0:00 min       FOLEY BOYS     SÉRIE
49:00 min    

WEBTV APRESENTA
FOLEY BOYS


Série de
EDUARDO SOARES DE AVELLAR


Episódio 07 de 21







FADE IN
Praça – Ext. Manhã
Há movimentação de várias pessoas. Notamos que todos usam casacos e demais vestimentas de frio. Leo e Liam caminham vagarosamente pela praça, com algumas sacolas nas mãos.
Leo – Bom, o jantar de ontem foi mesmo pra... Esclarecimentos, digamos assim.
Liam – Tá, mas você e a minha avó já fizeram as pazes.
Leo – Claro! Afinal, não foi uma briga, só um desentendimento.
Liam – Então tá.
Leo – E você?
Liam – Eu o que?
Leo – O que fez ontem enquanto eu tava jantando com a minha mãe?
Liam – Nada.
Leo – Não deu uma festa ou contratou o circo?
Liam – Eu aproveitei a noite pra finalizar meus estudos antes do feriadão e fiz essa lista.
Leo – Que está ficando cada vez mais cara. E pesada.
Liam – Qual é, pai. Para de reclamar um pouquinho. Todo ano eu faço a lista e todo ano você reclama!
Leo – Mas tem muita comida aqui.
Os dois atravessam a rua e seguem caminhando por outra calçada.
Liam – Claro, amanhã é Ação de Graças! Se vamos passar o feriado com meus avós, temos que levar algumas coisas.
Leo – Mas tem “algumas coisas” demais aqui.
Liam – Eu aproveitei pra comprar coisas pra deixar em casa também. Sabe, caso o jantar formal dos meus avós seja ruim. Não que eu esteja dizendo que vá ser, mas... Só para o caso de ninguém reclamar depois.
Leo – Tá bom, eu juro que daqui a alguns anos eu paro de reclamar.
Liam – “Daqui a alguns anos”?
Leo – Lembre-se que ano que vem também tem Ação de Graças. Ou seja, vou tirar o balanço do feriado desse ano e o do ano que vem. Assim vejo qual foi o mais caro.
Liam – E daí?
Leo – Daí que se o do ano que vem for mais barato, beleza, fim de papo. Agora, se for mais caro que o desse ano, eu continuo reclamando.
Liam – E por que você não fez esses tais “balanços” antes?
Leo – Porque o bom é reclamar sem ter motivos.
Liam – Engraçado.
Leo – Obrigado.
Liam – E você tem falado com meu avô?
Leo – Não.
Liam – E tá preparado pra ir jantar na casa dele amanhã?
Leo – Claro, você também estará lá.
Liam – E se eu não existisse?
Leo (abraçando Liam enquanto caminha) – Filhão, se você não existisse, provavelmente eu não moraria aqui e estaria casado. Ou não... Morando em Hartford com uma pretendente chata, que estaria comigo só porque eu teria grana... (pensando) Deixa eu ver... Seria advogado e teria um carrão... Mas mesmo assim, iria odiar a minha profissão... Ah! E acho que meu pai iria me fazer trabalhar no escritório dele. E junto com ele, o que é pior. (pausa) Mas acredito que tudo que acontece na vida da gente, não acontece por acaso. (Liam sorri)
Liam – Acho que você fez uma boa escolha quando resolveu me criar.
Leo – Ah, garoto... Podes crer que fiz sim.
Homem (vindo de surpresa em direção contrária) – Leo? Que bom saber que você acredita que nada acontece por acaso.
Leo (surpreso) – Reverendo Harry?
Eles param de caminhar.
Harry – E sabe por que isso?
Leo (apontando para o caminho) – Sei, mas agora eu tenho que...
Harry (cortando-o) – Porque tudo está no plano de Deus.
Leo (sorrindo) – Eu sei, eu sei.
Harry – Você acredita em Deus?
Leo (preocupado) – Acredito. Eu amo o Senhor!
Harry – E você, meu jovem rapaz?
Liam (olha para Leo rapidamente) – Acredito também.
Harry – Ótimo, ótimo... (com o indicador no queixo/ olhando para o lado) O engraçado é que... Se vocês acreditam, por que razão não aparecem mais na igreja?
Leo – Como assim “por que”? (olhando para Liam) Ora, porque... Porque... Porque nós temos andado muito ocupados. Pelo menos eu tenho.
Liam – Ei, eu também! (a Harry) Eu também tenho andado bastante ocupado junto com ele. Na verdade, com as ocupações dele.
Leo – E eu com as do meu filho. Sabe como é, né... Ele é jovem, tem 16 anos... Eu sou o pai e tenho sempre que estar cuidando dele. (Liam olha para o pai)
Harry – Está na idade dos hormônios aflorarem... Prestes a cometer pecados...
Liam – Meus hormônios estão bem, obrigado. O senhor não precisa se preocupar, reverendo.
Harry – Mas a minha dúvida é a seguinte: Por que vocês não aparecem mais na igreja?
Leo – Ah, Harry, eu simplesmente... (Harry arranha a garganta algumas vezes) Digo, reverendo, eu simplesmente tenho andado ocupado. Já disse. É o trabalho, a faculdade... O meu filho...
Harry – Tem andado ocupado bastante durante 2 anos, 3 meses e 4 dias?
Leo – Uau! Isso tudo?
Harry – É, isso tudo.
Liam – O tempo passa.
Leo – Voa!
Harry – Bom, eu sei que vocês têm as suas crenças e coisa e tal, mas... Eu quero convidá-los a...
Leo – Assistir à missa esse domingo?
Liam – A fazer caridade? Não, porque nós temos aqui alguma comida que podemos doar sem problemas.
Harry (continuando) – A voltarem frequentar a igreja. Vocês precisam receber a palavra de Deus. E acreditem, ela renova.
Leo – Mas Ha... Reverendo, eu... Nós dois... Eu e ele...
Harry – Pretende sair dos pronomes ainda hoje?
Leo – Olha, eu vou ser sincero.
Harry – Deus gosta de sinceridade. É uma das virtudes do ser humano, que infelizmente está se apagando. Mas quer saber? Eu ainda tenho fé!
Leo – Fé é bom. Mas enfim, eu e meu filhão aqui, não desejamos mal a quase ninguém. (Harry arregala os olhos) Digo, a ninguém, definitivamente ninguém. Nós também fazemos nossas orações diárias...
Liam – Eu rezo toda noite. Tudo bem que às vezes eu caio no sono, mas quando eu acordo de manhã eu continuo de onde parei. Se eu lembrar de onde eu parei, é claro.
Leo – E nós também sempre colaboramos com as ofertas.
Harry – Rapazes, eu só estou convidando vocês a voltarem a frequentar a igreja. Não tô pedindo nada demais.
Leo – Ok. É um assunto a ser pensado.
Liam – Levaremos tudo em consideração.
Leo – Vamos reunir o clã e tomar uma decisão até dezembro.
Harry – É muito bom ter Deus no coração, já que as coisas têm andado feias ultimamente. Vocês parecem estar fugindo Dele.
Leo (com a mão no peito) – Ele está aqui, eu posso sentir. E eu não gosto muito do tempo em que ficamos lá dentro. É sufocante, tem muita senhora de idade e tem o cara que fala pra caram... Digo, O reverendo, no caso o senhor, que às vezes prolonga os pensamentos até demais. (Harry fica indignado)
Liam – No meu caso, eu não curto muito ficar numa cerimônia cheia de gente e de senta-levanta por uma hora inteira. Dói o joelho às vezes e eu prefiro ajudar às pessoas à minha maneira, sendo justo e honesto.
Harry (sorrindo) – Que bonito! (sério) Quero vocês na igreja neste domingo sem falta.
Harry segue andando e os dois permanecem no local, incrédulos.
FADE OUT


  
FADE IN
AQT Group / Sala de Leo – Ext. Tarde
Leo está de pé, apoiado com uma das mãos em sua mesa, enquanto a outra procura algo na primeira gaveta. Ele retira alguns papéis e os põe de lado. Em seguida, retira também um estojo, um fone de ouvido e um livro pequeno. À medida que vai retirando os objetos, os coloca em cima da mesa. Ele fecha a gaveta e abre a próxima. Agora, com as duas mãos, ele retira mais alguns papéis e em seguida, um par de luvas.
Leo – Nossa, quanta tranqueira!
Leo retira um par de meias e as olha, fazendo uma expressão confusa. Monica entra na sala carregando uma pasta.
Leo (põe as meias e lado) – Hey!
Monica – Tá fazendo o quê aqui?
Leo (para de procurar algo na gaveta) – Eu é que te pergunto.
Monica põe a pasta em cima da mesa redonda e se aproxima da mesa de Leo.
Monica – Bom, eu vim terminar de recolher os documentos finais daqueles seus casebres que vão construir em Hartford.
Leo – São os meus casebres que vão me dar dinheiro, viu?
Monica (apontando) – Os documentos são esses aí na mesa?
Leo – Sim.
Monica – Então pode me passar, por favor.
Leo – Vem aqui pegar.
Monica – Eles estão mais perto de você.
Leo (volta a procurar algo na gaveta) – Mas eu tô ocupado procurando alguma coisa.
Monica – O que você procura?
Leo – Meu pen drive.
Monica – Que?
Leo – Eu estou procurando pelo meu pen drive, por quê?
Monica – Esse alarde todo por causa de um mísero dispositivo eletrônico?
Leo – Sim, é que tem uns arquivos que eu baixei e tenho que entregar ao Liam. Músicas, na verdade. E um livro que ele não conseguiu comprar, então tive que baixar na internet.
Monica (com as mãos na cintura) – Não, não, não. Espera aí. Você baixou música no trabalho? Como conseguiu?
Leo – Não, foi em casa porque aqui é bloqueado, esqueceu? Mas enfim, tive que trazer o pen drive pro trabalho e acabei esquecendo ele aqui acidentalmente.
Monica (cruza os braços) – E você veio no seu dia de folga aqui pro trabalho, só pra pegar um pen drive com músicas de bandinhas de fundo de garagem que seu filho gosta de escutar? (maliciosa) Ou, com certeza, deve ter alguma coisa bem suja no meio desses seus arquivos. O que, tem uma foto sua de cueca? Ou da sua avó de cueca?
Leo – Ô Monica.
Monica (olhando para o lado, tentando imaginar) – Seria a visão do inferno.
Leo – Moniquinha?
Monica (sorrindo ironicamente) – Pois não, em que posso ajudar?
Leo – Você também está de folga. Todo mundo está de folga, ou seja, não tem expediente hoje e amanhã é feriado. O que está fazendo aqui?
Monica – Tive que pegar umas coisas pessoais.
Leo – Você guarda coisas pessoais no balcão? Não, porque é lá que você vive a maior parte do tempo.
Monica – Não enche!
Leo (retirando o pen drive do meio das coisas) – Bom, achei. Agora, se me der licença...
Monica – E seus papéis?
Leo – O que tem eles?
Monica – Você não vai me entregar?
Leo – Pode pegar. (começa a guardar as coisas de volta na gaveta) Tô arrumando as coisas agora.
Monica – Você não pode chegar a sua outra mão desocupada 2 centímetros pro lado e me dar os papéis?
Leo – Sua mão não pode se esticar 2 centímetros pra baixo e pegar os papéis?
Monica – A distância é a mesma.
Leo – Então pega.
Monica – E ser acusada de ter mexido nas suas coisas?
Leo pega os documentos e a entrega.
Leo – Toma, mulher!
Monica – Obrigada. (vira-se e pega a pasta que havia deixado na mesa redonda) Qualquer coisa, estarei lá em baixo, no balcão entediante de sempre arrumando algumas coisas. Não se esquece de fechar tudo ao sair.
Monica sai e o telefone de Leo começa a tocar. Ele o retira do bolso do casaco, olha o visor e atende.
Leo – E aí, Adam, tudo bem?
Adam (off, tel) – Tudo. Cara, eu tô precisando de um favor seu.
Leo – Ah, sim, claro. Pode falar.
Adam (off, tel) – Sabe aqueles documentos dos seus projetos residenciais que te pedi?
Leo – Ah, sei sim. Não se preocupe, pois eu já entreguei pra Monica e ela vai te passar tudo direitinho depois do feriado.
Adam (off, tel) – Depois do feriado? Não, eu preciso deles pra amanhã.
Leo (confuso) – Mas amanhã, quinta-feira, é feriado e só voltaremos a trabalhar na segunda. Mas não esquenta, vou te comprar um calendário e te dar de Natal.
Adam (off, tel) – Leo, amanhã haverá expediente normalmente, já que a folga é hoje.
Leo – Tá, mas... Eu achei que a folga fosse merecimento nosso.
Adam (off, tel) – Não.
Leo – A gente vai mesmo trabalhar no feriado?
Adam (off, tel) – Sim.
Leo – Mas Adam, eu planejei passar o feriado de Ação de Graças inteiro com meu filho. Amanhã eu ia preparar algumas coisas e levar pra casa dos meus pais. Sabe, vamos ter jantar formal em família lá. Vai ser horrível, mas é o que planejamos.
Adam (off, tel) – Eu sinto muito, Leo, mas eu também tinha planejado algo. E eu não posso fazer nada.
Leo – Como não, se você é o chefe?
Adam (off, tel) – A ordem vem do dono.
Leo (irritado) – Como? Ele não faz nada o dia inteiro e ainda quer que a gente trabalhe amanhã?
Adam (off, tel) – Infelizmente sim.
Leo – Mas isso é um absurdo!
Adam (off, tel) – Eu sei. Por isso que eu mandei avisarem na segunda-feira.
Leo – Mandou quem “avisarem”? Ninguém me falou nada sobre isso. (pausa/ muda a expressão, como se estivesse calmo) Ah, é?
Corta rapidamente para:
Hall de entrada – Int. Tarde
Leo – E por que você não me avisou que amanhã vai ter expediente?
Monica – Avisei sim.
Leo (cruza os braços) – Quando?
Monica – Quando eu estava na copa tomando café com grãos de cacau alemão. Sabe, odeio café americano. Mas enfim, você veio acompanhado do Mark, até que ele perguntou: “E aí?”. Aí eu disse: “Tô irritada”.
Leo (juntando as sobrancelhas) – Eu e o Mark?
Monica (enrolando alguns fios de cabelo com o indicador) – Aí ele disse: “Por quê?”. E eu disse: “Porque vamos trabalhar no feriado”. Aí eu sai da copa e deixei vocês lá.
Leo (coçando a cabeça) – Monica.
Monica – Pois não, em que posso lhe ser útil?
Leo – Não era eu que estava com o Mark. Eu ainda nem falo com ele direito, pois acabou de ser contratado.
Monica – Ah, não?
Leo (sério) – Não. (Monica para de enrolar o cabelo, mas permanece com ele no indicador) Você se esqueceu de avisar, não foi?
Monica (revira os olhos) – Ops! (continua a enrolar os cabelos)
Leo (dá um soco no balcão) – Mas será possível?
Monica – Ah, Leo. Foi sem querer! Desculpa, ok? Todo mundo confunde as coisas.
Leo (passando a mão na cabeça) – Tá, esquece isso. (pausa) Poxa, eu já tinha planejado o feriado com meu filho. Nós íamos...
Monica (interrompendo-o) – Ótima história! (pega sua bolsa e sai de trás do balcão/ sorri) Tchau, até amanhã.
Monica sai e Leo permanece, incrédulo.
Corta para:
Sala da casa de Leo – int. Tarde
Leo entra e fecha a porta. Ele dá alguns passos e joga a chave em cima da mesa do telefone, que fica no canto.
Leo (tom) – Liam?
Liam (off) – Aqui em cima!
Corta para o quarto de Liam. Leo entra no quarto, enquanto Liam acaba de empurrar algo para debaixo da cama.
Liam (levantando depressa) – O que foi?
Leo – Babou.
Os dois se sentam à beira da cama de Liam.
Liam – O que?
Leo – Nosso jantar de Ação de graças.
Liam (surpreso) – Mas por quê?
Leo – Todo aquele plano de jantar na casa dos seus avós rapidinho, sair em 50 minutos de lá pra não dar margem à nenhuma discussão, e depois chegar aqui e se divertir, já era. Já foi. Não faremos mais.
Liam – Tá, mas me explica o que aconteceu. Brigou com meu avô de novo?
Leo – Não.
Liam – Pior?
Leo – Não, melhor.
Liam (confuso) – Melhor?
Leo – A sua querida professora de alemão se esqueceu de me avisar que amanhã vai ter aula. Digo, expediente.
Liam (arregala os olhos) – O que?
Leo – É verdade. (deita se jogando na cama) O papai aqui vai ter que trabalhar.
Liam – Poxa... Nossos planos então...
Leo – Pois é, bebê. Não chora. Talvez eu te leve pro trabalho pra pelo menos você passar o dia importante comigo. Aí chegando lá, te dou meu estojo de canetinhas e você faz uns rabiscos legais. Aí eu vou e prendo na parede da minha sala depois.
Liam – Tá bom. Mas...
Leo (volta a sentar-se) – O que?
Liam – Você já falou com meus avós sobre isso? Digo, eles já sabem que não vamos, não é?
Leo (levanta-se) – Não, eles não sabem. Ainda. Mas você vai contar.
Liam – Tô fora. (levanta-se)
Leo – Por quê?
Liam – Porque eu e meu avô...
Leo (põe as mãos nos ombros de Liam) – Estão brigados?
Liam – Ainda estamos no início de um relacionamento digamos que amigável. (tira as mãos de Leo) Não quero que ele pense que eu já estou vacilando. Ele vai culpar você e vamos voltar a falar do passado.
Leo – Se o relacionamento der certo, quero ser o padrinho. (Liam fica sério) Fala com a sua avó então. Ela sim vai te entender porque você é um anjo, um santo que veio do céu pra iluminar a vida das pessoas. Com os chifres do diabo, mas ainda sim, um anjo na visão dela.
Liam – E se for o meu avô que atender?
Leo – Pede pra falar com a sua avó, simples.
Liam – Pra depois ele se sentir rejeitado por mim? De jeito nenhum.!
Leo – Mas você é o santinho da história. Digo, da família. De qualquer maneira, você será perdoado.
Liam – Não. Cada um com sua guerra.
Liam sai do quarto e Leo o segue. Corta para a sala. Vemos os dois descendo as escadas. Liam, seguido de Leo.
Leo – Liam!
Liam – Se você vai trabalhar tudo bem. Só não me ponha no meio do fogo cruzado de vocês. Eu não quero fazer parte mais de discussões sobre o passado de ninguém.
Leo – Tá bom, eu ligo então.
Liam segue para a cozinha, enquanto Leo vai até à mesa de canto e pega o telefone. Ele disca alguns números, enquanto segue para a cozinha. Imagem corta para a cozinha, onde Liam está de pé de frente para a pia, com uma garrafa de água numa mão e um copo na outra. Leo chega com o telefone no ouvido.
Leo – Tá vendo, eles não querem atender.
Liam – Continua tentando.
Liam termina a água e guarda a garrafa.
Leo – Alô?
Grayson (off, tel) – Pois não?
Leo – Oi, sou eu.
Grayson (off, tel) – Eu quem?
Leo – Pai, sou eu! (a Liam) Tá vendo? (Leo e Liam puxam as cadeiras e se sentam)
Grayson (off, tel) – Oi Leo, tudo bem.
Leo – Tudo e o senhor?
Grayson (off, tel) – Tudo indo. Estamos nos preparativos pra receber vocês amanhã.
Leo – Era sobre isso que eu queria falar.
Grayson (off, tel) – O que houve?
Leo – Não, é que... Assim... Amanhã, eu... (fecha os olhos) Eu fui escalado pra trabalhar.
Silêncio por alguns instantes. Câmera mostra Liam curioso.
Leo – Pai? Ainda está aí?
Grayson (off, tel) – Estou, Leo.
Leo – Então. Amanhã vou trabalhar. Não vou poder ir pro jantar aí na sua casa.
Grayson (off, tel) – Você é assim, não é?
Leo (surpreso) – O que?
Grayson (off, tel) – Você marca as coisas, mas não tem responsabilidade pra assumir compromissos, não é?
Leo – Pai, a culpa não é minha.
Grayson (off, tel) – Ah, não?
Leo – Não. Simplesmente deram folga hoje e trabalho amanhã. O que posso fazer?
Grayson (off, tel) – Devia ter nos avisado antes.
Leo – Eu sei, pai. Mas me avisaram hoje, de última hora.
Grayson (off, tel) – Ok, então façamos o jantar hoje por sua causa. Vamos desacatar as ordens dos antigos e mudar o feriado para hoje, que é o dia que você está disponível. O mundo tem que parar por causa do Leo.
Leo – Pai, quem falou que temos que fazer isso?
Grayson (off, tel) – Leo, se você não quer vir passar o dia de Ação de Graças com a gente, apenas diga.
Leo – Mas pai, eu não disse...
Grayson (off, tel) – Sua mãe quer falar com você.
Leo (afasta o telefone com a mão) – Filho, adianta o que você tem que fazer porque acho que vai durar o dia todo.
Liam (levanta-se) – Ok, boa sorte. Ah, e depois eu pego o pen drive com você.
Leo pisca um olho, Liam ajeita a cadeira de volta e sai.
Kelly (off, tel) –Dayanara Torres Oi, Leo. Desculpa a demora. Eu estava dando umas instruções para a Beth. Como vai?
Leo – Bem, e a senhora?
Kelly (off, tel) –Dayanara Torres Ótima. Mas...
Leo – Ih… Lá vem um “mas”.
Kelly (off, tel) –Dayanara Torres Seu pai jogou no ar que vocês não vêm? Que houve?
Corta para:
Quarto de Ethan – Int. Noite
[música: “You Only Live Once” – The Strokes tocando num aparelho de som]
A imagem mostra a escrivaninha, onde há alguns objetos e um notebook aberto. Vemos Liam sentado à beira da cama, enquanto Ethan está recostado à guarda da mesma. Ethan tem alguns papéis nas mãos e os mostra a Liam.
Ethan – E esse aqui foi quando ela acabou de escrever a letra “a”. como ninguém tinha corretivo pra emprestar, ela foi e jogou a folha fora.
Liam – E depois você foi e revirou o lixo pra pegar um papel amassado.
Ethan (cheirando a folha) – Cara, as folhas do caderno da Ashley têm cheirinho de morango.
Liam – E desenhos da Betty Boop.
Ethan (apertando a folha contra o peito) – Que seja. Mas ela é linda.
Liam – Cara, você devia ver como ela é no jornal da escola. Ela é muito fresca, usa folhas perfumadas, canetas coloridas e lápis com pompons. Só sabe fazer fofoca dos outros e não para de mascar chiclete.
Ethan (recolhendo os papéis) – Mas eu gosto dela. Na verdade, tenho interesse. E você devia estar feliz por mim, já que não vai me ajudar a conquistá-la, mesmo estando do lado dela no jornal.
Liam – Cara, eu já falei que ela é popular e eu sou apenas o “normalzinho” da escola que vai passar despercebido até o dia da formatura.
Ethan – Tá, mas então como vocês conseguem trabalhar juntos se não se falam?
Liam – Ela corre atrás das matérias, digo, das fofocas, passa pra mim, que digito tudo e confiro duas vezes, e então passo tudo pro Brick, que me faz revisar tudo pelo menos 3 vezes.
Ethan – Sabe, ao invés de julgar ela pela aparência, você deveria me ajudar, isso sim.
Liam – Posso te falar a verdade?
Ethan – Claro!
Liam – Eu não acho que ela seja a garota ideal pra você.
Ethan (sério) – Jura?
Liam – Estou sendo sincero. Essa coisa de garota popular namorar garoto normal só funciona em filme, ou série de TV.
Ethan – Obrigado por me encorajar e por me dar apoio.
Liam – Ok. Desculpa. Eu não quis ser rude, mas acho que você merece coisa melhor. (Ethan cruza os braços e olha pro lado) Tá bom, não vamos falar mais nisso. Ok? (Ethan continua sério) Tá bom, então... Acho que você deveria falar com ela então. Sei lá, já que faz meses que você está a fim e não avança. Sabe, você tem que dar um jeito de ser notado.
Ethan (mudando e expressão) – Você acha?
Liam (afirmando com a cabeça) – Totalmente.
Ethan – Verei o que posso fazer. (levanta da cama e guarda os papéis em seu guarda-roupa)
Liam – Ok.
Ethan – Ei! Você é um hipócrita. (senta na cama novamente) Fala pra eu fazer isso, mas... E você com a Chelsea?
Liam (arregala os olhos) – Eu o que?
Ethan (imitando Liam/ olhando pra cima e piscando repetidas vezes) – “Acho que você deveria falar com ela então”. (Liam coça a cabeça) “já que faz meses que você está a fim e não avança”.
Liam – Ok, estamos numa situação bem diferente aqui.
Ethan – Claro que não. Semana que vem é dezembro.
Liam – E o que dezembro tem a ver com isso? Quer que eu me vista de papai Noel pra entregar presentes pra ela?
Ethan – Ela chegou em meados de setembro, brow.
Liam – E daí, meu filho!
Ethan – Acorda, brow. (contando nos dedos) Outubro, novembro... Tá, já faz dois meses e alguma coisa que ela está na cidade e nada.
Liam – Ethan...
Ethan – Conselho do amigo: parta para o ataque! (Liam arregala os olhos) Tô falando sério, não adianta olhar pra mim assim não. Se você demorar a mostrar que está interessado, vem outro e pega. Como a música está dizendo: Você só vive uma vez!
Liam – Tá, mas e você e a Ashley?
Ethan – Cara, eu sei que ela sai com outras pessoas de vez em quando. Ela é popular, é óbvio que alguém sempre vai chegar nela. A Chelsea não. Sabe... A Chelsea é direita. É do tipo que gosta de ter um relacionamento sério quando encontra alguém.
Liam – É, eu sei. Mas eu não sei. (Ethan ri) Às vezes eu fico na maior dúvida se nós já não passamos a ser amigos demais, se é que você me entende.
Ethan – Não se você agir logo. Quer um sinal? Você só vai saber se ela te considera amigo dela, se ela começar a contar sobre outros relacionamentos e pedir conselhos. Vai por mim.
Liam – E quem garante, se você nunca namorou?
Ethan (convicto) – Cara, eu sei.
Liam – Ok, eu vou criar coragem e falar com ela.
Ouvimos duas batidas na porta.
Ethan – Entra!
Uma mulher entra.
Ethan – Oi, mãe.
Liam – Olá, senhora Susan.
Susan – “Senhora” está no céu, já falei. Assim como “dona” e qualquer outro semelhante.
Liam – É que eu não consigo não chamar a senhora de “senhora”. Aliás, não consigo chamar nenhuma mãe ou pai dos meus amigos pelo nome. Sei lá, acho que já é de mim.
Susan – Você é um rapaz educado, Liam.
Liam (sorri sem jeito) – Obrigado.
Ethan – Já eu consigo chamar o seu pai só de Leo.
Liam – Você já está acostumado.
Ethan – Mas então, mãe...
Susan – Ah, sim, só vim ver se vocês estão bem.
Ethan – Bom, já viu. Estamos bem. Tchau.
Susan – Ethan!
Ethan – Mãe, estamos bem. Não tem ninguém com uma perna quebrada ou faltando um olho na cara.
Susan – Ok. Olha, se quiserem fazer um lanche, é só irem pra cozinha.
Liam (levantando-se) – Ah, não, obrigado. Eu já estou de saída.
Ethan – Mas já?
Liam – Tenho que colocar em prática o meu plano para amanhã.
Ethan – Ah, o plano do jantar.
Liam – Exato. Bom, já vou indo. Valeu, cara.
Liam e Ethan se cumprimentam com um aperto de mão. Liam sai.
Susan – Você devia ser mais educado comigo na presença de seus amigos.
Ethan – Estávamos tendo conversa de homem.
Susan (erguendo as sobrancelhas) – Ah, tá bom.
Ethan – Cadê o meu pai?
Susan – Deve estar babando no sofá. (passando a mão no cabelo) Sabe, eu não aguento mais. É muita discussão e não se chega a nenhuma solução.
Ethan (não dá atenção) – Tá bom, mãe. (voltando para o laptop) Eu não sei por que tanto desentendimento entre vocês. Mas, por favor, me deixa fora desse rolo de vocês, porque eu já cansei de ficar no meio do fogo cruzado.
Susan – É, você tem razão.
Ethan (olhando para Susan) – Ah, e obrigado por evitar mais uma briga com meu pai enquanto o Liam estava aqui.
Susan – Sabe como é, não é? Seria embaraçoso pra você.
Susan sai e Ethan para de mexer no laptop. Ele olha para o nada.
[música cessa]
Corta para:
Dixon’s – Ext. Manhã seguinte
Vemos Liam parado na porta da lanchonete, esperando por algo. Ele olha para a rua algumas vezes e, em seguida, para dentro da lanchonete. Ele se aproxima da porta e bate três vezes. Ele junta as mãos para olhar através do vidro, quando a porta se abre de repente.
Aiden (sério) – Sim?
Liam (levando um susto) – Oi. (pausa) Aiden.
Aiden – O que você quer?
Liam – É que... Assim.
Aiden – Eu não tenho o dia todo.
Liam – Eu vim aqui, porque eu queria te pedir um favor.
Aiden – Espera aí. Como sabia que eu estava aqui?
Liam – É que eu fui lá na sua casa e sua mãe disse que você estava aqui. Pensei até que a lanchonete estava aberta, mas... Oras, você disse que não ia abrir no feriado.
Aiden – Ok. Eu vim pegar algumas coisas que vou precisar pro jantar de mais tarde.
Liam – Posso entrar?
Aiden – Não.
Liam (juntando as mãos) – É que eu realmente preciso de um favor seu.
Aiden olha ao redor. Vemos a praça e as ruas adjacentes com baixa movimentação de pessoas.
Aiden – Tá bom, entra.
Liam entra e Aiden fecha a porta. Corta para dentro da lanchonete. Liam tira o casaco e Aiden cruza os braços.
Aiden – Diz.
Liam – É sobre jantar de hoje à noite.
Aiden – O que tem o jantar de hoje à noite?
Liam – É que eu tava pensando... Sabe, meu pai tá trabalhando hoje, e já que estamos todos frustrados por termos cancelados nossos planos, eu tive essa ideia e queria te convidar pra fazer o jantar lá em casa.
Aiden – Me convidar pra fazer o jantar na sua casa?
Liam – É. Assim, eu tô chamando você, porque é muito amigo nosso. E você pode aproveitar e chamar a sua mãe pra vir também. Sabe, meu pai tá trabalhando e ele vai gostar de chegar em casa e ver todo mundo lá.
Aiden – “Todo mundo” quem?
Liam – É que assim que ele saiu, eu liguei pra casa dos meus avós e eles toparam mudar o jantar pra cá. Tudo bem que foi minha avó que respondeu pelo meu avô, mas ela garantiu que eles vêm, e agora eu vim aqui falar com você.
Aiden – Ok, eu vou. Que horas?
Liam – Você pode vir lá pras... 4 da tarde?
Aiden (arregala os olhos) – O que?
Liam – É porque eu não sei cozinhar. Só meu pai sabe, mas... Eu já mencionei que está trabalhando?
Aiden (com as mãos na cintura) – Que abuso! Sou convidado pro jantar e ainda terei que preparar tudo.
Liam – Eu pensei em você porque já tem bastante experiência na lanchonete e faz pratos maravilhosos.
Aiden (bufa) – Tá bom, tá bom. Para de puxar o meu saco.
Liam – Ah, e você se importaria de levar algumas coisas também?
Aiden – Mas era só o que me faltava.
Liam – Só pra complementar o que está faltando. Eu e ele compramos algo pra levar pra casa dos meus avós, mas aí babou e então...
Aiden – Ok, o que vocês têm lá é insuficiente. Pode deixar comigo.
Liam – Olha, Aiden, muito obrigado mesmo.
Aiden – Não tem de quê.
Liam – Você é coração de pedra, mas é boa gente.
Emily (entra na lanchonete e tira o casaco) – Olá, rapazes!
Aiden (surpreso) – Ei!
Liam – Oi.
Emily – Olha, hoje eu vou querer apenas uma daquelas torradas e um café expresso. Tá muito frio lá fora, vocês não têm noção.
Aiden – Não sei se reparou, mas o recinto não está aberto hoje.
Emily (olha ao redor/ desapontada) – E por que não?
Aiden – Porque me disseram que hoje é feriado. O calendário disse, na verdade.
Emily (dando de ombros) – Poxa, é uma pena. Desculpa, é que eu vi o Liam aqui...
Liam – Ah, Emily. Eu quero aproveitar te convidar pra jantar lá em casa hoje à noite.
Emily (sorrindo/ boba) – Jantar? Na sua casa? Jura? Que horas? (Aiden sorri)
Liam – Vai ser às 7 da noite. 8 no máximo. Mas aí meu pai já vai estar em casa, então não será mais surpresa. Mas, só se o chef atrasar...
Aiden (sério) – Ei!
Liam (continua) – Provavelmente já estaremos com fome às 9 e meia. E isso fará com que todo mundo fique louco às 10. E daí vão começar a xingar e quebrar os pratos... E será o fim do feriado. (a Aiden) Por favor, não se atrase. (Aiden bufa)
Emily (coçando a cabeça) – Ah, desculpa, mas não vai dar...
Aiden e Liam – Por quê?
Emily – Porque eu vou jantar na casa dos meus pais. Já está tudo certo.
Liam – Tudo bem, eu entendo. Foi de última hora mesmo.
Aiden – O Leo vai ficar chateado.
Emily – O que?
Aiden (erguendo as sobrancelhas) – Muito chateado.
Emily (confusa) – Mas... Como assim?
Emily é interrompida pela porta, que é aberta abruptamente. Todos voltam seus olhares para a porta e veem pessoas entrando e retirando seus casacos.
Aiden – Ei, ei, ei! O que é isso aqui?
Senhora – Bom, eu vou querer uma panqueca com...
Aiden (interrompendo-a) – Olivia, a senhora não vai querer nada não.
Olivia (com a mão no peito) – Meu Deus, quanta ignorância! (à outra senhora) Você viu, Sophie?
Sophie – O que houve, Aiden?
Aiden – A lanchonete não está aberta.
Homem – Ah, desculpe. É que vimos a porta entreaberta e notamos que tinha gente aqui. Daí pensamos: “Ele desistiu de deixar a lanchonete fechada. Vamos comer”.
Aiden – Pois é, Kane. A lanchonete está fechada, hoje é feriado, eu mereço descanso e eles... Eles são uns intrometidos, isso sim!
Todos os que acabaram de entrar, saem reclamando e vestindo seus casacos novamente.
Aiden (a Liam) – Isso tudo é culpa sua!
Liam sorri, sem-graça.
Corta para:
AQT Group – Ext. Anoitecer
[música: “Lost” – Coldplay]
Imagem mostra a fachada do prédio de três andares por um instante. Corta para dentro. Câmera passeia pelo hall de entrada. Ao passar pelo balcão, vemos Monica olhando para o nada com expressão de tédio, com um dos cotovelos escorado na parte de dentro do mesmo, e com o queixo apoiado na mão. Com a outra mão, ela enrola o cabelo vagarosamente.
Imagem corta para a sala de Leo. Imagem abre em um radinho de pilha, que é de onde sai o som. Leo está sentado, com ambos os cotovelos na mesa e com o queixo apoiado nas duas mãos, também com expressão de tédio. Ele encara a tela de seu computador. Adam entra na sala e Leo se escora nas costas da cadeira. Ele se espreguiça. Música anterior toca baixa.
Adam – Nossa vida é dura, não é?
Leo – Muito. E isso aqui hoje está entediante. (se levanta e vai até a janela) Olha lá pra fora. Não tem ninguém na rua. Ninguém! Só a gente mesmo na rua inteira.
Adam – Fica assim não. Eu também estou aqui. Fazendo nada, mas... Estou. Temos que cumprir o expediente mesmo assim.
Leo – Bom, pelo menos falta uma hora pra acabar o expediente. Aí eu vou poder chegar no máximo às 8 em casa e comer qualquer porcaria com meu filho. Não que você tenha culpa, mas é que... Isso é revoltante.
Adam sorri de leve.
[música anterior cessa]
Imagem corta para o hall de entrada, onde vemos Monica lixando suas unhas, triste. Leo vem passando com sua mochila pendurada nas costas apenas por uma alça.
Leo – O Adam já foi?
Monica – Acabou de sair.
Leo – Ok então. Tchau, feliz dia de Ação de Graças!
Monica (triste) – Feliz dia de Ação de Graças.
Leo para na porta. Ele olha para Monica, que continua lixando as unhas. Ele volta.
Leo – Escuta. Você vai fazer o que agora?
Monica – Daqui eu vou pra casa. Dormir.
Leo – E não vai jantar com alguém ou... Sei lá, fazer algo?
Monica – Não.
Monica guarda a lixa na bolsa, estica a mão e olha as unhas. Em seguida se levanta e segue em direção à porta.
Monica – Tchau, Leo.
Leo – Monica, espera!
Monica – Pois não?
Leo – Não quer ir lá pra casa?
Monica (surpresa) – O que?
Leo – Sabe, passar o restante do feriado comigo e com o Liam. A gente tinha algo planejado, mas... Sabe, só pra...
Monica – Tá fazendo isso só porque está com pena de mim? Está com pena por ter que me deixar sozinha na noite de Ação de Graças? Pois saiba muito bem que eu sempre passei esse feriado totalmente sozinha, desde que me separei do meu segundo marido.
Leo (juntando as sobrancelhas) – Mas é claro que não foi por pena!
Monica – Ótimo, convite aceito. Fecha tudo aí e te espero no carro.
Monica sai e Leo sorri, incrédulo. Ele apaga as luzes, sai e fecha a porta.
Corta para:
[música: “Return to Me” – Matthew Ryan]
Praça – Ext. Noite
Vemos a praça totalmente sem movimento. A imagem mostra uma mulher, caminhando ao longe. A câmera se aproxima e vemos que se trata de Emily. Ela caminha com sua mochila pendurada por apenas uma alça. Ela atravessa a rua com as mãos nos bolsos do casaco. Acompanhamos ela caminhar mais alguns instantes, até que ela dobra a esquina. Agora a vemos de frente, que para de caminhar levando um susto. A imagem mostra Emily de costas, e notamos que um homem se aproxima devagar. A câmera os pega de lado. Notamos que a mochila de Emily cai no chão. O homem se abaixa e a pega. Música anterior toca baixa.
Homem (entregando a mochila) – Como tem passado?
Emily (surpresa/ pega a mochila) – E-eu? B-bem... E você? (põe a mochila nas costas)
Ambos ficam em silêncio por um breve instante.
Emily – Olha, tá frio aqui e eu... Tô atrasada pro jantar na casa dos meus pais.
Homem – Olha, eu não quero tomar muito do seu tempo.
Emily (coçando a cabeça) – Ok.
Homem – Eu só quero saber quando nós podemos conversar sobre o que houve. Sabe, sem pressão.
Emily – Olha, Chip, eu... Eu não sei. (pausa) Olha, eu te ligo.
Chip (sorrindo/ sem jeito) – Você disse que ia me ligar e estou esperando faz quase um mês.
Emily – Eu sei, me desculpa, mas... Eu andei ocupada ultimamente. Mas olha, eu juro. Eu juro que te ligo e a gente conversa...
Música aumenta e toma conta da cena. Imagem corta para outro ponto da praça, onde vemos uma picape preta passando. Corta para dentro da mesma. Vemos Leo, acompanhado de Monica. Ela parece falar bastante. Leo reduz a velocidade, e, ao fazer o contorno, vê Emily e Chip na esquina. Imagem foca o rosto de Leo, surpreso.
Corta para:
Casa de Leo – Ext. Noite
Câmera desliza pela varanda, nos mostrando uma mesa bem decorada. Há vários tipos de comida. No centro há um peru assado e perto dele, há uma cesta de frutas. Também vemos bebidas e alguns copos de vidro ao redor. Tudo está bem distribuído, contendo o bastante para todas as pessoas presentes. Vemos, em seguida, Aiden de braços dados com sua mãe, Norah. Eles estão conversando com Liam. Próximo deles, estão Grayson e Kelly, que estão dando os retoques finais na mesa. Música anterior ainda toma conta da cena.
Vemos alguns takes em câmera lenta:
- Liam olha em direção ao portão e vê a picape parando. A imagem foca o rosto de Liam, que sorri;
- Leo e Monica saem do carro. Imagem foca o rosto de Leo, que está surpreso com tudo aquilo. Ele observa sua casa;
- Liam sai correndo pelo gramado e abraça Leo;
- Os dois permanecem abraçados por um tempo.
Imagem volta ao normal.
[música anterior cessa lentamente]
Leo e Liam terminam o abraço e as pessoas que estão na varanda vêm em direção a eles.
Leo (ainda olhando ao redor) – O que é isso tudo?
Liam – Preparei uma surpresa pra você.
Leo – Ah, seu... Garoto! (bagunça o cabelo de Liam, que sorri se encolhendo)
Monica (impressionada) – Nossa! Aquela mesa está maravilhosa. Minha primeira Ação de Graças de verdade! E olha que você disse que não ia fazer nada, hein!
Kelly (aproximando-se com os braços abertos) – Leo!
Leo (sorrindo) – Mãe!
Leo e Kelly se abraçam. Leo olha para seu pai, e aperta sua mão. Grayson sorri, sem jeito.
Liam – Ah, pai. O Aiden e a mãe dele ajudaram com o jantar.
Leo – Poxa, gente... Valeu mesmo. Não sei nem o que dizer. Eu não fazia ideia disso...
Norah – Não precisa agradecer não, seu bobo. Sabe como é, né. Seu filho veio desesperado lá em casa com essa cara de anjo, falando sobre o que aconteceu... Então não tive como negar o pedido de fazer essa surpresa.
Leo – Nossa, obrigado mesmo!
Aiden – Eu fiz o peru. (Norah o cutuca com o cotovelo) Com a ajuda da minha mãezinha, é claro. (dá um beijo no rosto de Norah)
Grayson – Bom, vamos dar graças e nos servir?
Kelly (chamando a atenção) – Grayson!
Norah – Não, ele tem razão. O Leo já chegou e já estão todos aqui. Vamos, pessoal!
Todos começam a caminhar em direção à varanda.
Kelly (à Norah) – Obrigada, viu? Obrigada por salvar a ajudar nosso jantar.
Norah – Que isso... O Liam me contou que o jantar era em família. Estamos aqui só de intrusos. (sorri)
Kelly – Não, que isso. Vocês também são da família. Principalmente a senhora e o seu filho que me ajudaram a... Você sabe.
Norah – Você também ajudou bastante, Kelly. (Kelly sorri)
Grayson – Ajudou em que?
Kelly (olhando seriamente para Norah) – Nada, querido. Nada.
Kelly, Grayson e Norah seguem. Aiden passa em seguida e a imagem para em Leo e Liam, que caminham abraçados.
Liam – Tenho outra surpresa pra você. Fica aí.
Liam sai correndo e entra em casa.
Monica – O pirralho tá com tudo, hein. Te dando moral.
Leo – Não sei o que deu nele. Mas eu tô gostando disso aqui.
Leo e Monica sobem os degraus da varanda, e Liam sai, com uma pasta na mão.
Liam (entregando a pasta a Leo) – Pra você.
Leo – O que é isso?
Liam – Abre, ué. Até parece que nunca recebeu um presente na vida.
Leo abre a pasta e pega uma folha de ofício. Ele a olha surpreso por alguns instantes e sorri. A imagem foca a folha, e vemos o rosto de Leo desenhado a grafite. Notamos, em segundo plano, que Grayson os observa.
Leo (impressionado/ olhos arregalados) – Você... Você que fez? Meu Deus, que maneiro!
Liam – Eu... (puxa Leo para o lado, afastando-o das demais pessoas) Eu ouvi você falando com meu avô no telefone outro dia... Sobre exemplo e coisa e tal.
Leo – Liam...
Liam – Pai, eu sei. Eu sei que é totalmente feio ouvir a conversa dos outros, mas... Eu ouvi você falando que era um bom exemplo pra mim. E é por isso que eu quero dar graças. Não farei isso na frente de todos, porque tenho vergonha, mas eu não tenho vergonha de falar isso pra você. Enfim... Você disse que só o fato de ter conseguido me educar, te tornaria um herói, com direito à capa, cinturão e tudo mais.
Leo – Quando eu falei isso?
Liam – Não interessa, deixa eu terminar. Então, aí eu fiz o desenho do meu herói. O meu herói de verdade.
Leo (com os olhos marejados) – Eu aceitaria um rabisco qualquer daqueles bonecos de palitinho que você me fazia sempre, mas... (sorri) Você não tem mais 3 anos. E eu prefiro esse mesmo.
Os dois se abraçam rapidamente. Uma lágrima escorre do olho de Leo, mas ele a enxuga rapidamente.
Leo – E eu não vou chorar. Eu nunca chorei com essas coisas e não vai ser agora que isso vai acontecer.
Liam (rindo) – Só pra não dar uma de frágil na frente de todo mundo? Pai, não tem nada a ver isso. Pode chorar se quiser. Estamos entre amigos.
Leo (rindo) – Não, era brincadeira. Tudo bem que somos pai e filho, mas você é homem.
Liam dá um leve soco no ombro de Leo, que bagunça o cabelo do filho. Os dois se dirigem para a mesa. A imagem desloca para a mesa, onde as outras pessoas estão de pé, de frente para seus acentos. Leo fica ao lado de Monica.
Monica (cochichando) – Qual é a do gato do peru?
Leo (arregalando os olhos) – O que?
Monica – O seu amigo ali.
Leo – Ah, aquele é o Aiden. Depois da janta eu apresento ele a você.
Monica (maliciosa) – Hummm... Interessante. Vou convidá-lo pra rechear um peru lá em casa no Natal.
Leo – Bom, pessoal... Eu quero começar dando graças por...
[música: “Come Out of the Shade” – The Perishers]
Leo continua a falar e sua voz é abafada pela música. A imagem mostra todos de longe, ao redor da mesa. Corta. Imagem abre na rua, em frente à casa de Leo. Vemos Liam carregando duas sacolas de lixo pretas. Notamos ainda algumas pessoas na varanda de Leo, em segundo plano. Liam caminha à beira da calçada. Ele põe as duas sacolas, uma por vez, no lixo. Ao virar-se, olha para o outro lado da rua, onde vê Chelsea caminhando abraçada com outro garoto, sorrindo alegremente. Imagem mostra Liam ficando arrasado.
FADE OUT
- - - - - - - - - - - - - - -
OPENING CREDITS
Starring:
Aiden Turner AS Leo Foley
Asher Book AS Liam Foley
Cameron Mathison AS Aiden Dixon
Chris Warren Jr AS Ethan Morgan
Jane Sibbett AS Monica Führ
Piper Perabo AS Emily Drewan
Kathy Bates AS Kelly Foley
Special Appearance:
Victor Garber AS Grayson Foley
Guest:
Kirby Bliss Blanton AS Chelsea Smith
Larry Miler AS Reverendo Harry
Karyn Parsons AS Susan Morgan
Mark Doerr AS Adam Miler
Olympia Dukakis AS Norah Dixon
Rita Moreno AS Sophie
Betty White AS Olivia
Alan Rickman AS Kane
Amaury Nolasco AS Chip
Jeremy Sumpter AS Garoto (com Chelsea)
Created by: Eduardo Avellar
Written by: Eduardo Avellar
Music Theme: "Where the Lines Overlap" performance by Paramore
Music end of episode: "Black Horse and the Cherry Tree" performance by KT Tunstall
Soundtrack:
"You Only Live Once" – The Strokes
"Lost" – Coldplay
"Return to Me" – Mathew Ryan
"Come Out of the Shade" – The Perishers
END CREDITS
FOLEY BOYS™ 1x07: A THANKSGIVING TO MY HERO
©COPYRIGHT 2011 - ALL RIGHTS RESERVED
Relacionados

0 comentários: