompanha. Imagem corta para o corredor.
Liam – Brick!
Brick – Não torra a minha paciência.
Liam – É sério, vamos conversar!
Brick (para de repente) – O que?
Liam – Você está com raiva só por que eu fiz uma matéria que não me diz respeito?
Brick – Bingo!
Liam – Mas... Mas...
Brick (imitando-o) – “Mas... Mas...”. “Mas” é uma ova! O combinado desde o início foi que ficasse na parte de entretenimento com a Ashley!
Liam – Tá, foi mal... Eu vacilei. Mas tenta ler pelo menos.
Brick – Eu já li e você sabe.
Liam – Então os gritos eram por causa disso?
Brick – Escuta aqui, Foley. Não quero saber se você foi atrás de outra matéria só porque não tem fofoca pra você presenciar, e muito menos se você mora com seu pai a vida toda.
Liam – Quem te disse isso?
Brick – Falei por falar.
Liam – Ok.
Brick – Enfim, eu não quero saber! E nem adianta vir falando mal do treino dos Fighters, e sabe por quê?
Liam – Por quê?
Brick (tom) – Porque além de estar no jornal, eu também sou o líder do time de futebol e não vou tolerar nenhuma difamação do mesmo. Claro, eu não estava jogando porque eu sou bom demais pra ficar treinando com os perdedores desse colégio. Mas fazer o que...
Liam (confuso) – Difamação?
Brick (falando alto) – Se vira! Dá seu jeito e consiga uma matéria que tenha a ver com o cargo que lhe foi designado!
Voz de um homem (off) – Que gritaria é essa aqui no meio do corredor?
Brick se vira e permanece sério.
Liam (sem jeito) – Ah, senhor Frist...
Brick – Nós só estávamos conversando sobre...
Sr. Frist – Os dois. Na minha sala. A-gora.
O homem sai e os dois se entreolham.
Corta para:
Sala do diretor – Int. Tarde
Imagem mostra Brick e Liam sentados de frente para a mesa do diretor, que está andando pela sala, com os braços para trás, com os dedos entrelaçados.
Sr. Frist – E vocês acham bonito isso? Dois rapazes conceituados brigando no meio do corredor?
Liam – Mas...
Sr. Frist – E quase saindo no tapa!
Brick – Na verdade...
Sr. Frist (interrompe) – Só eu falo aqui, senhores!
Liam (cochichando) – Bondade a sua.
Sr. Frist – O que disse?
Liam (forçando um sorriso) – Nada.
Sr. Frist – E você, Brick Hawkins? Algo em sua defesa?
Brick – Eu só queria dizer que ele se meteu numa matéria em que não foi chamado.
Sr. Frist – Isso é verdade, Liam?
Liam (coçando um braço) – Sim, mas...
Sr. Frist – O combinado foi que você ficasse com o cargo que o editor-chefe lhe designasse.
Liam – Eu sei... Me desculpa.
Brick (furioso) – “Desculpa” é o...
Sr. Frist (interrompe/ tom) – Meça bem as suas palavras, jovem! (a Liam) E você, qual o problema em fazer o que lhe foi designado?
Liam – Mas eu me ofereci por que a Amy...
Sr. Frist – Ou por acaso você tem dificuldades em aceitar e acatar uma ordem?
Liam – Não, não. (Brick sorri de canto) Eu não tenho problema nenhum. (olha para Brick) Ei, você está rindo!
Brick (cínico) – Eu?
Liam (ao diretor) – Ele tá rindo! (a Brick) O que que eu te fiz, cara?
Sr. Frist (tom) – Sem exaltações na minha sala! Tenho assuntos mais importantes a tratar, ao invés de apartar briguinhas de adolescentes. Façam-me um favor! Não quero mais nenhuma ocorrência envolvendo vocês dois, estamos entendidos?
Liam e Brick – Mas...
Sr. Frist – Estamos entendidos? (Brick e Liam cruzam os braços) Levarei isso como um “sim”.
Liam – Mas... Mas não fui eu que escrevi a matéria!
Sr. Frist e Brick (surpresos) – O que?
Liam – Um amigo meu me ajudou, então não tenho 100% de culpa.
Sr. Frist e Brick (surpresos) – Que amigo?
Corta. Imagem volta novamente para a sala do diretor. Vemos a mesma cena anterior, com Brick e Liam sentados de frente para a mesa do diretor, que está andando pela sala, com os braços para trás, com os dedos entrelaçados. Dessa vez, Ethan está ao lado deles, porém permanece de pé.
Ethan – Mas é que ele só me pediu um favor. Aí eu resolvi ajudar, ora. E que mal há nisso?
Sr. Frist (pegando um papel em cima da mesa) – Bom... Não há mal nenhum, mas... Olha, eu devia era dar uma advertência e sujar a ficha de todo mundo. Só não farei porque isso irá prejudicá-los futuramente.
Brick – Tá e o senhor vai fazer o que? Não, porque tem aula daqui a pouco e sabe como é, né?
Sr. Frist – Bom, eu só estou aqui mesmo para repreendê-los por causa de toda aquela gritaria no corredor. (pausa/ senta-se em sua cadeira)
Ethan – Ok, e onde eu entro nessa história toda?
Sr. Frist – “Essa história toda” acabou de me dar uma ideia. Brick, sugiro que você contrate o Ethan para ser redator. (Ethan sorri)
Brick – Que bom que o senhor apenas “sugere”.
Sr. Frist – É uma sugestão obrigatória.
Brick (abismado) – O que?
Sr. Frist – Você ouviu. A partir de agora, ele fará parte do Romans Bronx.
Imagem foca Brick furioso.
Corta para:
Clínica dentária – Ext. Tarde
Câmera mostra a fachada de uma clínica. Vemos um letreiro com um sorriso na frente, onde vemos escrito “Bel-Clean”. Corta para o interior da sala de espera, onde Emily e Aiden estão sentados aguardando. Há mais duas pessoas também aguardando. Emily lê uma revista, enquanto Aiden sacode as pernas, olhando de um lado para o outro, impaciente.
Recepcionista – Aiden Dixon.
Emily (erguendo a mão) – Aqui!
Ela põe a revista de lado e pega na mão dele.
Emily (levantando-se) – Vamos! Aproveito pra falar com meu pai.
Os dois se levantam e se aproximam da recepcionista.
Recepcionista (à Emily) – Não é permitida a entrada de acompanhantes. (a Aiden) É a dentista Hanna Foster que vai atendê-lo. Por favor, me acompanhe.
Emily (estranhando) – Espera! O doutor Drewan está?
Recepcionista – Não o vi hoje.
Emily – Ah, é que... Ele é meu pai. E... Assim, eu gostaria de saber por que ele não vai atender o meu amigo. Sabe, é que eu liguei marcando com meu pai quando eu estava a caminho.
Recepcionista – Olha, não sei lhe informar, mas... Devem ter desmarcado com ele. Mas tudo bem, a doutora Hanna é ótima.
Aiden (com a mão na bochecha/ com dor) – Se você tá dizendo...
Aiden segue a recepcionista e Emily fica ali parada. Ela olha para os lados e logo segue pelo corredor. Ela segue caminhando e dá de cara com a recepcionista, que sai de uma porta de repente. Emily leva um susto.
Recepcionista – Acompanhantes não podem entrar.
Emily – Meu pai trabalha aqui. Ele é o dono daqui.
Recepcionista – Acompanhantes não podem entrar.
Emily – De novo: Meu pai trabalha aqui.
Recepcionista – De novo: Acompanhantes não podem entrar.
Emily – Então... Só vou ali beber água. Ou você vai me proibir disso também?
A recepcionista olha torto para Emily e volta para o balcão. Emily segue caminhando. Ela chega à última porta. Vemos pregada à porta, uma placa metálica onde se lê “Travis Drewan”. Ela abre a porta lentamente e vê tudo apagado. Porém, consegue reconhecer um homem vestido de branco, que está de costas, um pouco abaixado próximo à cadeira de dentista. Do ponto de vista de Emily, parece que o homem está atendendo alguém. Ela abre mais a porta e percebe que o homem beija uma mulher. Emily eleva as mãos à boca e fica chocada. Ao virar-se para sair, acaba chutando uma pequena bancada próxima à porta. Os dois se assustam e o homem se vira bruscamente. Emily sai da sala apressadamente. Corta para:
Rua qualquer – Ext. Noite
Há movimentação de pessoas. Ao fundo, temos a visão da praça. Liam segue caminhando, falando ao celular.
Liam – Tá bom, pai. Eu já tô chegando. (pausa) Ok, tchau.
Liam desliga o celular e o põe no bolso do casaco, permanecendo com as mãos dentro. Ele dobra a esquina e vê Chelsea com um garoto. Liam para de caminhar, ficando estático.
Chelsea (sorrindo) – Liam!
Liam (sério) – Oi. E tchau.
Chelsea – Já vai?
Liam – Tenho que ir pra casa, meu pai tá me esperando. E tá muito frio aqui.
Chelsea – Eu te vi hoje de manhã na escola, mas você entrou direto.
Liam – Sim, eu tava atrasado.
Garoto – Chels, eu tenho que ir ali no mercadinho.
Chelsea – Ah! Que cabeça a minha. Liam, Kevin. Kevin, Liam.
Kevin (esticando o braço para cumprimentá-lo) – E aí?
Liam o encara, sem tirar suas mãos do bolso do casaco.
Liam – Olha, eu tenho que ir. (Kevin abaixa o braço, sem jeito)
Chelsea – Ok, desculpa se te atrapalhamos. (Liam lança um sorriso rápido e forçado)
Kevin – Chels, termina aí o seu assunto enquanto eu vou ali no mercadinho.
Chelsea – Vai lá então. A gente se encontra na praça. (Kevin sai)
Liam (sério) – E ele te chama de “Chels”? Já está tão íntimo assim?
Chelsea (estranhando) – O que?
Liam – Olha, esquece. É melhor terminarmos o nosso “assunto” que ainda nem começou.
Chelsea – Você está chateado com alguma coisa? (Liam permanece sério, porém nervoso) Sabia. Foi algo que eu fiz, não é? Sabia que você tava me evitando hoje no colégio. Sabia! Você não consegue esconder quando está chateado e agora tratou o meu primo mal.
Liam (surpreso/ incrédulo) – Primo?
Chelsea – Sim, ele veio passar um tempo aqui e trouxe minha irmã junto, mas já tá indo embora. Custava ser gentil ao invés de hostil?
Liam (aliviado) – Primo?
Chelsea (chateada) – E você... Simplesmente tratou ele mal. Como pode descontar algo em alguém que não tem nada a ver com seus problemas?
[música: “That Kiss” – The Courteeners]
Eles se encaram. Liam sorri e Chelsea fica séria, porém sem entender a reação dele. Nervoso, Liam respira fundo, pega Chelsea pelas mãos e a beija repentinamente. Notamos que começa a cair uma neve bem rala. Chelsea está surpresa e aos poucos se rende ao beijo. Ela muda a expressão de seu rosto, ficando mais relaxada. Logo Liam interrompe o beijo e a neve cai com um pouco mais de intensidade. Eles soltam as mãos naturalmente. Ambos respiram fundo e se encaram por alguns instantes, sem entender o que aconteceu.
Chelsea (nervosa/ respirando fundo) – Eu... Eu tenho que ir.
Ela dá alguns passos para trás, vira-se e sai correndo. Liam apenas permanece estático no local, olhando para o nada.
FADE OUT
- - - - - - - - - - - - - - -
OPENING CREDITS
Starring:
Aiden Turner AS Leo Foley
Asher Book AS Liam Foley
Cameron Mathison AS Aiden Dixon
Chris Warren Jr AS Ethan Morgan
Jane Sibbett AS Monica Führ
Piper Perabo AS Emily Drewan
Kathy Bates AS Kelly Foley
Special Appearance:
Victor Garber AS Grayson Foley
Guest:
Dilshad Vadsaria AS Julia Simon
Robbie Amell AS Brick Hawkins
Jasmine Richards AS Amy
Sara Paxton AS Ashley
Timothy Busfield AS Michel Frist
Jennifer Morrison AS Mary Ann
Marcia Cross AS Recepcionista
John Finn AS Travis Drewan
Kirby Bliss Blanton AS Chelsea Smith
Jeremy Sumpter AS Kevin
Created by: Eduardo Avellar
Written by: Eduardo Avellar
Music Theme: "Where the Lines Overlap" performance by Paramore
Music end of episode: "Black Horse and the Cherry Tree" performance by KT Tunstall
Soundtrack:
"Maybe it’s Just Me" – Butch Walker
"Warning Sign" – Coldplay
"Teenagers" – Hayley Williams
"That Kiss" – The Courteeners
END CREDITS
FOLEY BOYS™ 1x08: FRIENDS, LOVERS AND TEETH
©COPYRIGHT 2011 - ALL RIGHTS RESERVED
Relacionados

0 comentários: