Família Virtual 1x04

    0:00 min       FAMÍLIA VIRTUAL     SÉRIE
09:00 min    

WEBTV ORIGINAL APRESENTA
FAMÍLIA VIRTUAL


Série de
Gabo Olsen & Cristina Ravela


Episódio 04 de 08







No episódio anterior...

 

 

NA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA

 

GABO: OLHA O TREM!

 

Zih afasta todos com uma braçada.

 

ZIH: Tea with me! (Zih faz sinal pro trem).

 

GABO (rindo): 'cê' tá maluca, ‘muié’?

 CORTA PARA



 

 NO TREM

VENDEDOR: Olha o Besouro aí, gente! Já saiu o dvd do filme! Paga 10 leva 3 hen!

 

HOMEM: Tem daquele...Do-do...Aquele lá...O...Ah! Michael Jackson.

 

VENDEDOR (com ginga carioca): “Dizdisisti”?

 

HOMEM: Hã?

 

O povo do apê disfarça o riso.

 

VENDEDOR: O filme recente dele? Tem sim, paga 5 ou 10 se levar 3.

 

HOMEM (tonto): Peraí, fala devagar que não entendi.

 FADE TO BLACK

 FADE IN



 

VENDEDOR: OLHA A ÁGUA! OLHA A COCA GELADINHA SOMENTE 1 REAL!

 

Gabo está hipnotizado ao ver seu vício ali.

 

GABO: Compra Zih! Pelo amor de Deeeeeeeus!

 

LANA: Deixa ele na fissura, Zih. Ele devia ter cuidado melhor da gente ao invés de deixar a gente ser assaltado.

 

LUIZ: Deixa de ser má. Olha o estado do moleque.

 FADE TO BLACK

 FADE IN



O HOMEM SISUDO DECLARA SUA ADORAÇÃO A DEUS 

LANA: Já passamos duas estações!

 

LUIZ: Mas é claro! Vocês ficam hiehiehiehiehie!

 

ZIH: Pior que a testemunha da Santa Ceia vai descer junto com a gente.

 

Gabo ri.

 

MAURUS: Culpa do Gabo que nem pra avisar.

 

GABO: Fio do céu! E como é que eu ia prever que esse cara ia entrar aqui? Num sou Raíza não.

 

MAURUS (bate na própria testa): Sua anta! Eu to falando do itinerário.

 

GABO: Olha como tu fala comigo hen?

 

LANA: Ah parem já com isso!

 

O pessoal desce e corre para fugir do homem sisudo que insiste em proclamar a palavra de Deus.

 

A câmera se afasta e mostra todos correndo pela escadaria da estação.

 
FADE OUT

_____________________________________________________________
 

FADE IN

 

CENA 1 RUAS DA CIDADE [NOITE]

 

A câmera mostra uma rua deserta. De repente, Gabo surge a frente da tela tropeçando e ficando de quatro.

 

ZIH: Mas esse menino vive tropeçando hen.

 

GABO(se levantando): Foi o Maurus que me empurrou.

 

MAURUS: Claro! Você é lerdo. Ninguém aqui tá com pressa de chegar ao cemitério né?

 

LANA: Putz! A essa hora já fechou.

 

RONALD: A gente dá um jeito.

 

LUIZ: Eu acho bom VOCÊ dar um jeito nisso.

 

Todos encaram Luiz que mostra ter perdido a calma no trem.

 

LUIZ: Pow! Perdi o programa da Anna Mae, queriam o quê? Que eu pulasse de alegria?

 

Maurus se apoia em Lana e descansa sua cabeça em seu ombro.

Lana dá uma sacoladela.

 

LANA: Sai pra lá, bicho ruim! Que meu ombro não é mesa de bar.

 

ZIH(ri): A-DO-REI essa!

 

Gabo denota sentir cheiro de algo. Inspira profundamente.

 

GABO: Humm...Cheiro de vela.

 

ZIH(irônica): Delícia.

 

O grupo chega, finalmente, na frente do cemitério fechado. Lana passa a mão no rosto tantas vezes de raiva que chama a atenção de Ronald.

 

RONALD: Renew nisso hen.

 

Lana lança um olhar matador. Ronald disfarça e põe as mãos na cintura enquanto olha o portão fechado.

 

LUIZ: Eu sabia que ia dar nisso. Coitada da Zih. Vendeu a bolsa por nada.

 

ZIH: Como é que é?

 

GABO: Ah quer saber? Vamos dormir aqui mesmo.(se apronta pra sentar).

 

LANA (ela o puxa): Nem que a vaca tussa e o boi diga amém! (acaba tendo um siricutico e se sacode) Alguém vai ter que resolver isso.

 

Zih abre espaço e se mostra decidida quanto ao que vai fazer.

 

ZIH (bate palmas): Ô de casa!

 

Maurus e Ronald riem.

 

GABO (dá um tapa na própria testa): 'Cê' quer me matar de vergonha, garota?

 

LANA: Depois de fazer sinal pro trem eu não esperava outra coisa.

 

Luiz se aproxima de Zih e acaricia seus cabelos amarrados.

 

LUIZ: É falta ou excesso daquele seu remédio? Diz pra mim.

 

ZIH: Ai gente, nada disso. É que tô um caco com essa viagem. Me POLPA de morango, né?

 

RONALD (arregala os olhos e estala os dedos): Tive uma ideia!

 FADE OUT


 

 

OFERECIMENTO: 

 

 

 

 

ELENCO

 

 

GABO
(Bruno Olsen)

ZIH
(Cristina Ravela)

MAURUS
(autor de Adytum)
 

LUIZ FERNANDO
(autor de They)
 

LANA
(autora de Bingley's)

RONALD
(autor de Distúrbios)
 

 

1x04 - DESCANSE EM PAZ (PARTE 2)

 

 

 

 

FADE IN

 

 

CENA 2 CEMITÉRIO [INT./NOITE]

 

A câmera focaliza uma flor no chão. Maurus despenca amassando a pobre flor. Ele tenta se levantar assustado, olha por ambos os lados e se levanta.

 

MAURUS (olha pra cima na direção do muro/murmura): Área limpa, podem vir!

 

Zih despenca e reclama de dor.

 

MAURUS: Mas mulher não sabe pular um muro mesmo, hen.

 

Zih se levanta limpando a roupa.

 

ZIH: Droga! Suja dessa terra de cemitério dos pés a cabeça!

 

Todo o grupo salta o muro e caminha pelo corredor extenso de covas.

 

= = Passagem de Tempo = =

 

CENA 3 CEMITÉRIO [INT./NOITE]

 

A tela abre de frente para a turma do apê. Gabo se mostra tenso e aperta a mão de Zih que aperta a de Lana que aperta a de Luiz que aperta a de Maurus que aperta a de Ronald.

 

MAURUS (olhar malicioso): Isso aqui daria um ótimo cenário de filme hen...

 

RONALD: Apertando a minha mão desse jeito ninguém diz que você tá com medo.

 

MAURUS: Isso é pra você não se perder, ingrato!

 

LUIZ: Nossa...Quantos espíritos!

 

MAURUS (solta as mãos): Onde? Onde? Onde? (se frustra) A falta que a vidência faz viu. O que custava eu ter ao menos um DOM?

 

Ouvimos Thriller instrumental – Michael Jackson

 

Todos param de andar, se calam e arregalam os olhos.

 

MAURUS(murmura): Gente...Vocês estão ouvindo isso?

 

ZIH: Assustador...

 

GABO: Bizarro...

 

LANA: Michael Jackson...

 

Maurus começa a surtar. Treme a cabeça, arregala os olhos e Lana tampa sua boca a tempo dele soltar o grito.

 

LANA: Sossega! Quer que nos escute?

 

Maurus vai se acalmando.

 

MAURUS: Deve ter zumbis espalhados por todo o lugar aqui. Isso só pode ser um aviso.

 

Gabo põe a mão no peito surpreso.

 

GABO: Meu Deus! Será que ele foi enterrado aqui e não em Forrest Gump?

 

Não ouvimos mais a música.

 

ZIH (revira os olhos): É Forrest Lawn! E vê lá se depois de tanto custo o homem ia ser enterrado aqui, né?

 

RONALD: Ué, e qual seria o problema dele ser enterrado no coração da Amazônia?

 

ZIH: Coração de quem?

 

LUIZ: Vamos deixar de besteira? A música já acabou e a gente não encontrou a cova do tatatatataravô do Ronald. Ô palavrinha difícil.

 

A turma torna a caminhar em passos cuidadosos.

 

CORTA PARA

 

CENA 4 CEMITÉRIO [INT./NOITE]

 

A tela abre nos inscritos de uma lápide.
“[...]1945 – 2001 – Aquele cabra vai me pagar pela ponte mal feita...”.

 

A câmera se move para o lado onde vemos outra lápide:
 “[...]1940-2003 – Eu devia lembrar que ali não tinha mais aquela ponte mal feita...”.

 

A câmera revela Luiz fazendo o sinal da cruz.

 

LANA (para Luiz): Você pretende orar por todos que estão aqui?

 

LUIZ: O que há de errado nisso?

 

RONALD: ACHEI!

 

Ouvimos “Psiu” dos demais.

 

A lápide está velha, suja, cheia de folha da árvore que está ao lado. Ronald limpa e vemos a foto do tatatatataravô.

 

ZIH: Hummm...Era bonito hen.

 

MAURUS(cara de sacana): Pena que você chegou tarde, né?

 

LANA: Quer que eu dê um jeito nele, Zih?

 

MAURUS: Você por acaso é guarda costas dela, Lana?

 

LUIZ: Será que dá pra vocês respeitarem a dor do Ronald?

 

GABO: Dor? Mas o tatatatataravô dele morreu há 120 anos. Os restos mortais dele se foi há tempos.

 

ZIH: Deve ter virado essa árvore aí.

 

Luiz alisa o queixo como a pensar em algo.

 

RONALD: Como vocês são sensíveis hen.

 

Maurus bate em seu ombro compadecido.

 

MAURUS: Liga não. Eles são assim, mas são gente boa.

 

LUIZ: Tem algo a dizer, Ronald?

 

Ronald faz que sim e começa um discurso improvisado.

 

RONALD: Tatatatataravô eu vim aqui mais uma vez pra dizer que, embora nunca tenhamos nos conhecido eu tenho muito respeito pela sua época...

 

= = passagem de tempo = =

 

RONALD (cont.): [...]A abolição da escravatura deve ter sido o acontecimento do ano hen? Pena que o senhor já devia estar caduco e nem sabia o que estavam abolindo...

 

Os outros estão com aparência de cansados. Zih está tentando não fechar os olhos de pé, Gabo se apoia nela, Lana em Luiz e Maurus está agachado.

 

= = Passagem de tempo = =

 

RONALD (cont.): [...] Não deve ter sido muito animador morrer no dia de finados, concorda?

 

GABO: Sobrou coca?

 

= = Passagem de Tempo = =

 

Zih está dormindo com a mão sobre o túmulo do tatatatataravô de Ronald. Gabo também e com a cabeça sobre as mãos. Luiz e Lana estão lado a lado de frente pro túmulo.
Luiz desperta e observa que Maurus não está entre eles.

 

LUIZ: Ei...Pessoal! (o povo acorda) O discurso deve ter acabado há horas...Cadê o Maurus?

 

ZIH (boceja): Deve tá por essas quebradas reencontrando velhos zumbis...

 

LANA: E o Ronald?

 

Uma luz estranha surge ao lado de Luiz deixando-o apreensivo.

 

LUIZ: Gente! Vocês estão vendo essa luz?

 

ZIH: Necadepitibiriba.

 

VOZ MASCULINA (som grave e cavernosa): Todos vocês foram enganados...Ronald não veio aqui pelo seu tatatatataravô...Ô palavrinha difíííícil...

 

A câmera mostra Luiz atento e pelos olhos dos outros não há nenhuma luz ali.

 

LUIZ: Acabei de ser comunicado que Ronald não veio aqui pelo seu tatata...Ah! vocês sabem! E ele nem imagina que fez discurso pra ele mesmo.

 

LANA: Não entendi.

 

LUIZ: Ronald é a reencarnação do tatatatatatatata (Luiz sacode a cabeça)

 

ZIH: Ih gente, descontrolou...(Zih sacode seus ombros) PARE! Não precisa terminar a frase!

 

Gabo segura a cabeça de Luiz e eles conseguem colocá-lo de volta ao lugar.

 

LANA: Vamos caçar esse tatatatataravô fajuto!

 

ZIH: G-zuis! “Bora” então!

 

Todos saem correndo pelo cemitério.

 

CORTA PARA

 

CENA 5 CEMITÉRIO [INT./NOITE]

 

Terra é retirada de um buraco. Ouvimos um barulho estranho e em seguida, uma jóia é colocada sobre a terra.
Pés de pessoas param diante da jóia e a câmera revela Ronald no buraco fechando o caixão.

 

Ronald ergue as mãos, assustado.

 

RONALD: Eu divido se isso me eximir de culpa.

 

LUIZ: Você nos trouxe até aqui pra roubar jóias?

 

LANA: Então por isso a gente nunca chegava...O lance era entrar aqui de noite mesmo...

 

ZIH: Que pouca vergonha. Eu cheguei a me emocionar com aquele seu discurso de meia pataca.

 

RONALD: Veja bem...

 

Ouvimos um celular tocar. Todo mundo caça em seus respectivos bolsos e Gabo saca o seu celular que toca.

 

GABO (atendendo): Alô [pausa] Sim eu conheço [pausa] Como? [pausa] Quando? [pausa] Não pode ser! [pausa] Não, isso pode ser [pausa] Que horror! [pausa] Ok, “brigado” pelo aviso...[desliga].

 

Todo mundo já está curioso pra saber o que se sucede.

 

GABO: O Joey...Ele estava bêbado, pegou um ônibus pra cá e foi parar na delegacia por causar desordem no ônibus. O seu polícia disse que ele gritava com o motorista para deixá-lo na porta do apê. Mas ele só disse Apê, não deu endereço.

 

LUIZ: Vambora já pra lá antes que ele entre pela janela e coma meu pudim de chocolate.

 

VOZ MASCULINA: Quem tá aí?

 

ZIH: Ih Sujou! Dessa vez não parece ser espírito não.

 

GABO: Vamos sair daqui, rápido!

 

ZIH: Tá, mas onde tá o Maurus?

 

Não muito longe dali...

 

A câmera se move pelos corredores do cemitério. Vemos uma garrafa de pinga vazia e logo a cena nos revela Maurus, sentado de frente para um túmulo, dormindo.
A câmera se aproxima e quando vai fazer close-up a tela se fecha em preto.

 

FIM







 
CRIADO POR: Bruno Olsen & Cristina Ravela


ESTRELANDO:

Gabo
Zih
Maurus
Luiz Fernando
Lana
Ronald

PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS:

Homem (Voz)
Espírito (Voz)

TRILHA SONORA:

Michael Jackson - Thriller Instrumental

OFERECIMENTO:

Gabo-cola

ESCRITO E DIRIGIDO POR:  Cristina Ravela


PRODUÇÃO: Bruno Olsen & Cristina Ravela
 

Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2009 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

 

 





Relacionados

0 comentários: